MONTENEGRO TEM A BÊNÇÃO DE JOÃO

O Presidente angolano (não nominalmente eleito), general João Lourenço, falou hoje ao telefone com o primeiro-ministro português, Luís Montenegro, sobre as “perspectivas da cooperação bilateral”. Como habitualmente, participaram na conversa o Presidente do MPLA, o Titular do Poder Executivo e o Comandante-em-Chefe das Forças Armadas. m Março, João Lourenço já havia felicitado Luís Montenegro, em funções desde 2 de Abril, desejando-lhe “êxito” e “bom desempenho” nas novas funções. O chefe de Estado angolano, numa curta mensagem, na ocasião, felicitou Luís Montenegro pela indigitação para o cargo na sequência da vitória…

Leia mais

CONTRA O RACISMO E A XENOFOBIA, NÃO DESMOBILIZAMOS!

«Exmo. Sr. Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, Exmo. Sr. Presidente do Tribunal Constitucional, José João Abrantes, Exma. Sra. Procuradora-Geral da República, Lucília Gago Exmo. Sr. Presidente da Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial, José Reis, Exma. Sra. Presidente do Observatório do Racismo e Xenofobia, Teresa Pizarro Beleza Exmo. Sr. Presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira, Exmo. Sr. Comandante da Polícia de Segurança Pública do Porto, Pedro Neto Gouveia. a madrugada de 17 de março de 2024, foi agredido Ademir Araújo Moreno, homem cabo-verdiano…

Leia mais

“A CHINA PELO MENOS NOS SUSTENTA”

“A China pelo menos sustenta-nos por via do comércio e indústria, faz-nos kilape, dá-nos emprego por via do ramo da construção civil”, consideração o jornalista e militante do MPLA, João Walter dos Santos, que aconselha o líder do seu partido, João Lourenço, a repensar, enquanto Presidente da República, as relações bilaterais com o Brasil e Portugal que para si, o primeiro “só nos traz o sotaque e a Igreja Universal do Reino de Deus para nos empobrecer cada vez mais, porquanto o segundo, que, não querendo largar a sua ex-colónia,…

Leia mais

UMA GREVE (QUASE) GERAL

O Sindicato dos Jornalistas de Portugal convocou para hoje uma greve geral de 24 horas, contra “os baixos salários, a precariedade e a degradação acentuada das condições de exercício de jornalismo”. O Folha 8 manifesta (não esquecendo que às vezes a reciprocidade dava jeito) a sua solidariedade com os jornalistas portugueses. Por Jornal Folha 8 este propósito, repristinamos o artigo “O jornalismo (ainda) existe!”, publicado no Folha 8 no dia 15 de Julho de 2016: «Em Portugal, por exemplo, ninguém noticia o desaparecimento, nos últimos anos, de centenas de jornalistas…

Leia mais

VÍTOR GASPAR, O ESPELHO DO FMI

Como o Folha 8 ontem deu conta, o Fórum Orçamental Africano, organizado pelo Fundo Monetário, foi aberto pelo antigo ministro das Finanças de Portugal e director do departamento orçamental do FMI, Vítor Gaspar. A ministra das Finanças de Angola, Vera Daves de Sousa, que participou no evento, não poderia estar mais mal acompanhada. Por Orlando Castro m Abril de 2012, o ministro das Finanças de Portugal admitiu, embora e mais uma vez em câmara lenta, “um lapso” ao ter dito em entrevista à RTP que a suspensão dos subsídios de…

Leia mais

DE 0 A 20 – PARTIDOS PORTUGUESES: 0

Durante a campanha eleitoral em Portugal, alguém ouviu Nuno Pedro Santos (PS), Luís Montenegro (PSD), André Ventura (Chega), Rui Rocha (Iniciativa Liberal), Mariana Mortágua (Bloco de Esquerda), Paulo Raimundo (PCP), Rui Tavares (Livre) e Inês Sousa Real (PAN) dizer que 68% da população angolana é afectada pela pobreza, que a taxa de mortalidade infantil é das mais alta do mundo, com 250 mortes por cada 1.000 crianças? Alguém os ouviu dizer que apenas 38% da população angolana tem acesso a água potável e somente 44% dispõe de saneamento básico? Alguém…

Leia mais

O MPLA E OS PARTIDOS PORTUGUESES

O reforço da cooperação com os partidos portugueses no domínio da formação, troca de experiência e do fortalecimento dos laços de amizades consta nas prioridades do MPLA, afirmou, em Lisboa, o secretário do Bureau Politico para Organização e Inserção na Sociedade, Gonçalves Muandumba. Por Orlando Castro e acordo com a Angop, o político fez esta afirmação à margem de um encontro com a direcção do Partido Comunista Português (PCP), no âmbito de uma visita de trabalho de uma delegação do MPLA a Portugal. De acordo com Gonçalves Muandumba, as relações…

Leia mais

HÁ MÁFIAS (BEM) MAIS PERIGOSAS

Como se sabe, em 2011 o então primeiro-ministro de Portugal e “angolano” de nascimento, Pedro Passos Coelho veio a Luanda para vender as empresas públicas portuguesas. Escolheu, e bem, um dos mais ricos países africanos, que, sendo um dos maiores exportadores de petróleo do Mundo, permanecia (e por lá continua) em 148º lugar no Índice de Desenvolvimento Humano e com dois terços da sua população a viver na pobreza. s crimes de sangue e económicos fazem parte da natureza da cúpula mafiosa que dominava e domina os negócios em Angola…

Leia mais

A QUADRATURA DO CÍRCULO DO LÍDER DO MPLA

O Presidente angolano, general João Lourenço, em total sintonia com o Presidente do MPLA, com o Titular do Poder Executivo e com o Comandante-em-Chefe das (ditas apartidárias) Forças Armadas, descobriu a quadratura do círculo ao dizer que Angola (desgovernada pelo MPLA desde a independência) fez mais em quase 50 anos de independência, do que o governo colonial português fez em 500 anos. ue João Lourenço não sabe o que diz deixou há muito de ser novidade. Assim, damos uma ajuda ao Presidente do MPLA no sentido de mostrar a sua…

Leia mais

QUEM DEFENDE CABINDA É… TERRORISTA?

O Tratado de Simulambuco foi um tratado que selou a criação de um protectorado de Cabinda, assinado pelo representante do governo português Guilherme Augusto de Brito Capello, então capitão tenente da Armada e comandante da corveta Rainha de Portugal, e pelos príncipes, chefes e oficiais do Reino de Angoio, em 1 de Fevereiro de 1885. um contexto colonial em que Portugal aparecia como mal menor entre todos os que queriam ser donos da Cabinda, os cabindas optaram por negociar com os portugueses, acreditando que a sua segurança e autonomia sairiam…

Leia mais