Enquanto um caiu mas levantou-se, outro
levantou-se mas caiu!

O Presidente de Angola João Lourenço, honrando a sua tese de trocar seis por meia dúzia, resolveu manter o projecto de construção do porto do Caio, em Cabinda, a cargo da sociedade Caioporto, do suíço-angolano, Jean-Claude Bastos de Morais, recuando na decisão anteriormente tomada. Recuo obviamente estratégico, dizem os acólitos do Presidente do MPLA, no que são corroborados pelos apoiantes do Titular do Poder Executivo… Segundo um despacho presidencial datado de 2 de Outubro, João Lourenço decidiu extinguir a comissão que tinha criado em Maio de 2018 para negociar a…

Leia mais

Autarquias? Quando Deus quiser e se o MPLA… deixar

O ministro da Administração do Território e Reforma do Estado angolano, Adão de Almeida, defendeu hoje, em Luanda, a necessidade de se gerir “com bastante ponderação e inteligência” o momento de transição até à instalação das primeiras autarquias em Angola. Tem razão. É por isso que as eleições autárquicas serão só quando o MPLA… quiser. Adão de Almeida falava na abertura da II Conferência sobre as Autarquias Locais, que teve como tema a “Transferência de Competências e Coordenação Institucional” e contou com a partilha de experiências de Portugal e Cabo…

Leia mais

Turismo em Angola? Um
dia… talvez. Está “visto”

Isto ultimamente tem sido cá um corrupio na imprensa angolana. Primeiro foi a facilitação dos vistos, depois inúmeras notícias a falar da necessidade de se implementar uma melhor indústria hoteleira em Angola. Agora são as pancadinhas na bola de Sua Excelência o Senhor Presidente da República num campo de golf, lá para as bandas de Luanda. Por Carlos Pinho (*) Porém o turismo em Angola não avança com pancadinhas na bola. Aliás, nem mesmo com umas pancadas valentes nas cabeças pensantes de muitos artistas que pululam pelo país afora. A…

Leia mais

Como o regime aldraba e manipula um povo pacífico

A Procuradoria-Geral da República (PGR) do MPLA, erradamente dita de Angola, garantiu que não fez qualquer acordo com o empresário suíço-angolano Jean-Claude Bastos de Morais que, depois de seis meses em prisão preventiva, foi posto em liberdade no dia 22.03.19. Então o que fez? Porque é que, então, Jean Claude de Morais esteve preso, se todos os contratos e a gestão dos fundos, por ele geridos, foram lícitos, segundo a análise e o veredicto da própria PGR? Se os contratos foram leoninos, que são aqueles que penalizam uma das partes,…

Leia mais

Mentira pode ser sólida
mas será sempre mentira

O MPLA, qual virgem (de esquina de estrada) ofendida, mudou de líder mas continua igual. João Lourenço continua a preferir ser assassinado pelo elogio do que salvo pela crítica. Pode, contudo, estar descansado. Não será o Folha 8 a “assassiná-lo”. Para inglês ver, o Presidente recebeu hoje algumas personalidades da sociedade, casos – entre outros – de Rafael Marques e Luaty Beirão. Ou seja, recebeu críticos do anterior governo (do qual, aliás, foi figura de destaque) para, numa eficaz campanha de marketing, dizer: “Estão a ver, até eles concordam comigo”.…

Leia mais

Pobres, sim. Matumbos, não!

O Presidente angolano, João Lourenço, disse hoje, em Moçâmedes, província do Namibe, que os desafios da educação e do ensino aumentaram, sendo uma prioridade para o sector social, pelo que deve ser maior a aposta na formação de recursos humanos. Para além de ser uma verdade de La Palice é, fazendo fé no Orçamento Geral do Estado, uma séria candidata ao pódio do anedotário nacional. João Lourenço, que discursava hoje no acto de abertura oficial do ano lectivo de 2018, referiu que um maior investimento nos recursos humanos é a…

Leia mais

Empresário luso acusado
de actos racistas e burla

Um cidadão de nacionalidade portuguesa, identificado como Fernando Nascimento Fernandes, director de uma empresa da indústria transformadora, localizada no bairro Benfica, em Luanda, é acusado por um dos seus trabalhadores, Mário José Afonso Luanda, de tratamentos desumanos, racismo, e tentativa de burla contra o mesmo que diz ser accionista na empresa PMETAL, S.A, Lda. Por Gizela Munhingana e Pedrowski Teca Este pareceu ser um caso de cidadãos estrangeiros ilegais, que entram em Angola na qualidade de turistas, mas que chegam a desempenhar funções laborais lucrativas, usando cidadãos angolanos como accionistas…

Leia mais

“Pequenas falhas” animam anedotário da CNE (MPLA)

A Comissão Nacional Eleitoral (CNE) admitiu hoje “pequenas falhas” no processo de votação das eleições gerais angolanas, entre elas a rejeição pelos presidentes das assembleias de voto da presença de delegados de lista dos partidos políticos para fiscalização. Pequenas? Claro. Se a sucursal do MPLA o diz… Há por todo o país, sobretudo em locais menos mediáticos, assembleias de voto onde não é preciso pôr o dedo no tinteiro nem apresentar a identificação. Um nosso leitor (devidamente identificado mas sobre o qual mantemos o anonimato) explicou ao Folha 8 que…

Leia mais

Açúcar nos novos cálculos da inflação

Todos os dias lemos o Jornal de Angola. Tal como no velho Pravda, não interessa o que ele diz, mas como o diz. No domingo, dia 13 de Novembro de 2016, uma das notícias informava que os “bens alimentares estão mais baratos”. Por Moiani Matondo (*) Segundo o jornal, “o preço do açúcar e o do trigo registaram reduções da ordem de 60 por cento nos mercados Asa Branca e de São Paulo, em Luanda, onde o quilo de qualquer um dos dois produtos baixou de 500 para 200 kwanzas”.…

Leia mais

Justiça moribunda

Que a justiça em Angola, salvaguardando alguns exemplos meritórios mas residuais, está como o próprio regime: moribunda. O Processo 15+2 é um paradigma esclarecedor que, como outros, nos remete para aquilo que o país não é mas deveria ser: um Estado d Direito Democrático. Vejamos. Nos autos de recurso registados sob o Processo N.º 16997, em que são recorrentes os activistas cívicos do denominado “Processo 15+2” na 2.ª Secção da Câmara Criminal do Tribunal Supremo foi exarado, no dia 9 de Setembro de 2016, o seguinte despacho: “Os crimes pelos…

Leia mais