Portugal garante empréstimo para a base naval do Soyo

O Governo português autorizou a concessão de uma garantia do empréstimo de 252 milhões de euros pela Caixa Geral de Depósitos a Angola, para um contrato de requalificação da base naval do Soyo, atribuída ao grupo Mota-Engil. De acordo com uma resolução do Conselho de Ministros publicada hoje em Diário da República, a garantia foi autorizada “ao abrigo da convenção à cobertura de riscos de crédito à exportação de bens e serviços de origem portuguesa para a República de Angola”. O Conselho de Ministros autorizou assim a concessão de uma…

Leia mais

Mais 355 milhões para a Mota-Engil

A Mota-Engil assinou um contrato em Angola, no valor de 298 milhões de euros (355 milhões de dólares) para a reabilitação e construção de estradas, de acordo com um comunicado hoje publicado. O contrato, assinado pela subsidiária do grupo português em Angola, é uma parceria, em partes iguais, com a empresa angolana Omatapalo e abrange “a reabilitação da EN 230 entre as localidades de Muamussanda na Província da Lunda Norte e Saurimo na Província de Lunda Sul numa extensão de 267 quilómetros”. Além disso, está incluída “a construção da nova…

Leia mais

JLo exonera “irritante”
com a Soares da Costa

A construtora portuguesa Soares da Costa vai retomar a sua participação num consórcio responsável pelas obras de alargamento da rede de abastecimento de água em Luanda, projecto avaliado em 320 milhões de euros, segundo um despacho presidencial. No despacho, de 3 de Junho, o Presidente João Lourenço revogou, “com efeitos repristinatórios” (vigorar de novo, restaurar a forma ou o aspecto primitivos) os despachos assinados em Julho de 2017 pelo seu antecessor, José Eduardo dos Santos, que aprovaram a “cessão da posição contratual e respectivas responsabilidades” por parte da Soares da…

Leia mais

Luanda terá mais encanto
ao som de Gilbert Bécaud!

O governador provincial de Luanda, Adriano Mendes de Carvalho, solicitou uma intervenção urgente na requalificação das vias secundarias e terciárias da cidade, a um grupo de empresários franceses que termina sexta-feira uma visita de quatro dias a Angola, realizada em resposta a um convite ao investimento formulado em Paris pelo Presidente da República do MPLA, João Lourenço, há pouco mais de uma semana. Por Orlando Castro Adriano Mendes de Carvalho apontou, segundo o jornal da Angola do MPLA, a necessidade de operações sobre as redes de saneamento básico, bem como…

Leia mais

Cólera, Zika… Mota-Engil

As autoridades de saúde angolanas registaram nas últimas semanas pelo menos dois casos de infecção com o vírus Zika, passando o país a estar em vigilância epidemiológica. Por outro lado, um surto de cólera no município do Soyo, província do Zaire, provocou desde Dezembro 92 casos suspeitos e cinco mortos. E assim vai o reino. De acordo com fonte da Direcção Nacional de Saúde Pública, o primeiro caso de infecção com o Zika registou-se com um cidadão francês, que apresentou os primeiros sintomas no final de 2016. “O Governo francês…

Leia mais

Mota-Engil até tenta reabilitar o Pravda

A construtora de origem portuguesa Mota-Engil vai encaixar mais de 178 milhões de euros na reabilitação de uma via estruturante da província de Luanda. É a mesma Mota-Engil que, no dia 25 de Dezembro de 2016, mereceu do director do Jornal de Angola, órgão oficial do regime, a seguinte definição e enquadramento: “Nestes tempos, as punhaladas portuguesas não se limitam à Assembleia a República. No ano de 2015, de grande significado para os angolanos, a empresa lusa Mota-Engil foi contratada para reabilitar todos os passeios e ruas da cidade de…

Leia mais

O crime da Mota-Engil

Entendamo-nos. Tudo o que de errado se passa em Angola foi, é e será culpa dos portugueses. A independência poderia ter chegado há 500 anos mas só chegou há 41. A culpa é dos portugueses. José Eduardo dos Santos poderia ser branco, mas não é. A culpa é dos portugueses. Angola poderia ser um dos países menos corruptos do mundo, mas não é. A culpa é dos portugueses. Por Orlando Castro E, já agora, sou angolano mas poderia ser sueco. E de quem é a culpa? Sou branco mas poderia…

Leia mais

Paulo Portas, o amigo do MPLA e da miséria angolana

A Mota-Engil é uma das empresas com mais negócios e interesses estratégicos em Angola. De uma forma sumária, explica-se, assim, a influência que tem, hoje, Paulo Portas em Angola, o seu convite para o Congresso e a sua cumplicidade com o MPLA. Por Rafael Pinheiro No último congresso organizado pelo Movimento Pela Libertação de Angola, partido que governa o país deste 1975, marcaram presença quatro dos maiores partidos portugueses: o PS, o PSD, o CDS-PP e o PCP. Paulo Portas, ex-vice primeiro ministro de Portugal, também esteve presente, a título…

Leia mais

Reabilitação da barragem do Calueque quase concluída

A reabilitação da barragem do Calueque, que começou a ser construída no final do período colonial português, deverá ficar concluída este ano, informou o consórcio liderado pela Mota-Engil. A lém daquela construtora, responsável pelos trabalhos de construção civil e instalações electromecânicas, a obra de reabilitação e alargamento da barragem, no rio Cunene, envolve ainda a empresa Lyon. Com vista à construção de uma estação elevatória e respectivas condutas para o abastecimento de água e desenvolvimento do perímetro irrigado do Calueque, este contrato foi alvo de uma adenda, aprovada por despacho…

Leia mais

Mota-Engil África cotada numa bolsa europeia ainda este ano

Mota-Engil África

A Mota-Engil África ficará cotada “numa bolsa europeia” ainda este ano, mas a dispersão de capital só deverá acontecer em 2015, revelou hoje o presidente do grupo. O”aumento do ‘free float’ (dispersão de acções) não vai acontecer provavelmente este ano, provavelmente acontecerá no próximo ano, numa bolsa europeia, conforme está dito no documento inicial”, afirmou António Mota à margem da conferência “Empresas na Caixa”, promovida hoje no Porto pela Caixa Geral de Depósitos. Conforme explicou, no final de 2013 foi distribuído aos accionistas da Mota-Engil SGPS 20% do capital da…

Leia mais