Máfia da madeira. E de quem é a culpa?

Segundo o governador da província do Cuando Cubango, Júlio Bessa, há uma máfia na exploração da madeira, que envolve cidadãos nacionais e de origem asiática. É algo de novo? Não. E o que faz o Governo? Para não variar, olha para o lado e diz que está a preparar um regulamento, e assobia para embalar os matumbos. “De facto está instalada uma máfia na madeira, que está muito ramificada e que passa por nós angolanos e vai terminar em pessoas oriundas da Ásia e não se sente aqui uma vontade…

Leia mais

Entre o mau e o péssimo

A consultora NKC African Economics prevê que o kwanza (moeda de Angola) se vá desvalorizar até final do ano para 666 kwanzas por dólar, pressionando as despesas das famílias com produtos importados, nomeadamente os alimentares. Mas nem tudo são más previsões para o MPLA. Algumas são…péssimas. O Cedesa diz que é preciso vender participações e património no exterior e negociar com os suspeitos em casos de corrupção, como Isabel dos Santos, para combater o défice de capital. “Antevemos que a taxa de câmbio do kwanza face ao dólar se vá…

Leia mais

Indícios de corrupção na Sonangol? Pode lá ser…

A Transparência Internacional (TI) considerou “muito grave” a existência de indícios de branqueamento de capitais angolanos envolvendo o Banco Comercial Português e exigiu “total transparência” sobre as investigações, após uma queixa de três ONG envolvendo a Sonangol. “A Transparência Internacional Portugal considera muito graves os indícios de prática continuada de branqueamento de capitais envolvendo o Banco Comercial Português (BPC), exigindo total transparência sobre os resultados das auditorias realizadas pelo Banco de Portugal (BdP) e o reforço dos poderes das autoridades de supervisão bancária na União Europeia”, lê-se numa nota, divulgada…

Leia mais

Não fosse o MPLA e Angola não existiria

O Governo angolano lançou hoje o concurso público internacional para a gestão e manutenção do Caminho-de-Ferro de Benguela, denominado Corredor do Lobito, por um prazo de 30 anos, anunciou o responsável do sector dos transportes. Como se “sabe”, só a partir 11 de Novembro de 1975 é que Angola passou a existir e, é claro, graças à superior e celestial capacidade do seu “fundador” – o MPLA. O ministro dos Transportes, Ricardo de Abreu, disse que é objectivo a criação de empresa de capital privado, uma Sociedade de Propósito Específico…

Leia mais

De Mangueira a Vera Daves

A ministra das Finanças angolana, Vera Daves, afirmou hoje que o Orçamento Geral do Estado (OGE) “não é um mero documento orientador, e sim para cumprir”, sob pena de deterioração das contas públicas com impacto na vida das pessoas. Quem diria, não é? Vera Daves falava hoje num “workshop” sobre “O Sistema de Controlo Interno” em que abordou temas relacionados com o controlo da execução orçamental, apontando as principais infracções das regras e suas consequências. Na sua intervenção, a ministra adiantou que é importante ser pedagógico e alertar para os…

Leia mais

MPLA roubou e rouba mas diz que não é ladrão

A Cedesa, entidade que estuda assuntos de Angola, apelou ao Estado angolano (MPLA há 46 anos) para que gaste mais dinheiro na criação de emprego, porque o país deverá atingir este ano um excedente orçamental entre 2,3% e 2,75% e sair da recessão. A Cedesa também já disse: O MPLA “está a pedir a uma estrutura que colaborou e beneficiou da corrupção que agora a combata, no fundo, que se vire contra si própria”. “Entendemos que o desemprego é um caso especial, que deveria ter um tratamento diferenciado, quer estatisticamente,…

Leia mais

E os “maus” deram nozes a quem não tinha dentes

O Presidente angolano apelou à produção de algodão no país, considerando que a sua comercialização está garantida com o funcionamento das três fábricas têxteis existentes no país. João Lourenço falava à imprensa no final da visita que fez à fábrica têxtil Textang II, no município do Cazenga, província de Luanda. E que tal o MPLA ver como os “maus” faziam há mais de… 47 anos? “Alimentar indústrias (alimentar e têxtil) desta dimensão a contar apenas com a importação não é correcto, daí o facto de as próprias empresas que ganharam…

Leia mais

“Paizinho” FMI passa novo cheque

O governo de Angola vai receber 704 milhões de unidades de Direitos Especiais de Saque (DES), cerca de 852,3 milhões de euros, de acordo com a distribuição proporcional à sua quota no Fundo Monetário Internacional (FMI). De acordo com o documento que foi aprovado pelo Conselho de Administração do FMI e que começará hoje a reforçar as reservas cambiais de todos os membros do Fundo, Angola receberá 704 milhões de unidades de DES, correspondentes a 997 milhões de dólares ao câmbio actual. “A proposta defende uma alocação de 650 mil…

Leia mais

Há mais comida nos contentores (do lixo)

A agência de notação financeira Standard & Poor’s considera que Angola deverá manter-se novamente em recessão este ano, regressando ao crescimento apenas em 2022, salientando a queda na produção petrolífera e a lentidão na vacinação. Que chatice. Se ao menos ouvissem os peritos dos peritos angolanos (todos do MPLA) evitariam estes “erros” e saberiam que a culpa é do líder da UNITA, Adalberto da Costa Júnior, das redes sociais e da oposição das couves que teimam em morrer (coisa estranha) por serem plantadas com a raiz para cima… “A perspectiva…

Leia mais

Controlador financeiro versus quadratura da elipse

A ministra das Finanças de Angola, Vera Daves, realçou hoje, em Luanda, o crescimento ainda que “tímido” verificado no primeiro trimestre deste ano comparativamente ao quarto trimestre de 2020. Bem que o MPLA poderia, quiçá, obter melhor crescimento se o comparasse com o primeiro trimestre do ano em que Diogo Cão se filiou no partido… Vera Daves, que procedia à apresentação na Assembleia Nacional do Relatório de Execução Orçamental do primeiro trimestre, salientou que o país registou uma taxa de crescimento negativa, de menos 3,4%, comparativamente ao mesmo período de…

Leia mais