Quem não sabe mais… caça com petróleo

Angola vai colocar em licitação nove blocos petrolíferos, nas bacias terrestres do Baixo Congo e do Kwanza, com uma capacidade de cerca de 500 milhões de barris de petróleo para exploração, informou hoje a instituição responsável pelo sector. A Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANPG) procedeu hoje a uma apresentação do potencial petrolífero nas duas bacias, numa sessão promocional para investidores, que contou com a presença do ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, Diamantino de Azevedo. Na sua intervenção, o ministro manifestou o optimismo quanto ao futuro…

Leia mais

Eu seja ceguinho!, diz o cego

A ministra das Finanças de Angola, Vera Daves, disse hoje que várias vezes teve de dizer aos banqueiros comerciais para se acalmarem porque a prioridade do país é o financiamento em termos concessionais, abaixo das taxas do mercado. Se possível, como comprova a história do MPLA, entrando os banqueiros com o dinheiro e o governo com a experiência. Isto porque, no fim, os financiadores ficariam com a experiência e o MPLA com o dinheiro… “Recebemos muitas propostas dos bancos comerciais para financiar projectos específicos, e a nossa iniciativa é dizer…

Leia mais

Crescimento de 3,2%? Não. De… 0,4%!

O Fundo Monetário Internacional (FMI) reviu em ligeira alta a previsão de crescimento para a África subsaariana, de 3,2% para 3,4%, e baixou o crescimento de Angola, de 3,2% para 0,4% este ano. De 3,2% para 0,4%? E depois não querem que os valorosos mísseis intercontinentais da Polícia Nacional entrem em acção… De acordo com as Perspectivas Económicas Mundiais, hoje divulgadas no arranque dos Encontros da Primavera do FMI e do Banco Mundial, esta região africana deverá crescer 3,4% este ano e 4% em 2022, o que mostra uma ligeira…

Leia mais

Fiado + fiado = falência

A economia de Angola, gerida há 45 anos pelo MPLA, passou a fazer parte dos 42 países analisados em pormenor pelo Instituto Financeiro Internacional (IFI), o órgão representativo dos credores privados, e é um dos três países com mais dívida para pagar este ano. Recorde-se a tese fundamental do MPLA: Os investidores entram com o dinheiro e o MPLA entra com a experiência. No fim, os investidores ficam a experiência e o MPLA com o dinheiro. Isto enquanto os credores não obrigarem o país a abrir… falência. “Mais de 190…

Leia mais

Espanha avança, Portugal bajula e o Povo passa fome

Espanha está atenta a África e elegeu como prioritários um conjunto de cinco países, entre os quais Angola, que o primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, visita no próximo dia 7, disse o embaixador daquele país em Luanda, Manuel Ruigómez (foto). A última visita de um chefe de estado espanhol a Angola aconteceu em 1991, quando Felipe González liderava o governo espanhol, e chegou a estar prevista a vinda de Mariano Rajoy em Março de 2018, mas a deslocação acabou por ser cancelada devido à situação política na Catalunha. Com a visita…

Leia mais

Acordos das arábias e aladinos do MPLA

Os investidores dos Emirados Árabes Unidos e angolanos têm condições favoráveis para investirem reciprocamente nos dois países em vários sectores, com a recente aprovação pelo Conselho de Ministros, do Acordo de Promoção e Protecção Recíproca de Investimentos entre os dois, assinado – registe-se – em 5 de Abril de… 2017. Com a aprovação do acordo, os investimentos estrangeiros nos dois países estarão protegidos de eventuais riscos e os governos angolano e dos Emirados Árabes Unidos encorajam os empresários dos dois Estados a investir, com a garantia de que o investimentos…

Leia mais

Oremos irmãos, agora pelo P(e)DIA

O Governo do MPLA estima gastar cerca de 120 milhões de dólares (101,8 milhões de euros) para, nos próximos quatro anos, aumentar a produção industrial de Angola, reduzir a dependência do exterior, sobretudo dos produtos da cesta básica, e criar empregos. Traduzindo, pretende fazer agora o que não conseguiu fazer nos últimos 45 anos. Oremos irmãos! Estes objectivos constam do Plano de Desenvolvimento Industrial de Angola (PDIA) 2025, apresentado publicamente hoje, em Luanda, pelo ministro do Comércio e Indústria, Victor Fernandes, depois de um processo de auscultação iniciado em agosto…

Leia mais

O tempo está a acabar

A consultora Verisk Maplecroft considera que os países produtores de petróleo, entre os quais elenca Angola e Guiné Equatorial, arriscam-se a enfrentar uma forte instabilidade social devido à quebra de receitas desencadeada pela transição energética. “Com a transição energética a acelerar, e a Covid-19 a eliminar qualquer recuperação petrolífera feita nos últimos anos, o tempo está a acabar para um conjunto de países que não conseguiram diversificar as suas economias para além da exportação de combustíveis fósseis”, lê-se num relatório sobre a transição energética. Argélia, Iraque e Nigéria “estão entre…

Leia mais

(Final)mente na “pole position”

O ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás angolano, Diamantino Azevedo, anunciou hoje que a Bolsa de Diamantes de Angola deve arrancar de forma experimental em 2022, cujas condições estão a ser criadas para que seja “atractiva e competitiva”. Já não é mau. Estão a ser criadas… Segundo Diamantino Azevedo, o órgão que tutela contratou um antigo presidente da Bolsa de Diamantes da Antuérpia, que já trabalha com quadros angolanos para a implementação da bolsa visando o “reforço do papel de Angola” na comercialização dos diamantes que produz. “Para o…

Leia mais

Portugal garante empréstimo para a base naval do Soyo

O Governo português autorizou a concessão de uma garantia do empréstimo de 252 milhões de euros pela Caixa Geral de Depósitos a Angola, para um contrato de requalificação da base naval do Soyo, atribuída ao grupo Mota-Engil. De acordo com uma resolução do Conselho de Ministros publicada hoje em Diário da República, a garantia foi autorizada “ao abrigo da convenção à cobertura de riscos de crédito à exportação de bens e serviços de origem portuguesa para a República de Angola”. O Conselho de Ministros autorizou assim a concessão de uma…

Leia mais