Segundo recentes estatísticas, em cada 10 dirigentes do MPLA, 11 sentem-se superiores aos outros. Como se faz para reconhecer um político do MPLA numa livraria? Ele é o que pede o mapa-mundo de Luanda. Qual é a semelhança entre um político humilde, sério, honesto e o Super-Homem? Nenhum dos dois existe…

Por Norberto Hossi

Política é (ou deveria ser) a ciência da governança de um Estado ou Nação e também – continuamos a teorizar – uma arte de negociação para compatibilizar interesses.

O termo tem origem no grego politiká, uma derivação de polis que designa aquilo que é público e tikós, que se refere ao bem comum de todas as pessoas. O significado de política é muito abrangente e está, em geral, relacionado com aquilo que diz respeito ao espaço público e ao bem dos cidadãos.

O sistema político é uma forma de governo que engloba instituições políticas para supostamente governar uma Nação. Monarquia (tipo MPLA) e República (tipo MPLA) são os sistemas políticos tradicionais. Dentro de cada um desses sistemas podem ainda haver variações significativas ao nível da organização. Por exemplo, o Brasil é uma República Presidencialista, Portugal é uma República Parlamentarista e Angola é uma Re(i)pública Monárquica unipessoal.

Num significado mais abrangente, o termo pode ser utilizado como um conjunto de regras ou normas de uma determinada instituição ou a forma de relacionamento entre diversas pessoas para atingir um objectivo em comum. A política de trabalho de uma empresa, por exemplo, é definida pela sua visão, missão, valores e compromissos com os clientes.

O surgimento da política ocorreu na Grécia Antiga, quando se percebeu a necessidade da criação de regras de funcionamento e de organização das cidades gregas. O primeiro registo deste tipo de organização política aconteceu na cidade de Atenas e este sistema ficou conhecido como “democracia ateniense”.

As primeiras decisões políticas na Grécia foram relativas ao direito ao voto, que era garantido aos homens a partir dos 18 anos, e o direito de participação nas decisões ligadas às cidades.

O filósofo grego Aristóteles deu inúmeras contribuições para a concepção de política, a partir dos seus estudos sobre a organização e o funcionamento das cidades gregas. De acordo com Aristóteles, a função central da política era atender aos interesses dos cidadãos, devendo o interesse de todos ser a prioridade nas decisões tomadas pelo governo. No caso de Angola, qualquer semelhança desta tese de Aristóteles com a realidade nem sequer é mera coincidência…

Um político do MPLA (tipo Norberto Garcia ou João Pinto) estava a ser entrevistado na TPA (também podia ser na TV Zimbo). Perguntaram-lhe:
– Qual é a pessoa que mais admira?
– Deus!
– E porquê?
– Bom, foi Ele quem me criou!

– Qual é a diferença entre os políticos do MPLA e os terroristas?
– Os terroristas têm simpatizantes.

O líder do MPLA ia visitar uma escola em Luvemba (Huambo). O director da escola foi preparar os seus alunos para receberem bem a mais importante figura do país, de África e – quiçá – do Mundo.
– Vocês devem ser educados com o senhor político. Joãozinho, vou-te perguntar o que é os políticos do MPLA são para nós. E tu irás responder que são amigos.
– Não, senhor director! Os políticos do MPLA são nossos irmãos.
– Muito bem, Joãozinho. Mas não é preciso tanto. Diz apenas que são nossos amigos…
– Não e não, os políticos do MPLA são nossos irmãos!
– Tá bom, Joãozinho. Mas porque é que achas que os políticos do MPLA são nossos irmãos e não apenas amigos?
– Porque os amigos a gente pode escolher! Os políticos nós escolhemos uns, mas quem ganha são sempre os outros.

– O que se deve atirar a um político do MPLA que se está a afogar?
– O resto dos membros do seu partido.

– O que é o ego?
– É um pequeno político que vive dentro de cada um de nós.

– Qual é o negócio mais lucrativo do mundo?
– Comprar um político pelo que ele vale e vendê-lo pelo que ele pensa que vale.

O filhote de um político do MPLA fala com o seu pai:
– Papá, quando crescer quero ser como tu.
– Sim? E porquê? – Pergunta o orgulhoso e babado político.
– Para ter um filho como eu.

– Por que é que há tantos partos prematuros entre as famílias dos políticos do MPLA?
– Nem as mães aguentam esses políticos durante 9 meses!

A filha chega a casa em prantos e diz à Mãe:
– Mãe, mãe, fui violada por um político!
– Mas… como sabes que era um político?
– Ele obrigou-me a agradecer.

Nota. Todos os artigos de opinião responsabilizam apenas e só o seu autor, não vinculando o Folha 8.