PAÍS DO RETROCESSO E DAS CONSTANTES VIOLAÇÕES À CONSTITUIÇÃO

O candidato eleito pela força e vontade dos eleitores, passou de vencedor a derrotado e, este, com a força das armas e a domesticação canina das instituições do Estado (do partido), converteu-se, solenemente, em vencedor. Esta é a realidade de Angola: 24 de Agosto 2022! Por William Tonet O sonho de alternância para uma maioria, foi assassinado. A esperança de mudança, aprisionada, ainda visualizou as ruas para se libertar das grilhetas monocráticas, exigir justiça republicana e impedir a manutenção no poder de quem não tem higiene intelectual para confrontar as…

Leia mais

ANGOLA JAMAIS SERÁ IGUAL AO PASSADO

O povo gritou. Ontem! O eco, ecoou, por vales e montanhas, sanzalas, bwalas e nos imensos carreiros da anatomia territorial. Nós, nós, povos deste torrão, queremos verdade eleitoral! Mudança! Não pedimos muito, apenas o justo. E o justo passou pela pureza da estratégia do soberano: votou, sentou… Inovadoríssima! Por William Tonet Mas, quando se esperava consenso de todas as hostes, eis o desfraldar do lençol da mentira, convertido num quilométrico eixo do mal. Desembainharam argumentos estapafúrdios, armas e baionetas. Colonizaram a comunicação social pública e converteram os autóctones com coluna…

Leia mais

RAZÃO DA FORÇA PARA ASSASSINAR (PELO MENOS) A VERDADE

A maioria dos observadores internacionais, poucos, por sinal, melhor, pouquíssimos, bons excluindo os “observadores empresários consideraram o sistema eleitoral de Angola, ruim. Eivado de uma enormidade de vícios insanáveis incompatíveis com os procedimentos. Por William Tonet A CNE é vista como um antro onde muitos “abutres vão debicar o seu pedaço”, a citação de Agostinho Neto é hoje a mais completa referência, que se pode ter do MPLA. Os abutres têm nome e rosto: MPLA. Um verdadeiro polvo partidocrata e corrupto que coloniza os actos, os procedimentos administrativos, financeiros e…

Leia mais

JÚ, O COVEIRO DE SERVIÇO

Hoje, mais do que ontem, percebo as razões pelas quais nos mataram, prenderam e denegaram justiça, ao longo de 47 anos, principalmente, no 27 de Maio de 1977, onde o MPLA e Agostinho Neto se convenceram ser os donos de Angola e dos angolanos, ao cometerem um dos maiores crimes de genocídio do mundo, com o fuzilamento. Por William Tonet O membro do bureau político e secretário para os Assuntos Políticos e Eleitorais do MPLA, João Almeida Martins, mais conhecido por Jú Martins extravasou os limites do bom senso, ao…

Leia mais

REGABOFE DOS (ACTUAIS) DIRIGENTES DO MPLA

É triste a imagem que o MPLA, mais uma vez, dá ao mundo, sobre a baixa consistência intelectual dos seus dirigentes, fruto do regabofe que os opõe aos filhos de José Eduardo dos Santos, exilados, ante a perseguição de uma justiça selectiva. O Titular do Poder Executivo, marca as honrarias fúnebres. Os filhos exigem uma autópsia (já autorizada pelas autoridades espanholas), por suspeição do cometimento de ilícitos criminais. E, na esquina do confronto, interpuseram uma providência cautelar de não “libertação” do corpo. O kizangu está rijo. Por William Tonet O…

Leia mais

CONFRONTAÇÃO SOCIAL E BÉLICA PÓS ELEITORAL ESTÁ NO HORIZONTE

A linguagem é pobre. Violenta! Do pedestal da mais alta magistratura do país não se vê a higiene intelectual, nem a purificação da transparência de um ar, cada vez mais putrefacto, nas nuvens da suspeição de uma grandiosa e antecipada fraude, assente “na lógica da batata, sob a lei da batota”. Por William Tonet Angola, infelizmente, para desgraça da maioria dos povos, quando um candidato conta com a cumplicidade abjecta e criminosa, para subverter o resultado eleitoral, estamos diante de um verdadeiro crime eleitoral. O Presidente de Portugal, Marcelo Rebelo…

Leia mais

ESTÁ CONFIRMADA A FRAUDE ELEITORAL

Os números não deixam de surpreender. São milhares? Não! Milhões! O MAT, mancomunado com os SME, Polícia Guarda Fronteira, vão escancarar as fronteiras de Angola com os países vizinhos, para entrarem “falsos” cidadãos, autênticos mercenários eleitorais, vindos das República Democrática do Congo, República do Congo, Mali, Eritreia, Etiópia, Guiné Conacri, São Tomé, que entrarão pelas províncias do Uíge, Cabinda, Zaire, Lundas Norte e Sul, Moxico. Por William Tonet Os locais onde antes haviam controlos policiais foram levantados e a entrada é como o deslize de faca quente em manteiga mole.…

Leia mais

O CASTELO ESTÁ A RUIR E O REGIME UTILIZA ARMAS BÉLICAS

Os angolanos estão a ser confrontados com quatro das espécies mais perniciosas do planeta: o sabujo; o “buçalogo”, o partidocrata e o “perfeito”. Elas poderão, num curto espaço de tempo, levar o país para a derrocada, accionando o botão militar, por perca de controlo e incompetência do auto-denominado perfeito. Essa tribo, sedenta de poder, em desespero de causa, não se importa(rá) em navegar, nos rios de sangue, para continuar no leme de um barco onde a maioria dos marinheiros a rejeita, face à má navegação. Por William Tonet O cenário…

Leia mais

LOURENÇO EM TOM MUSCULADO PROÍBE PUBLICAÇÃO DAS LISTAS ELEITORAIS

Os angolanos ainda estão distantes de poderem ouvir e ver dirigentes verdadeiramente comprometidos com os princípios da humildade, conciliação e ética republicana, principalmente, quando muitos emergem ao cadeirão máximo das organizações, sem escrutínio das bases políticas ou de cidadania. Por William Tonet A maioria dos angolanos vive, desde 1975, com uma tribo dirigente cuja “constituição mental” de viés ditatorial, está longe de, em pleno século XXI, navegar em oceanos democráticos. A lógica da batata na lei da batota, continua a ser a fraude de cada dia, do regime e, neste…

Leia mais

POLÍCIA (DO MPLA) ESPECIALIZA-SE EM MATAR

Os sinais estão aí. De violência em violência, até à violência final! Esta parece ser a marca identitária do MPLA: sangue, mortes, luto e dor. O povo que se dane, por o poder ser, para o MPLA, mais importante do que a vida humana. Por William Tonet A Polícia Nacional (do MPLA), desta vez, ao serviço da máfia chinesa, assassinou, covardemente, no 26 de Maio de 2022, três trabalhadores angolanos, que apenas reclamavam por melhores condições laborais, na obra de construção da barragem de Caculo Cabaça, onde os salários são…

Leia mais