SÓ OS DITADORES MANDAM MATAR OS MENSAGEIROS

O Conselho Directivo da Entidade Reguladora da Comunicação Social Angolana (ERCA), sucursal para a comunicação social do MPLA deliberou em Janeiro de 2021 – de acordo com as ordens superiores do patrão – o que a seguir se transcreve. Por Orlando Castro «1. Chamar a atenção de toda a comunicação social e dos jornalistas em particular, para a entrada em vigor no próximo mês de Fevereiro das leis que aprovam o Código Penal Angolano e o Código do Processo Penal Angolano em Novembro de 2020 pela Assembleia Nacional e já…

Leia mais

O CASTELO ESTÁ A RUIR E O REGIME UTILIZA ARMAS BÉLICAS

Os angolanos estão a ser confrontados com quatro das espécies mais perniciosas do planeta: o sabujo; o “buçalogo”, o partidocrata e o “perfeito”. Elas poderão, num curto espaço de tempo, levar o país para a derrocada, accionando o botão militar, por perca de controlo e incompetência do auto-denominado perfeito. Essa tribo, sedenta de poder, em desespero de causa, não se importa(rá) em navegar, nos rios de sangue, para continuar no leme de um barco onde a maioria dos marinheiros a rejeita, face à má navegação. Por William Tonet O cenário…

Leia mais

LOURENÇO EM TOM MUSCULADO PROÍBE PUBLICAÇÃO DAS LISTAS ELEITORAIS

Os angolanos ainda estão distantes de poderem ouvir e ver dirigentes verdadeiramente comprometidos com os princípios da humildade, conciliação e ética republicana, principalmente, quando muitos emergem ao cadeirão máximo das organizações, sem escrutínio das bases políticas ou de cidadania. Por William Tonet A maioria dos angolanos vive, desde 1975, com uma tribo dirigente cuja “constituição mental” de viés ditatorial, está longe de, em pleno século XXI, navegar em oceanos democráticos. A lógica da batata na lei da batota, continua a ser a fraude de cada dia, do regime e, neste…

Leia mais

CENSURA + DITADURA + CORRUPÇÃO = MPLA

A UNITA, o maior partido da oposição que o MPLA (ainda) permite em Angola, denuncia insistentemente o “tratamento absolutamente desigual” dos órgãos públicos na cobertura dos seus actos, sejam agora de campanha, sejam noutro qualquer âmbito. De facto, os órgão públicos do MPLA só publicam o que á autorizado pela comissão de censura do Departamento e Informação e Propaganda do MPLA. Nada de novo, portanto. Volta a confirmar-se que filho de jacaré nunca será vegetariano. Aliás, João Lourenço (cidadão português até 11 de Novembro de 1975) aprendeu bem o que…

Leia mais

DE CABINDA AO CUNENE, MPLA SOMA ÊXITOS…

Depois de se tornar público que o Adalberto da Costa Júnior iria dirigir um comício em Cabinda, no campo do Chiweca, várias instituições de ensino foram notificadas pelo potência colonialista ocupante, Angola/MPLA, a realizar urgentemente uma excursão (convívio de alunos, professores e pessoal administrativo) para saudar o encerramento do ano lectivo. Não. Não é uma notícia do tempo colonial. É bem pior. A diferença de Cabinda em relação a Timor-Leste “é o petróleo”. Isto é: “Ambos temos petróleo, mas o nosso já foi distribuído pelos grandes”. “Diante de Deus, de…

Leia mais

ARMAS DEFENDEM AS DITADURAS, URNAS DEFENDEM A DEMOCRACIA

Ele, sem ser, o melhor e mais capacitado dirigente, interpares, chegou ao cadeirão máximo, sem escrutínio democrático (“que realizado, o perderia, seguramente”), graças ao “indicador absoluto” de José Eduardo dos Santos, à época, o ditador mor! Saiu-lhe a lotaria! Uns acreditaram, piamente, na mudança. Ingénuos! A cobra por deixar cair a pele, não deixa de ser venenosa. Nunca! Por William Tonet O MPLA desconseguiu, desde 1975, em “criar o homem novo”, em oposição a “criação do novo homem corrupto” especializado em ladroagem do erário público. Em 2017, a apologia da…

Leia mais

MPLA COME DE CEBOLADA OS JORNALISTAS

Seis organizações angolanas, incluindo o Sindicato dos Jornalistas, apelaram hoje ao tratamento imparcial e isento dos assuntos por parte dos órgãos de comunicação social públicos em Angola, exigindo o fim da complacência e o cumprimento da legislação. A tese parte de um pressuposto errado. Esses órgãos são do MPLA e a parte pública refere-se exclusivamente ao dinheiro que os sustenta. A tomada de posição conjunta é subscrita pelo Sindicato dos Jornalistas Angolanos, Instituto para a Comunicação Social da África Austral (MISA) em Angola, Acção para o Desenvolvimento Rural e Ambiente,…

Leia mais

SONDAGENS ELEITORAIS SÓ DEPOIS DE CONHECIDOS OS RESULTADOS

Conforme ordem superior baixada pelo “querido líder” do MPLA, que é também Presidente da Re(i)pública e Titular do Poder Executivo, João Lourenço, a Assembleia Nacional angolana aprovou hoje a proposta de lei das sondagens e inquéritos de opinião com votos contra e abstenção dos partidos da oposição. A proposta de lei foi aprovada com 122 votos a favor do MPLA/Estado, 43 contra da UNITA, da Convergência Ampla de Salvação de Angola — Coligação Eleitoral (CASA-CE) e da FNLA e duas abstenções do Partido de Renovação Social (PRS). O diploma legal…

Leia mais

É HORA DE OS DEMOCRATAS AGIREM

O partido do regime, mostra, em cada acto pré-eleitoral, não estar preparado para uma transição democrática. Resiste intra-muros. A democracia interna, no MPLA, só é permitida no texto, porque, se um militante ousar puxar os galões para a materialização, é severamente derrotado, pela ditadura do NOT! É a mesma lógica extra-muros; país, onde são assassinados os processos e procedimentos eleitorais democráticos. Por William Tonet Angola vai realizar em Agosto de 2022, as quintas, sendo as terceiras eleições gerais, sob o espectro da traição brutal e início do suicídio da democracia,…

Leia mais

KAKISTOCRACIA EMELOURECIANA NA ROTA DA BATALHA FINAL

“O pior de tudo não é o fastio, nem a ansiedade, mas o sentimento de impotência” (Sérgio Augusto). O título deste texto é paradigmático. Não encontrei nada melhor para definir o estado de putrefacção verbal a que chegou a política partidária doméstica, depois de, para desgraça colectiva dos povos autóctones, Ondjiva ter sido, no dia 5 de Abril de 2022, transformada na “gólgota”, por João Manuel Gonçalves Lourenço, presidente do MPLA, sem que o Presidente da República, João Manuel Gonçalves Lourenço, o conseguisse conter. Por William Tonet O local, ou…

Leia mais