PAZ. ENTRE 163, MOÇAMBIQUE ESTÁ EM 122 E ANGOLA EM 78

Moçambique teve uma das maiores quedas no Índice Global de Paz, para a 122.ª posição em 163 países, devido ao terrorismo no país, enquanto Angola escalou 14 lugares, para 78.º, de acordo com o relatório agora publicado pelo Instituto de Economia e Paz (IEP). Ambos têm na governação os mesmos partidos desde a independência. FRELIMO e MPLA. Moçambique caiu 11 lugares, a segunda queda mais alta no indicador de protecção e segurança, atrás apenas da Ucrânia, devido ao conflito no país com grupos terroristas, refere a análise do Instituto de…

Leia mais

TERRORISTAS SÓ O SÃO ATÉ CHEGAREM AO PODER

João Lourenço, presidente angolano não nominalmente eleito, presidente do MPLA (partido no poder há 46 anos), Titular do Poder Executivo e Comandante-em-Chefe das Força Armadas apelou hoje à mobilização dos países africanos contra o terrorismo, sem ambiguidades nem hesitações e à condenação firme das mudanças anticonstitucionais de Governos em África para que não adquiram “um carácter de normalidade”. João Lourenço discursava na Cimeira sobre o Terrorismo e as Mudanças Inconstitucionais de Governo em África, que decorre em Malabo, capital da Guiné Equatorial (cujo presidente chegou ao poder via golpe de…

Leia mais

TAMBÉM HÁ GUERRAS EM ÁFRICA

Em Agosto de 2008, Omar al-Bashir, o “democrata” presidente do Sudão, responsável pelo genocídio em Darfur (qualquer coisa como 300 mil mortos), escreveu ao seu homólogo angolano, José Eduardo dos Santos, pedindo a ajuda de Luanda (do Governo, do MPLA, tanto faz) para que fossem suspensas as iniciativas que visavam pôr no terreno o mandato de captura emitido pelo Tribunal Penal Internacional (TPI) contra si. Foi simpático que Omar al-Bashir tenha pedido ajuda ao seu homólogo e amigo líder do MPLA e, na altura, dono de Angola que não regateou…

Leia mais

PERDER UM OLHO OU OS DOIS?

Foi a 19 de Agosto de 2003 que Sérgio Vieira de Mello foi assassinado em Bagdade (Iraque). Foi um dos poucos bons exemplos dos que, ao serviço da ONU, trabalharam para os milhões que têm pouco, ou nada. Foi isso que fez, entre outros locais, no Bangladesh, Líbano, Moçambique e Timor-Leste. Por Orlando Castro Tivesse preferido trabalhar para os poucos que têm milhões e estaria, certamente, a apanhar banhos de sol num qualquer paraíso. O que se passou, o que se passa e o que se passará nos nas terras…

Leia mais

GUERRA NA UCRÂNIA “CHEGA” A ÁFRICA

O conselheiro do Departamento Africano do Fundo Monetário Internacional (FMI), Alex Segura, disse hoje em declarações à Lusa que o impacto da guerra na Ucrânia é “muito negativo e muito grave em África”, devido às vulnerabilidades já existentes. No dia do lançamento do relatório sobre as Perspectivas, Alex Segura afirmou que “o impacto em África da guerra na Ucrânia é muito negativo, é muito grave, porque os países de baixo rendimento já tinham mecanismos mais limitados para lutar contra a pandemia de Covid-19, e tiveram um choque importante, com mecanismos…

Leia mais

EFEITOS DA GUERRA NA UCRÂNIA EM ÁFRICA

“Podemos continuar como de costume, fingindo que nada mudou na cena internacional, após a criminosa invasão russa da Ucrânia, ou podemos passar da mera condenação verbal para actos concretos na próxima Assembleia Parlamentar Paritária entre África, Caraíbas, Estados do Pacífico e a União Europeia. Por Carlos Zorrinho (*) Quer queiramos quer não, a próxima Assembleia ACP-UE, que se inicia em Estrasburgo na sexta-feira 1 de Abril, enfrentará um dilema crucial: se vamos transformar o multilateralismo num mero exercício dialéctico, deixando as decisões cruciais para as relações de poder entre Estados,…

Leia mais

DO PUTIN COM AMOR (E ARMAS)

A Rússia vai continuar a expandir a sua influência junto dos parceiros africanos, procurando maximizar apoios em países como Angola, que, no entanto, mantém portas abertas no mundo ocidental, estima Joseph Siegle, analista do Centro Africano de Estudos Estratégicos (CAEE). “Vamos continuar a ver a Rússia a expandir a sua influência em África porque encontra aí parceiros disponíveis, estando mais isolada a Rússia vai tentar maximizar todos os apoios que conseguir”, disse Joseph Siegle, responsável do programa de pesquisa do CAEE, instituição ligada ao Departamento de Defesa norte-americano e direccionada…

Leia mais

A INSPIRAÇÃO CABO-VERDIANA

O Presidente angolano, João Lourenço, recebeu hoje as chaves do município da ilha de São Vicente, que visitou pela primeira vez, assumindo, no dia mais descontraído da visita de Estado a Cabo Verde, que foi “pagar a dívida”. E, curiosamente, nesta visita teve tempo, engenho e arte para falar da invasão da Ucrânia pela Rússia e apontar soluções tanto para a Europa como para África. Só ficou a faltar (tanto quanto se sabe) ter escrito um poema… “Mas como é que é que eu podia vir a São Vicente se…

Leia mais

SANÇÕES JÁ AFECTAM O VTB ÁFRICA EM ANGOLA

O Banco VTB África, com cerca de 4.000 clientes, dos quais 450 empresas, incluindo várias do sector mineiro, recomenda que estes se abstenham de realizar operações e pagamentos em dólares e euros através desta instituição bancária em Angola. Numa nota dirigida aos clientes, o presidente do Conselho de Administração do VTB África, Igor Skvortsov, sublinha que por fazer parte do grupo bancário internacional russo VTB, a instituição de direito angolano foi igualmente afectada pelas sanções. A recomendação do VTB África para os seus clientes vai no sentido de se absterem…

Leia mais

BESTIAL HOJE, BESTA AMANHÃ

O investigador Fernando Jorge Cardoso defende que, “a muito curto prazo”, os países africanos (no caso dos lusófonos o destaque vai para os dois que são governados pelos mesmos partidos desde a independência, Angola e Moçambique) que não se pronunciaram sobre a invasão da Ucrânia na ONU irão tomar posição contra a Rússia, porque “vão entrar em causa os interesses”. “A muito curto prazo, vão ter de se definir posicionamentos em termos das organizações multilaterais, em particular nas Nações Unidas, e aí o número de abstenções vai ser menor porque…

Leia mais