CAMINHAR EM LUANDA? SÓ SE O MPLA DEIXAR…

O político angolano Abel Chivukuvuku, líder do PRA JA Servir Angola, anunciou que vai processar as autoridades angolanas por inviabilizarem a formalização do seu projecto político, que, no entanto, espera legalizar ainda este ano. E siga a farra, na esperança de que um dia o país seja aquilo que (ainda) não é: uma democracia e um Estado de Direito. bel Chivukuvuku falava aos jornalistas em Luanda junto ao local onde hoje iria terminar, se tivesse começado, uma marcha que, no entanto, não foi autorizada pelo MPLA através da sua sucursal,…

Leia mais

PRESIDENTE LABORINHO, MINISTRO LOURENÇO?

A Omunga, organização não-governamental angolana, exorta o Presidente da República, Presidente do MPLA e Titular do Poder Executivo (general João Lourenço), e os tribunais (do MPLA) a acabarem com a “arrogância, arbitrariedade e atrocidades” na actuação da erradamente chamada Polícia Nacional durante manifestações, criticando a repressão da marcha de sábado, em Luanda. m declarações à Lusa, o director da Omunga, João Malavindele, condenou a atitude da polícia (do MPLA) que “visou mais uma vez frustrar e impedir a realização de um direito fundamental consagrado na Constituição”. “Parece que começam a…

Leia mais

MPLA QUER  ACABAR O QUE FALTOU EM 1992

A coordenação geral do Projecto Político PRA-JA Servir Angola denunciou hoje que 17 pessoas foram feridas pela Polícia Nacional (do MPLA) que impediu, no sábado, a realização de uma marcha que visava o lançamento do ano político da organização. Tudo normal no reino, portanto… m comunicado de imprensa refere que o coordenador geral do PRA-JA Servir Angola, Abel Chivukuvuku, e os seus apoiantes tentaram iniciar uma marcha programada, que partiria do largo da ENDE – São Paulo em direcção ao Complexo de Eventos Magnólia, onde o político daria uma palestra…

Leia mais

O QUE SERIA DE NÓS (DELES) SEM O GENERAL?!

O Governo angolano vai financiar com um milhão e 250 mil euros (coisa pouca, é claro!) serviços de consultoria para apoiar (ensinar) o Ministério da Economia e Planeamento na elaboração do Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN) de Angola. egundo o despacho presidencial, publicado em Diário da República, o contrato de prestação de serviços será feito através de um procedimento de contratação simplificada (ajuste directo, como em qualquer ditadura), tendo em conta “a necessidade e urgência de concepção e implementação deste importante instrumento de planeamento de âmbito territorial”. O novo PDN,…

Leia mais

ELES COMEM E MATAM TUDO

O secretário-geral do Sindicato dos Jornalistas Angolanos (SJA), Teixeira Cândido, considerou hoje que os profissionais da comunicação social estão a ser “atacados”, anunciando uma marcha de repúdio para o dia 17 deste mês. E logo se verá qual será a próxima escala dos atacantes. Entretanto, o representante do SJA na ERCA – Entidade Reguladora da Comunicação Social Angolana (órgão dominado pelo MPLA), Reginaldo Silva, considerou hoje que “pode estar a haver um agravamento dos condicionamentos da liberdade de imprensa”. eixeira Cândido deu conta, em conferência de imprensa, da ocorrência de…

Leia mais

UNITA ENGOLE (MAIS) UM SAPO

A Assembleia Nacional (do MPLA) votou hoje contra a alteração da ordem do dia pedida pelo grupo parlamentar da UNITA, maior partido da oposição que o MPLA (ainda) permite em Angola, que pretendia apresentar um voto de protesto contra agressões à mulher de um jornalista. m causa estão os actos de agressão contra Ludmila Pinto, mulher do activista e jornalista angolano Cláudio Emanuel Pinto, da Rádio Despertar, ligada à UNITA. O requerimento apresentado na sessão plenária da Assembleia Nacional foi recusado com 112 votos contra da bancada parlamentar do MPLA…

Leia mais

GOLPE TEM 100 DIAS DE CONSOLIDAÇÃO

“A política, como actividade individual, exerce-se – em princípio – ao serviço da comunidade e de um ideal, desinteressadamente e, como a história demonstrou, com inúmeros riscos pessoais. Mas pode ser, também, uma manifestação de ambição pessoal: ou seja, o fascínio do poder pelo poder, sem escrúpulos éticos. No primeiro sentido, a política é uma das mais nobres actividades do ser humano. Se não for a mais nobre…” (Mário Soares, ex-Presidente da República Portuguesa) Por William Tonet assertiva acima é de um dos maiores combatentes portugueses da luta contra o…

Leia mais

UM LEONARDO QUE JULGA SER LEOPARDO

Honrando as ordens superiores de João Lourenço em prol da liberdade de expressão, uma coisa chamada Tribunal Supremo (TS) angolano demitiu o coordenador da comissão instaladora do sindicato dos funcionários judiciais daquele órgão, Domingos Feca, por criticar o poder jurídico angolano e considerar que o mesmo está envolvido, em sentido figurado, em “prostituição”, segundo fonte oficial. e acordo com a certidão de despacho punitivo do TS angolano, Domingos Feca foi constituído arguido na sequência de um processo disciplinar instaurado contra si. O TS angolano refere que o jurista, também escrivão…

Leia mais

MAIS DO MESMO (NADA) HÁ 47 ANOS

O MPLA, partido que só está no poder desde a independência, saudou hoje os angolanos (será que os 20 milhões de pobres são angolanos?) pelo 47.º aniversário da proclamação da independência (mais exactamente da troca dos colonos portugueses pelos colonos do MPLA) do país, apelando a que contribuam “com actos de cidadania e elevado patriotismo” (ou seja, que continuem a aprender a viver sem comer) para que Angola se torne uma nação de referência. Num comunicado a propósito da efeméride, o Bureau Político do MPLA, partido no poder desde que…

Leia mais

A NOVA ARQUITECTURA COLONIAL DE JOÃO LOURENÇO

Os patriotas de todas as tribos políticas, incluindo os do MPLA, não poderão, até o final de 2027, continuar impávidos e serenos a assistir à implantação de um sistema económico neoliberal escravocrata, na linha de um “novo colonialismo”, que oprime a maioria dos angolanos através do controlo e domínio da maioria da soberania económica. É preciso uma revolução capaz de enveredar o barco para uma independência imaterial. Por William Tonet A maioria dos autóctones discriminados, hoje, mais do que nunca, têm a certeza de estarem a ser conduzidos para uma…

Leia mais