Director: William Tonet

Director: William Tonet

William Tonet cresceu como “criança soldado”. O seu pai foi um dos fundadores da 1ª Região Político-Militar do MPLA. Aos 8 anos de idade já dominava as comunicações militares.

Foi dos mais novos comandantes militares, com 16 anos de idade.

Esteve na Cadeia de São Nicolau, com o seu pai, preso, quando tentavam abrir uma região político militar do MPLA, no Huambo, em 1968.

Foi um dos que implantou a organização dos pioneiros do MPLA, OPA, em Luanda, e foi um dos comandantes que levou o porta-bandeira, em 11 de Novembro de 1975, no dia da proclamação da Independência. Foi igualmente um dos impulsionadores das estruturas juvenis da JMPA, nas fábricas e locais de trabalho, em 1975/6.

Trabalhou no gabinete do então ministro da Administração Interna, comandante Nito Alves, sendo responsável das comunicações e dos assuntos juvenis.

Esteve preso em 1977 (na sua família estiveram quatro presos: ele, pai e dois tios, enterrados vivos)

Em 1979 entrou para os quadros da TPA, como assistente de câmara, depois de ter sido expulso do Jornal de Angola, por Costa Andrade, Ndunduma, acusado de ligações aos chamados fraccionistas.

Na Televisão teve programas de grande audiência, destacando-se o Horizonte, dedicado à juventude e com este programa contribuiu decisivamente para as transmissões em directo. Tendo um espectáculo no Sporting de Luanda, sido o primeiro directo da TPA.

Foi o primeiro delegado da TPA (Televisão Pública de Angola) em Benguela e professor do ensino secundário, no Ciclo Velho.

Criou o programa Panorama Económico no período de partido único. Constituiu uma novidade, para a época. Valeu-lhe muitos amargos de boca, tendo estado este na origem da sua saída da TPA.

Foi quadro fundador da Delegação da LUSA em Angola, com Sérgio Soares, sendo o primeiro jornalista angolano a trabalhar como tal na Voz da América e a cobrir os dois lados do conflito (período da Guerra Fria, entre UNITA e MPLA).

É o jornalista que mais se especializou na cobertura do conflito militar angolano, conhecendo e mantendo relações com os dois beligerantes.

Em 1991, fruto dessas relações privilegiadas foi o primeiro mediador do conflito angolano, colocando pela primeira vez, sentados à mesma mesa, militares das Forças Armadas governamentais e da UNITA, que rubricaram um acordo de 19 pontos, no Luena, no Alto Kauango, a 19 de Maio de 1991. Acordo esse rubricado pelo chefe do Estado Maior das Forças Militares da UNITA, FALA, general Arlindo Chenda Pena “Ben Ben” e pelo chefe das Operações das Forças Militares do MPLA, coronel Higino Carneiro. Este terá sido um acordo determinante para a assinatura dos Acordos de Bicesse.

Sem estes, talvez, em 31 de Maio de 1991, não tivesse sido possível o de Portugal, uma vez que os militares, no terreno, continuavam a lutar.

Criou a primeira produtora privada de televisão, responsável entre outras da divulgação das imagens via satélite da realidade do conflito militar e social de Angola para o mundo, nomeadamente, para a CNN, CBS e em Portugal para a SIC

Em Portugal, antes da liberalização do espectro da rádio, teve uma emissora pirata na Pontinha. Fez parte do grupo fundador da TSF com Emídio Rangel e da SIC, primeira televisão privada em Portugal.

Trabalhou no semanário “O Jornal” e na revista Visão.

É o jornalista angolano, preso mais vezes pelo regime, fruto da sua liberdade de pensamento e com mais processos judiciais: 98, até Novembro de 2014

17 Thoughts to “Director: William Tonet

  1. da cruz

    Estamos sempre juntos de coracao ou espirito,senao mesmo tudo ao mesmo tempo caloroso-irmao
    Como nao podia deixar de ser,desejo-lhes todos os dias,e quanto possivel senao mesmo todos minutos,muita felicidades,trabalho e acima de tudo saude
    Vos sois valorosos e dignos martires desta luta acerrima pela Liberdade.

    obrigado
    sempre a considera-los

  2. Manuel do Rosário Teixeira Máximo

    Que a Verdade nunca seja omitida do Povo Angolano.
    Que tenham muita força e animo que envio pelo vosso trabalho de informar as pessoas que querem saber a Verdade…
    Um abraço desde Espanha de um Filho de Angola..

  3. Eis ai o homem que conhece bem o assunto que retrata no seu jornal.
    Estamos juntos nessa batalha para uma Angola mas justa e democrática.

  4. secal val diamante

    William, és abençoado porque amaria das pessoas mas conhecidas deste angola são elementos de mal, embora elogiados pelo seus fans e segos seguidores, 98 processos judiciais contra a sua pessoa só falta lhe o nobel da democracia em angola mais invisilmente te demos-o sem contestamento, vais à frente não pare no caminho, és a qualidade das pessoa que o criador deste universo està precisar. Continue Incoruptivél e determinante.

