Os paladinos da desgraça constitucional

Na política, como no cosmos, poucos são os cometas, numa maioria de estrelas. Por isso são abençoados os países em cuja liderança emergem humildes e pujantes cometas, que fazem da governação um acto de servir, unir a cidadania, solucionar os conflitos e diferendos, no espírito da harmonia, garante da estabilidade social e bem gerir a rés-pública. Por William Tonet Angola, infelizmente, não tem sido bafejada pela sorte, quanto a cometas, pese ter havido, nos últimos tempos, uma réstia de esperança, que rapidamente se esvaiu. Em 2017, início da passagem do…

Leia mais

Democracia? Hum!

O presidente da Comissão da União Africana (UA), Moussa Faki Mahamat, considera que a democracia em África enfrenta “enormes problemas” e que, em muitos países, as eleições deixaram de ser a solução para o problema, passando a ser o problema para a solução. Deve ser por isso que o MPLA, apesar de estar há 45 anos no Poder, lá quer ficar mais 55 de modo a completar um século de governação ininterrupta… “A democracia e o constitucionalismo em África enfrentam problemas enormes que ninguém pode negar”, disse Moussa Faki Mahamat,…

Leia mais

Cartão vermelho (mais um)
à inépcia de João Lourenço

Cerca de oito em cada dez angolanos consideram que o Governo do país (é do mesmo partido, o MPLA, há 45 anos) está a ter um desempenho “mau” ou “muito mau” no desenvolvimento da sua economia, de acordo com um estudo realizado pelo Afrobarometer hoje divulgado. “C erca de oito em cada 10 angolanos avaliam como sendo “mau” ou “muito mau” o desempenho do Governo na manutenção da estabilidade dos preços (78%), criação de emprego (75%), melhoria da condição de vida dos pobres (75%) e a gestão geral da economia…

Leia mais

2020. Tudo será (des)igual

Em Julho de 2017, João Lourenço (então vice-presidente do MPLA, sucessor de José Eduardo dos Santos, general e ministro da Defesa), exigiu aos milhões de militantes e dirigentes do partido que trabalhassem em conjunto para uma vitória “retumbante”. Em boa verdade não precisavam de trabalhar muito. O resultado, como habitualmente, já está determinado. Precisam apenas de fingir que trabalhavam. “Este é um ano de grandes desafios e, como sabemos, temos de enfrentar o pleito eleitoral, em Agosto do corrente ano. E para alcançarmos a vitória, uma vitória que seja retumbante,…

Leia mais

Presidente reduz o seu salário e o dos ministros

O chefe de Estado anunciou agora um corte no seu salário e no dos ministros, numa tentativa de aliviar as tensões e críticas da população devido ao aumento nas tarifas da electricidade e dos combustíveis. As tarifas de electricidade para particulares vão subir 115% a partir de 01 de Janeiro, anunciou a agência de regulação de electricidade. Os aumentos já foram sentidos nos combustíveis, com a gasolina e o gasóleo a aumentarem 10% e 11% respectivamente, o que motivou críticas e reacções da população indignada com este facto. Esclarecimento: Estamos…

Leia mais

Dos Santos contra João Lourenço em 2022?

Num país civilizado, doutrinalmente blindado, pela soberania dos órgãos de soberania, respeitador das liberdades, transparência dos actos públicos e justiça cidadã, nunca o absurdo toma corpo e se agiganta ao ponto de calcorrear os “carreiros mentais” de uma grande maioria de cidadãos, principalmente, os mais pobres. Por William Tonet E o absurdo é maior quando a cumplicidade abraça o desespero, a fome e o desemprego, ao ponto da referência maior ser, o anterior, o actual preço do arroz e o Vice-Presidente da República. Tudo pelo esvaziar da eficácia da terminologia…

Leia mais

A (in)justiça do Nobel…

O novo Nobel da Paz, o primeiro-ministro etíope, Abiy Ahmed Ali, é um dos símbolos da nova Etiópia, que quebrou tradição de gestão autoritária e sectária, reforçando a abertura política e económica do único país africano que nunca foi colónia europeia. Há ano e meio, quando tomou posse, Abiy Ahmed Ali começou a governar um país dilacerado pelas divisões étnicas e políticas, algo que tentou ultrapassar logo de imediato com a nomeação de líderes da oposição para funções principais do Estado. De acordo com o comunicado divulgado pelo júri do…

Leia mais

MPLA quer esclarecer se
existe seca ou se é só ceca

O Bureau Político do MPLA recomendou ao Comité Central do MPLA para que, na sua próxima sessão ordinária, aprazada para finais de Novembro, faça uma análise exaustiva sobre a situação da seca no sul de Angola. Importa, presume-se, saber se a seca significa falta de água, se por acaso não será antes ceca (terra distante e indeterminada), se não será obra de marimbondos ou sabotagem colonial, talvez até mesmo uma malandrice de Jonas Savimbi. Sob a orientação de Lourenço, Presidente do MPLA (mas que se diz presidente de todos os…

Leia mais

O rei manda e os escravos “aceitam” viver sem comer

Adalberto da Costa Júnior, presidente do grupo parlamentar da UNITA, maior partido na oposição que o MPLA (ainda) permite que exista em Angola, considerou hoje que a governação de João Lourenço “infelizmente não trouxe melhorias em relação ao anterior período” e que o combate à corrupção “é paliativo”. Seria verdade se a verdade não fosse – há 44 anos – um exclusivo do MPLA. Mas como é… “O país tem uma crise sem soluções, a governação de João Lourenço infelizmente não trouxe melhorias em relação ao anterior período, os vencimentos…

Leia mais

Mais uma viagem,
mais uma corrida

O Presidente da República, João Lourenço, desloca-se amanhã, sábado, a Nova Iorque a fim de participar na 74ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas e discursará perante o plenário da ONU no dia 24. Segundo uma nota da Casa Civil da Presidência João Lourenço será o primeiro orador na sessão da tarde desse dia, o mesmo em que se inicia o debate geral com as tradicionais intervenções do Brasil e do país-sede da ONU, os Estados Unidos da América. A governação seguirá logo que possível. É também na terça-feira…

Leia mais