A EDUCAÇÃO PATRIÓTICA DA PGR E DA CNE

A Procuradoria-Geral da República (PGR) angolana “está a monitorar o país” e tem registado crimes eleitorais, nomeadamente “furto de bandeiras e queima de material de propaganda” de diversos partidos, que têm merecido resposta dos órgãos judiciais, disse fonte oficial. Segundo o vice-procurador-geral, Mota Liz, a PGR tem estado a monitorar o país em relação à prática de determinados crimes, sobretudo nesta fase de campanha eleitoral, e o “furto de bandeiras e a queima de material de propaganda” dos partidos lideram as ocorrências. “Além de outros crimes que têm estado a…

Leia mais

ESPERANÇA DE VIDA CRESCE… MAS POUCO

A esperança de vida saudável em África cresceu 10 anos na última década, excedendo a média global e o progresso em qualquer outra região nesse período, anunciou hoje o escritório da Organização Mundial de Saúde (OMS) em África. A esperança de vida saudável na região “aumentou quase 10 anos, situando-se em 56 anos em 2019, em comparação com 46 anos no ano 2000”, disse a directora regional assistente da OMS África, Lindiwe Makubalo, citando o novo relatório da OMS sobre o Estado da Saúde em África. O ganho excede a…

Leia mais

… E A CULPA É, SÓ PODE SER, DA UNITA!

A organização que promoveu a passeata de motoqueiros em Luanda de apoios ao MPLA e que terminou, no sábado, com actos de vandalismo, garante que as promessas de gratificação foram cumpridas e aponta “infiltrados” como causadores dos distúrbios. É o habitual. No passado sábado, cerca de 14 mil motoqueiros foram recrutados para uma passeata em Luanda, a fim de “enaltecer os feitos do Presidente João Lourenço”, uma iniciativa que acabou por ficar marcada por distúrbios em vários pontos da cidade, incluindo a zona turística da Ilha do Cabo e as…

Leia mais

CONCERTAÇÃO SOCIAL? GOVERNO NÃO TEVE TEMPO!

O Conselho Nacional de Concertação Social angolano não se reuniu nos últimos cinco anos, condição que viola a Convecção 144 ratificada pelo Governo angolano e preocupa os seus membros por falta de informação sobre as políticas sociais. Querem ver que ainda há quem julgue que Angola é um Estado de Direito? Em declarações à Lusa, o secretário-geral da Confederação Geral dos Sindicatos Independentes e Livres de Angola (CGSILA) referiu desconhecer os motivos que levaram a não se realizar qualquer reunião entre 2017 e 2022, frisando que as questões do país…

Leia mais

FUNERAL (DIGNO) SIM… DEPOIS DAS ELEIÇÕES

Os filhos mais velhos do ex-Presidente angolano, José Eduardo dos Santos, comprometem-se a colaborar na realização de um funeral nacional, mas só após as eleições de 24 de Agosto e pedem um mausoléu para acolher os restos mortais. Numa carta subscrita por cinco dos seus descendentes (Isabel, José Filomeno “Zenu”, Welwitschea “Tchizé”, Joess e José Eduardo Paulino “Coreon Dú”), os filhos do antigo Presidente da República expressam “profunda gratidão ao povo de Angola” e a todos os que partilham a sua tristeza, pedindo respeito pelo luto. “Seja qual for o…

Leia mais

MORTE NATURAL, MAS…

O resultado preliminar da autópsia feita, em Espanha, ao antigo Presidente de Angola, José Eduardo dos Santos, aponta para uma morte por causas naturais, mas defende a necessidade de mais exames, disse uma fonte judicial. Os resultados preliminares da autópsia feita a José Eduardo dos Santos durante o fim-de-semana mostram uma “insuficiência cardíaca” e uma grande infecção pulmonar, mas no relatório entregue à família salienta-se que é preciso complementar esta primeira informação com mais exames antes de uma conclusão definitiva, explicou a fonte judicial. O resultado preliminar afasta, pelo menos…

Leia mais

VELÓRIO SEM CORPO NÃO É VELÓRIO

Velório significa “vigília feita a um defunto”. Não havendo defunto, mas apenas uma fotografia dele, não há velório. Existe, apenas, uma cerimónia fúnebre. Foi isso que hoje aconteceu em relação a José Eduardo dos Santos, ex-presidente angolano, que morreu na sexta-feira em Barcelona, e que decorreu em Luanda num ambiente contido, na presença de centenas de militantes do MPLA, fiéis de igrejas e alguns anónimos. Depois da cerimónia institucional de hoje de manhã, em que o Presidente da República, João Lourenço, prestou homenagem ao seu antecessor, as portas do Memorial…

Leia mais

MORREU? ENTÃO É… BESTIAL

“Creio bem que, na ‘contabilidade política’ geral de uma Angola, de nascente independência, assoberbada por muitos anos de guerra e destruição, José Eduardo dos Santos teve um papel de relevante importância, que é justo reconhecer”, afirmou o ex-Presidente da República português, Ramalho Eanes. O antigo chefe de Estado português Ramalho Eanes afirmou este sábado que Angola muito fica a dever ao ex-presidente José Eduardo dos Santos, falecido na sexta-feira, pelo seu papel de “relevante importância” num país recém-independente, “assoberbado” por anos de “guerra e destruição”. O general António Ramalho Eanes…

Leia mais

MORREU JOSÉ EDUARDO DOS SANTOS

Morreu esta sexta-feira José Eduardo dos Santos, antigo Presidente de Angola, a poucos meses de completar 80 anos. Recorde-se o ex-governante encontrava-se internado nos cuidados intensivos numa clínica de Barcelona. Até 2017, o Presidente da República, líder absoluto do MPLA, Titular do Poder Executivo, Comandante em Chefe das Forças Armadas, José Eduardo dos Santos tinha tudo para, ao fim de 38 anos de poder absoluto e absolutista (despotismo, tirania, autocracia) sair menos beliscado ou até, com alguma ousadia e mestria, ganhar na recta final o que não conseguiu ao longo…

Leia mais

ACÇÕES DE MACUMBA (NO PARLAMENTO) A FAVOR DO MPLA

O Partido de Renovação Social (PRS), oposição angolana, condenou e considerou hoje “um grande erro” a realização de orações na sala principal do plenário da Assembleia Nacional (parlamento), exortando a direcção o órgão legislativo a “pedir desculpas”. A UNITA já tinha afirmado o mesmo. O MPLA recorre a tudo, incluindo à macumba, para reverter o perigo da derrota. Se não resultar… entram em cena as Kalashnikov? “Com certeza é necessário que a direcção do parlamento se pronuncie a pedir desculpas porque foi um grande erro ser permitido que se fizessem…

Leia mais