Tal pai… tais filhos

A Edições Novembro, empresa do MPLA que é proprietária – entre outros meios de propaganda do regime- do Jornal de Angola, vai ter em circulação, até aos próximos meses, 11 títulos, entre os quais sete regionais, de acordo com o seu presidente do Conselho de Administração, Drumond Jaime. A informação foi avançada, em Mbanza Kongo, província do Zaire, durante a cerimónia de celebração dos 45 anos da empresa, que coincidiu com o lançamento do quinto título regional, o jornal Nkanda, que vai cobrir as províncias do Zaire, Uíge e Cabinda.…

Leia mais

A sociedade (do MPLA) que comprou Angola

Durante a reunião do Comité Central do MPLA que decorreu em Novembro de 2009, em Luanda, o Presidente José Eduardo dos Santos resumiu os desafios actuais do partido em três questões fundamentais, a fiscalização do governo, a irresponsabilidade dos governantes e o combate à corrupção, com a instauração de uma política de tolerância zero. Nesta investigação, abordo a transferência de património do Estado para a iniciativa privada do MPLA, através da GEFI – Sociedade de Gestão e Participações Financeiras, e os efeitos dessa ocupação mercantilista. Para uma maior compreensão da…

Leia mais

Tribunal Supremo nega fazer justiça à MPALABANDA–ACC contra o regime

Depois de quase catorze (14) anos, o Tribunal Supremo (TS) nega o recurso interposto pela MPALABANDA-ACC, em 2006, e confirma a sentença da sua extinção. De acordo com a Carta Precatória, os mandatários judiciais têm oito (8) dias para reclamar sobre o Acórdão. A decisão reabre o debate sobre o sistema judiciário angolano. O processo clama pela saúde da justiça em Angola. Por José Marcos Mavungo (*) No acórdão do TS, datado de 24 de Novembro de 2020, os juízes conselheiros decidiram “negar provimento ao recurso” apresentado por Luís Fernando…

Leia mais

A data que abalou o regime

O país vive momentos sinuosos, dolorosos, dramáticos, numa roda onde se consolida, cada vez mais, o desnorte do espectro ideológico. O MPLA, em 45 anos de poder absoluto, na direcção do país, nunca tão ostensivamente conviveu com uma cisão interna, transbordada para o exterior, pela própria liderança. Por William Tonet O resultado dessa estratégia é imprevisível, supera o desfecho final, mas, já exala, no ar, um cheiro nauseabundo, que atrai os gaviões (corvos) em busca de carne putrefacta. Em três anos, a formação partidária mais rica do mundo, pese controlar,…

Leia mais

Na linha de fogo

O Dia Mundial da Liberdade de Imprensa comemora-se, isto é como quem diz, hoje, 3 de Maio. Em Angola não há Dia Mundial que nos valha. E não há porque aos jornalistas (pensamos, queremos ainda pensar, que são eles que fazem a informação) restam duas opções: serem domados ou serem… domados. Mas há sempre quem resista. É claro que no Dia Mundial da Liberdade de Imprensa (repugna-nos comemorar uma coisa que não existe), vemos toda a espécie de altos dignitários do regime, quiçá até mesmo o Presidente João Lourenço, a…

Leia mais

Líder da UNITA afirma que o regime protege os ladrões

O presidente da UNITA, Adalberto da Costa Júnior, afirmou hoje na abertura das IX Jornadas Parlamentares do principal partido da oposição que o MPLA ainda permite que exista em Angola, que “de pouco adianta gritar o combate à corrupção” quando o regime protege os que roubaram. “D e pouco adianta gritar o combate à corrupção como uma bandeira quando o mesmo regime protege actores do roubo e impede o normal funcionamento das instituições”, destacou hoje Adalberto da Costa Júnior, no Sumbe, província do Cuanza Sul. O líder da UNITA afirmou…

Leia mais

João Lourenço, Capitães de Abril e Marcelo (Caetano)!

«Em 25 de Abril de 1974 o Movimento das Forças Armadas (MFA) derrubou o regime de ditadura que durante 48 anos oprimiu o Povo Português», afirma o Presidente da Associação 25 de Abril (A25A), Vasco Lourenço. Mas não foi assim. Segundo o Presidente do MPLA, da República e Titular do Poder Executivo de Angola, João Lourenço, em entrevista à DW, “quem fez a Revolução dos Cravos em Portugal foram portugueses e aqueles que eram do regime de Marcelo Caetano”. De acordo com Vasco Lourenço, “nessa madrugada do dia inicial, inteiro…

Leia mais

BFA vai produzir… loengos

O antigo ministro de José Eduardo dos Santos, Rui Mangueira, foi hoje eleito novo presidente do Conselho de Administração do Banco de Fomento Angola (BFA), numa deliberação unânime dos accionistas, informou o banco angolano. Acredita-se que pela primeira vez na história mundial, o MPLA vai conseguir pôr a mangueira a produzir loengos. Os accionistas Unitel, que detém 51,9% do capital, e BPI (os restantes 48,1%) elegeram hoje os seus órgãos sociais para o triénio 2020/2022, designando além de Rui Mangueira, António Domingues e Osvaldo Salvador de Lemos Macaia como vice-presidentes.…

Leia mais

Alguém quer saber quem foram (são) os ladrões?

Joana Amaral Dias, que nasceu em Luando em 1973, é licenciada em Psicologia pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra, onde obteve o grau de mestre. É professora assistente no Instituto Superior de Psicologia Aplicada, em Lisboa. Foi deputada, apoiou Mário Soares e militante do Bloco de Esquerda. Recentemente, na sua página do Facebook, escreveu: «Querem saber quanto esbulharam ao povo angolano? Querem saber quem roubou? Porque é que a comunicação social portuguesa não pega nesta lista?». A lista de Joana Amaral Dias foi publicada…

Leia mais

Está tudo em ordem com
as declarações das PPE?

O Governo do MPLA (versão João Lourenço) prevê, talvez, quem sabe, supostamente, passar a divulgar, até 2020, o património dos titulares de cargos públicos (dos que entretanto não forem exonerados) e, de forma a “facilitar a identificação” de Pessoas Politicamente Expostas (PPE), segundo um decreto presidencial de João Lourenço. A medida (por agora um enumerar de boas intenções) consta no Plano de Desenvolvimento do Sistema Financeiro (PDSF) para o período 2018-2022, apreciado pela Comissão Económica do Conselho de Ministros em Junho do ano passado e publicado em Diário da República,…

Leia mais