Ajudar Maputo e bajular Luanda

O PSD (partido português dirigido por Rui Rio e que é o maior da oposição) pediu ao Governo socialista de António Costa que sensibilize a União Europeia para a necessidade de encontrar, com urgência, uma “solução internacional” que permita a Moçambique “enfrentar os ataques terroristas em Cabo Delgado”, bem como envio de ajuda humanitária. Num projecto de resolução (sem força de lei) hoje entregue na Assembleia da República, os sociais-democratas salientam que, em meados de Abril, a União Europeia referiu que “segue com apreensão o agravamento da situação humanitária em…

Leia mais

O PSD também é nosso,
pensa (e bem) o… MPLA

«Apesar do escândalo Luanda Leaks, Isabel dos Santos conseguiu indicar dois dos seus colaboradores para dirigentes máximos do PSD, Paulo Mota Pinto (dos órgãos sociais da NOS, em que Isabel é accionista de referência) para presidente do Congresso e ainda Nuno Morais Sarmento, da Sociedade de Advogados que apoiava Isabel dos Santos, a PLMJ, de Júdice. Todos inclinados face ao poder de Isabel dos Santos. A impunidade e a falta de vergonha sem limites», afirma Paulo de Morais. O presidente do partido português PSD, Rui Rio, disse dia 28 de…

Leia mais

Legislatura lusa à “luz”
da bajulação ao MPLA!

O “irritante” judicial que envolveu o ex-vice-presidente angolano, Manuel Vicente, foi um dos casos que marcou, na política externa portuguesa, a legislatura que agora termina, e que ao ser ultrapassado permitiu normalizar as relações entre os dois países. Sem esquecer, é claro, a elevação a um nível nunca visto do índice de bajulação dos políticos lusos ao MPLA. A acusação ao ex-governante angolano, na altura dos factos presidente da Sonangol, condicionou durante meses as relações entre Angola e Portugal, com o Governo angolano a pedir, a rogar e, finalmente, a…

Leia mais

PSD e CDS sabem que o MPLA paga bem aos bajuladores

Os partidos portugueses PSD e CDS acreditam que, depois de tantas manifestações de subserviência em relação ao MPLA (Angola é outra coisa) poderão ser “membros honorários” deste partido, esperando a respectiva outorga agora que João Lourenço vai visitar, de quinta-feira a sábado, Portugal. O PS e o PCP já estão no galarim. Neste contexto, o PSD diz que olha “com grande optimismo” para o futuro das relações entre Portugal e Angola e considera que a visita de João Lourenço traduzirá a “importância estrutural” desta cooperação, que quer pautada pelos “princípios…

Leia mais

PSD, PS e MPLA são (é claro!) todos fuba do mesmo saco

Rui Rio, presidente do maior partido português, o PSD, considerou hoje que a visita oficial do primeiro-ministro António Costa a Angola abriu portas que “no passado recente estiveram fechadas” e enalteceu “o clima favorável” a Portugal que encontrou quando se deslocou ao país. Ao que tudo indica, se alguma vez Rui Rio for primeiro-ministro, o PSD vai querer bater o recorde de bajulação estabelecido por António Costa. Provavelmente, enaltecendo a separação de poderes em Portugal, o PSD conseguirá o milagre de o Poder Judicial estar de acordo em que todos…

Leia mais

JLo amigo, o “danoninho” português está contigo!

“O Presidente da República, João Lourenço, conseguiu popularidade interna e credibilidade internacional, num ano à frente do Estado angolano, reconheceu, este domingo, o comentador português Luís Marques Mendes”, escreve a ANGOP. É caso, segundo os acólitos do MPLA, para afirmar: “Se Marques Mendes o diz…” Por Orlando Castro “A popularidade dá-lhe poder e a credibilidade está a permitir quebrar o isolamento do país no plano internacional”, referiu o analista português, ex-presidente do PSD (partido com enormes afinidades bajuladoras com o MPLA), no seu espaço no canal da televisão portuguesa SIC.…

Leia mais

PCP reivindica quinhão
na gamela da bajulação

O Partido Comunista Português (PCP), na senda – embora neste caso nada escandalosa – das calemas de bajulação dos políticos portugueses, veio a uma das suas casas em Luanda classificar como “exemplar” a transição em curso no poder no MPLA, em Angola, com João Lourenço a preparar-se para – por perto de 100% – ser “eleito” sucessor de José Eduardo dos Santos na presidência do partido que lidera o país desde 1975. A posição foi expressa esta segunda-feira, na sede nacional do MPLA, em Luanda, pelo camarada José Capucho, membro…

Leia mais

JLo sacia-se e sacia

Paulo Rangel, eurodeputado do PSD, foi o único português presente no almoço de trabalho com João Lourenço, em Estrasburgo, na qualidade de vice-presidente da bancada parlamentar do Partido Popular Europeu (PPE). Mas – claro! – ficou saciado. O eurodeputado social-democrata salientou hoje a determinação do Presidente de Angola em projectar o país como estando bem preparado para um período de investimento estrangeiro muito forte. “Esteve a traçar uma visão de um país que está a fazer um percurso para se abrir completamente e para se desenvolver, algo que o Presidente…

Leia mais

Da Birmânia a Angola
e de Portugal ao MPLA

O actual Governo português (tal como os anteriores) continua a ser forte com os fracos e fraco, muito fraquinho, com os fortes. Mostra a sua pujança política, com recurso a esteróides anabolizantes, em relação aos angolanos famintos (20 milhões) mas ajoelha-se invertebradamente quando enfrenta o MPLA. Por Ricardo Seromenho Mas não é só em relação ao MPLA e aos angolanos. Recorde-se que, por exemplo, no dia 14 de Setembro de 2017 deu nova prova disso ao manifestar “séria preocupação” com a “escalada de violência” na Birmânia (Myanmar), num comunicado em…

Leia mais

Rui Rio enaltece pacto de bajulação e subserviência

O presidente do (ainda) maior partido português, o PSD, recusou hoje que a sua vinda a despacho ao MPLA (ainda na versão Eduardo dos Santos/João Lourenço) tenha causado algum mal-estar no Governo de António Costa, salientando o “simbolismo” de uma visita que diz ser uma “ajuda” nas relações entre os dois países. E foi uma ajuda importante, reconheça-se. Para além da assinatura que renova o pacto de subserviência e bajulação anteriormente subscrito por Pedro Passos Coelho, Rui Rio acrescentou uma cláusula implícita em que, sempre que necessário, o PSD passa…

Leia mais