Ser político é…

Segundo recentes estatísticas, em cada 10 dirigentes do MPLA, 11 sentem-se superiores aos outros. Como se faz para reconhecer um político do MPLA numa livraria? Ele é o que pede o mapa-mundo de Luanda. Qual é a semelhança entre um político humilde, sério, honesto e o Super-Homem? Nenhum dos dois existe… Por Norberto Hossi Política é (ou deveria ser) a ciência da governança de um Estado ou Nação e também – continuamos a teorizar – uma arte de negociação para compatibilizar interesses. O termo tem origem no grego politiká, uma…

Leia mais

Ditadura mantém presos políticos em Cabinda

O que é Cabinda? A pergunta é andarilha. A resposta (esperada há décadas) teima em não ser blindada, por casmurrice de quem detém o poder executivo, em Luanda. Enclave? Protectorado? Colónia? Província? A todas o MPLA, por manifesta falta de razoabilidade político-mental, traçou, desde o início, uma linha divisória de colónia. A realidade comportamental não mente, para tristeza colectiva, porquanto é a única circunscrição territorial, onde não é permitida, sequer, a existência de associações, mesmo ligadas aos direitos humanos. Rememoremos o triste fim da Mpalabanda, que por orientação política e…

Leia mais

Quem falta… comprar?

João Lourenço está satisfeito. Já esteve mais. Mesmo assim… como quem paga são os angolanos, o resultado final será sempre positivo para a sua causa. Completa que está a compra dos principais políticos portugueses, direccionou a sua OPA (Oferta Pública de Aquisição) para (supostos) jornalistas e similares. Em Portugal tem na mão os necessários e, por cá, amarrou curto com uma condecoração (ou algo mais) o similar mais emblemático, Rafael Marques. Por Orlando Castro Do ponto de vista dos “jornalistas”, basta – por exemplo – ter na mão a Lusa,…

Leia mais

Está tudo em ordem com
as declarações das PPE?

O Governo do MPLA (versão João Lourenço) prevê, talvez, quem sabe, supostamente, passar a divulgar, até 2020, o património dos titulares de cargos públicos (dos que entretanto não forem exonerados) e, de forma a “facilitar a identificação” de Pessoas Politicamente Expostas (PPE), segundo um decreto presidencial de João Lourenço. A medida (por agora um enumerar de boas intenções) consta no Plano de Desenvolvimento do Sistema Financeiro (PDSF) para o período 2018-2022, apreciado pela Comissão Económica do Conselho de Ministros em Junho do ano passado e publicado em Diário da República,…

Leia mais

Legislatura lusa à “luz”
da bajulação ao MPLA!

O “irritante” judicial que envolveu o ex-vice-presidente angolano, Manuel Vicente, foi um dos casos que marcou, na política externa portuguesa, a legislatura que agora termina, e que ao ser ultrapassado permitiu normalizar as relações entre os dois países. Sem esquecer, é claro, a elevação a um nível nunca visto do índice de bajulação dos políticos lusos ao MPLA. A acusação ao ex-governante angolano, na altura dos factos presidente da Sonangol, condicionou durante meses as relações entre Angola e Portugal, com o Governo angolano a pedir, a rogar e, finalmente, a…

Leia mais

JLo exonera “irritante”
com a Soares da Costa

A construtora portuguesa Soares da Costa vai retomar a sua participação num consórcio responsável pelas obras de alargamento da rede de abastecimento de água em Luanda, projecto avaliado em 320 milhões de euros, segundo um despacho presidencial. No despacho, de 3 de Junho, o Presidente João Lourenço revogou, “com efeitos repristinatórios” (vigorar de novo, restaurar a forma ou o aspecto primitivos) os despachos assinados em Julho de 2017 pelo seu antecessor, José Eduardo dos Santos, que aprovaram a “cessão da posição contratual e respectivas responsabilidades” por parte da Soares da…

Leia mais

As verdades doem,
mas só elas curam

Hoje dei comigo a ler atentamente a entrevista que a Senhora Ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, Professora Doutora Maria do Rosário Sambo, deu ao Jornal de Angola, e que foi publicada na edição de 29 de Março de 2019 do referido jornal. Por Carlos Pinho (*) Sua Excelência diz, e eu subscrevo inteiramente, que o Ensino Superior em Angola vai mal, e que parte deste mau andar tem a ver com o mau ensino primário e secundário. São palavras sábias e avisadas. E passo a citar, “Portanto,…

Leia mais

A identidade religiosa e a independência de África

Nesta época, especial para os cristãos, os povos africanos deveriam reflectir mais, muito mais no valor das suas crenças religiosas, a maioria ainda subjugadas à visão colonial e paternalista ocidental. Por William Tonet (*) Nesse percurso, as nossas crenças antes da colonização, cuja pureza, exclui o diabo, sim, o diabo, por só configurar, nas bíblias orais, o BEM, logo o guardião: Nzambi; Deus; Divino; Todo Poderoso é o único Senhor do céu e da terra. Daí a maior riqueza dos povos africanos, mesmo nas maiores misérias e adversidades continuar a…

Leia mais

Vandalismo político
ou golpe de Estado?

O Comandante Geral da Polícia Nacional, comissário-geral Paulo Gaspar de Almeida, afirmou hoje, domingo, em Luanda, que o vandalismo público que se regista actualmente em Angola é um crime com pendor político. E o que sempre se registou sem o rótulo de “actualmente”, também tinha esse pendor? Já em 2015 Paulo Gaspar de Almeida dizia que as últimas manifestações convocadas pelos partidos da Oposição tinham como objectivos a tomada do poder, um golpe de Estado. O comissário-geral fez este pronunciamento quando discursava na abertura da Primeira Conferência Nacional de Formação…

Leia mais

Os erros “hortográficos”

Este país governado por vários matumbos é uma caricatura demasiado evidente de tragicomédia. As ocorrências a provocarem sorrisos amarelos multiplicam-se. O efeito multiplicador dos empréstimos do estrangeiro parece anquilosar ainda mais as mentes de quem se governa e diz estar a fazê-lo “para o bem do povo”, para combater a corrupção e as injustiças sociais. Por Domingos Kambunji É este o país onde vivemos, onde há muitos licenciados que foram para as universidades, criadas às três pancadas, para adquirir diplomas e pouco conhecimento. Há, todavia, algumas, poucas excepções. Quem pensava…

Leia mais