AS QUATRO MULHERES & OS ANTI-CORPOS DA DEMOCRACIA

O Presidente do MPLA, actualmente a navegar nos mares espanhóis, nunca como agora se deu conta de o tempo não ser fêmea… Melhor, não se reproduz, principalmente, quando ao longo da caminhada se cometem erros crassos. O tempo, fundamentalmente o político, corria, velozmente, para o “porto cardeal”: 2022 (-2017) e ante a truculência do timoneiro, despida de humildade, sabedoria, inteligência e espírito de conciliação ao longo dos cinco anos, foi de derrota em derrota até a derrota final: 240822! Por William Tonet A máquina informática da mercenária INDRA (empresa espanhola…

Leia mais

A POLITIZAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

Com a nomeação do novo executivo por parte do Presidente da República ficou evidente que continuamos (ainda) com a politização da administração pública ou simplesmente DEMOCRACIA PARTIDÁRIA, entendida como gestão pública (negócios) a partir dos interesses “particulares” dos partidos políticos. Se a principal empresa do país, que é o Estado, não funcionar e também for politizada, nenhuma empresa do país terá sucesso, e o próprio país não progredirá como poderia. Assim teremos sempre desempregados e pobreza. Por Adão Xirimbimbi AGX Jurista e Investigador A Administração Pública angolana é ineficiente devido…

Leia mais

ANGOLA JAMAIS SERÁ IGUAL AO PASSADO

O povo gritou. Ontem! O eco, ecoou, por vales e montanhas, sanzalas, bwalas e nos imensos carreiros da anatomia territorial. Nós, nós, povos deste torrão, queremos verdade eleitoral! Mudança! Não pedimos muito, apenas o justo. E o justo passou pela pureza da estratégia do soberano: votou, sentou… Inovadoríssima! Por William Tonet Mas, quando se esperava consenso de todas as hostes, eis o desfraldar do lençol da mentira, convertido num quilométrico eixo do mal. Desembainharam argumentos estapafúrdios, armas e baionetas. Colonizaram a comunicação social pública e converteram os autóctones com coluna…

Leia mais

DEMOCRACIA? ONDE? ONDE?

Os partidos políticos estão para as democracias (quando estas existem) como o sangue está para o corpo humano (quando este está vivo), razão pela qual o funcionamento organizado e com elevado sentido de Estado dos partidos constitui um ganho inestimável… nas democracias. Como em Angola não existe democracia, este texto não se lhe aplica. Por Orlando Castro Numa altura em que, supostamente, Angola realização eleições no dia 24 de Agosto, não há dúvidas de que urge enaltecer uma coexistência política pacífica, deste que os subalternos não ponham em dúvida a…

Leia mais

O VOTO FOI A ARMA DO POVO

Os líderes das formações concorrentes às eleições de hoje em Angola, e com assento no parlamento eleito em 2017, destacaram na hora de votar a importância da votação, mas reiteraram críticas ao processo. O destaque à importância da votação foi a única coincidência nas declarações feitas por cada um, tendo Adalberto da Costa Júnior, líder da UNITA e principal adversário político de João Lourenço, presidente do MPLA e candidato ao segundo mandato na chefia do Estado, voltado a criticar a organização do processo eleitoral. Depois de votar no bairro 28…

Leia mais

DEMOCRACIA? UM DIA… TALVEZ!

Enquanto membros da sociedade civil angolana (julgando estar num Estado de Direito Democrático) deram entrada hoje de uma acção popular junto do Tribunal Supremo (TS) angolano contra o Presidente da República e os órgãos de informação públicos, pela “falta de isenção e tratamento desigual” dos partidos políticos, a Assembleia Nacional (do MPLA) já tratou das reservas nos melhores hotéis do reino para alojar os 50 observadores internacionais dos países-membros da CPLP e da SADC. A acção popular, subscrita por 57 membros da sociedade civil, afectos a várias organizações cívicas, foi…

Leia mais

MINHA CONSCIÊNCIA E MEU VOTO, ESSÊNCIA DE BEM-COMUM

A história de Angola é muitas vezes confundida com a sua história política o que leva em certas vezes e medidas a exageros para o bem ou para o mal a omissão de factos que se julgarão amanhã de uma extrema relevância para o nosso acervo cultural, pois, Angola enquanto território ou espaço geográfico não começa aos 11 de Novembro de 1975, não. Por Délcio Faray Muntu Jah Bless (Mano Consciência) É importante, que os cultores das mais variadas áreas do saber desde filosofia as artes, de consciência pura se…

Leia mais

QUEM NÃO CONDENA O AGRESSOR CONDENA O POVO

O presidente do Observatório Eleitoral Angolano, Gabriel Mbilingi, considerou hoje inconveniente a realização de acções eleitorais nos mesmos dias pelas principais forças políticas do país concorrentes às eleições gerais de 24 de Agosto. Ao culpar os angolanos de matumbez eleitoral, Gabriel Mbilingi esquece-se que não foi o Povo que, por exemplo, falou de festejar com uma cabidela de galo negro… ou branco. Segundo Gabriel Mbilingi, que falava à saída de um encontro com a presidente da sucursal do MPLA para assuntos constitucionais, o Tribunal Constitucional, Laurinda Cardoso, o cidadão angolano…

Leia mais

O QUE É QUE O BRASIL TEM E ANGOLA NÃO?

O plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) do Brasil elegeu por unanimidade o juiz Alexandre de Moraes como presidente a partir de Agosto, antes das eleições presidenciais do país, que serão disputadas em Outubro. O juiz também ocupa uma cadeira no Supremo Tribunal Federal, onde é relator de vários inquéritos que envolvem o Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro. A sua actuação como juiz nestes inquéritos, que desagradam ao chefe de Estado, já motivaram uma tentativa de destituí-lo promovida por Jair Bolsonaro, mas que não obteve sucesso. Alexandre Moraes, que actuou como…

Leia mais

LOURENÇO EM TOM MUSCULADO PROÍBE PUBLICAÇÃO DAS LISTAS ELEITORAIS

Os angolanos ainda estão distantes de poderem ouvir e ver dirigentes verdadeiramente comprometidos com os princípios da humildade, conciliação e ética republicana, principalmente, quando muitos emergem ao cadeirão máximo das organizações, sem escrutínio das bases políticas ou de cidadania. Por William Tonet A maioria dos angolanos vive, desde 1975, com uma tribo dirigente cuja “constituição mental” de viés ditatorial, está longe de, em pleno século XXI, navegar em oceanos democráticos. A lógica da batata na lei da batota, continua a ser a fraude de cada dia, do regime e, neste…

Leia mais