  5. pungo ya muqiama

    Bom dia.
    Tenho boas referências do camarada em questão. Já privei com ele uma vez, solicitando ideias sobre os novos valores no jornalismo angolano, tendo em conta que faço parte da nova vaga entre os escribas.
    Acredito que o seu perfil, neste jornal não foi escrita por si, e ainda bem…Porque deixa-me triste!
    Para um intelectual deste gabarito bastava dizer participou da fundação de tal jornal, fundou aquele, esteve na origem de, preso w vezes!…
    Agora dizer que foi o primeiro x, um dos que implantou, teve programa de grande gabarito, jornalista que mais se especializou em, primeiro mediador, criou a primeira y, preso mais vezes e mais processos…Sinceramente! É preciso ter muita coragem com tamanho narcisismo! Nem de Nelson Mandela se retrata dessa forma.
    E, por favor, corrijam isso! Porque admiro o kota. Quando entre para escola de jornalismo, e por força da circunstância, na UnIA um professor perguntava na aula, qual era a referência dos jornais angolanos eu conheço, eu disse: Folha 8. O professor perguntou por quê? Respondi que eu tinha 16 anos, e foi preciso ter coragem quando o referido “panfleto” surgiu, com crítica geral, impresso em papel A4, as vezes em cor verde, outras vezes preto ou azul, numa altura em que o país se abria à democracia, e falar verdade era perigoso, atendendo a ressaca do mono. A Sociedade reagia muito bem aos seus artigos, ria e reflectia os novos tempos e rumo diferente, de tal sorte que formava pluralidade de corrente de opiniões…
    Por isso, refaçam o seu perfil!
    Kanandu.

  6. parabéns pelo histórico e aguarda-se o livro de Memórias…que será interessantíssimo

  7. A biografia nao esta completa porque n tem a data na qual abandonou as fileiras do MPLA e porque . E se foi o comandante mais novo com os 16 anos qual foi a patente que ascendeu nas forcas armadas.Obrigado

  8. Virgílio Lopes

    Ter no currículo uma ligação à “Voz da América”, estação dirigida pela CIA, não é muito ou nada abonatório.
    Até porque, afinal, José Eduardo dos Santos é hoje um indivíduo muito apreciado e apoiado pela CIA, precisamente por ser corrupto e ter muitos interesses nos EUA.
    Veja-se a anunciada abertura de uma joalharia de luxo, de Isabel dos Santos em parceria com a empresa dos diamantes de Angola, em Nova Iorque.
    A coerência tem de ser um valor de primeira ordem para quem combate o regime de tipo fascista do clã Dos Santos.
    VERDADE ?

  9. Nkutu Victor Lukoki

    Bom trabalho, nos ajude compreender Angola no seu aspectro integral (dinamico, social, politico e economico). As verdades sobretudo, critica sempre as mentiras, revela tudo.
    Nao se deixa engolir, para nao perder o meu voto de confiaça q deposito ao F8,

  10. Bem haja a sua existência a este país pobre de coração, onde os governantes são ricos de milhões, e os milhões ricos de misérias.
    Vossa, venha o que vier, nos estamos contigo!

  11. Se precisarem de mais um editor imparcial, estou a inteira disponibilidade.

  12. Nzuzi Domingos, Comandante.

    William Tonet, meu irmao e companheiro incansavel da trincheira firme contra o régime dictatorial, nepotista imposta em Angola desde 1975 pelos criolos santolas, caboverdianos e l’isotropie à lista.

    A nossa liberdade sera conquistada, Angola sera livre do régime ditatorial, do nepotismo e da corrupçao institucionalizada. Nada mudou e nada vai mudar com o MPLA na liderança de Angola, o novo governo liderado por Jlo uma fachada pura, a farinha do mesmo saco. Avante Folha 8, o verdadeiro vento da mudança vai soprar em Angola.

    RESISTENCIA AUTOCTONA ANGOLANA.

  13. Nzuzi Domingos, Comandante.

    Imposta em Angola des de 1975 pelos criolos santolas, caboverdianos e lusotropicalistas.

    O novo executivo liderado pour João Lourenço uma pura fachada, a farinha do mesmo saco tudo està na mesma, a estrutura da Segurança Interna e da Inteligencia militar nada mudou, os tubaroes e sanguinarios continua a liderar o sistema para manter Statu Quo no equilibrio.

  14. Pinga Yé Ukuama

    um currículo invejável.
    factos são factos. claro que parece narcisista pq de facto o CV é demasiado bom.
    talvez para agradar a todos o dr. tonet tivesse que corrigir o currículo no sentido de o aldrabar para n parecer tão narcisista… o q seria crime.
    na espanha e na Alemanha têm caído ministros por menos. e na tuga. por retocarem o CV.
    portanto o na altura futuro ex jornalista sr. pungo ya muqyama, talvez devesse reflectir um pouco.

  15. Inocencio

    Wilian Tonet, grande Intelectual Angolano, pessoas do Genero conhecem perfeitamente a Historia do Pais. Recentemente assisti Wilian Tonet na Palanca TV, chorei de tanta emocao, ao ouvir verdade omitida pelo partido no poder MPLA, a anos.

    Que Deus abencoe Wilian Tonet hoje e eternamente. Gostaria de conhece-lo pessoalmente.

  16. David Icuma

    Grande figura. Retrato vivo da real história de Angola como nação livre e autodeterminada.

Leave a Comment