De Espanha a Marrocos, de Portugal a… Cabinda

A Câmara dos Representantes de Marrocos condenou a moção aprovada pelo Parlamento Europeu (PE) na quinta-feira a rejeitar a estratégia do Governo de Rabat na recente crise migratória em Ceuta e reforçou o estatuto do enclave espanhol como “cidade marroquina ocupada.” Com o Saara Ocidental em cima da mesa, importa realçar que também Cabinda é um território ocupado… Num comunicado divulgado após uma reunião de emergência realizada na quinta-feira, a câmara baixa do Parlamento marroquino denunciou as “segundas intenções” e “falsidades” na moção do PE, rejeitando “as inúmeras disposições inadequadas…

Leia mais

Ontem protectorado, hoje colónia, amanhã nação

A Frente de Libertação do Estado de Cabinda – Forças Armadas de Cabinda (FLEC-FAC) pediu hoje a adesão à Liga Árabe e criticou o “silêncio” europeu face às “políticas repressivas” de Angola, acusando países da CPLP (Portugal é o principal) de cumplicidade com Luanda. Por Orlando Castro “A FLEC-FAC pede a adesão de Cabinda, no seio da Liga Árabe, ao estatuto de membro observador da organização e apela aos 22 países membros da Liga Árabe, bem como ao Rei Salman ben Abdelaziz Al Saoud, da Arábia Saudita, e ao Rei…

Leia mais

FLEC/FAC “retoma” relações diplomáticas com Portugal

A FLEC/FAC, Frente de Libertação do Estado de Cabinda, em comunicado hoje divulgado e assinado pelo seu secretário-geral, Jacinto António Télica, diz ter decido retomar as relações diplomáticas com o Governo português e exortou Portugal a reconhecer aquele território como um Estado. A decisão de “retomar oficialmente as suas relações diplomáticas” com Portugal foi anunciada pela direcção político-militar da FLEC/FAC, num comunicado em que se afirma “disposta a fazer todo o possível para fazer da cooperação com o Governo português uma parceria estratégica”. No comunicado hoje divulgado, a FLEC lembra…

Leia mais

Dois anos a irreconciliar a reconciliação

Angola é hoje um país onde os mandões do regime não se inibem de protagonizar atropelos às liberdades e aos direitos fundamentais quando sentem os seus interesses em perigo. É preocupante o incremento de actos de barbárie contra pacatos cidadãos. O regime continua a sonhar uma estátua com cabeça de ouro e pés de barro. Por José Marcos Mavungo (*) Este mês de Abril leva 2 anos desde que foi criada a Comissão para a Implementação do Plano de Reconciliação em Memória das Vítimas de Conflitos Políticos (CIVICOP) pelo Presidente…

Leia mais

Para o MPLA, quantas mais FLEC houver… melhor

A Frente de Libertação do Estado de Cabinda (FLEC-FAC) pediu à Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) “atenção particular” para o conflito em Cabinda, denunciando a política de militarização de Angola naquela região. É chover no molhado. Desde logo porque a estratégia do MPLA (também) passa por fomentar a existência de várias… FLEC. “Constatando a incapacidade e indisponibilidade de Angola, a FLEC-FAC apela para uma atenção particular ao conflito em Cabinda” e para “o contributo para a resolução deste conflito” da SADC, diz, em comunicado, a direcção político-militar da…

Leia mais

O cinismo de um presidente não nominalmente eleito

De facto, neste final do mês de Março e início de Abril deste ano, nunca se conheceu tal efervescência na actualidade política angolana, uma efervescência que nos mostrou e de certo modo provou que certos oficiais-generais do exército angolano reencontraram todos uma parte perdida dos seus cérebros. Por Osvaldo Franque Buela (*) Estes oficiais generais que de repente reencontraram os seus cérebros, oriundos ou não do território de Cabinda, lembraram-se todos que existe agora um problema por resolver em Cabinda, um problema que alguns deles passaram a negar a existência,…

Leia mais

As duas faces de Bornito

O Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa, exortou hoje os angolanos a resistirem ao imediatismo e pediu coragem para que os seus objectivos e sonhos sejam realizados. Está explicado. 45 anos de MPLA no Poder é sinónimo de “imediatismo”. Quanto ao resto, “coragem” deve significar – no caso de Cabinda – adoptar a máxima do MPLA: a luta continua e a vitória é certa. “Uma das grandes lições a retirar do processo que conduziu o país à Paz, no dia 4 de Abril de 2002, é de que não se…

Leia mais

Falar de paz menorizando Cabinda

O Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa, orienta, amanhã, em Cabinda, em representação do Chefe de Estado (não nominalmente eleito, tal como ele), o acto central alusivo ao 19º aniversário dos chamados Acordos de Paz que fizeram calar as armas e aumentar o número de pobres, hoje são 20 milhões. Em Novembro de 2017 o Presidente João Lourenço visitou Cabinda. A lata de assinalar este 4 de Abril em Cabinda não pode deixar de suscitar algumas reflexões pertinentes, sobretudo para quem procura de forma honesta e objectiva entender o problema…

Leia mais

Carta aberta ao Presidente da República de Angola

A propósito da visita do Vice-Presidente de Angola a Cabinda, José Marcos Mavungo, activista dos Direitos Humanos, dirigiu ao Presidente da República, João Lourenço, com conhecimento às Nações Unidas, União Africana, Governo português e partidos políticos da oposição angolana, uma carta aberta que Folha 8 reproduz na íntegra: «Soube de um amigo que o Vice-Presidente de Angola, Sua Excelência Sr. Bornito de Sousa Baltazar Diogo resolveu viajar para além de Luanda e encetar uma viagem à roda de Cabinda. Por esta razão, pensei em escrever-lhe sem cuidar da forma, pois…

Leia mais