Archer “cita” João

O governador do Namibe, Archer Mangueira, deu uma ordem/lição aos membros do Governo provincial para informarem jornalistas sobre as decisões tomadas pelo seu executivo. “Os servidores públicos devem saber lidar com os órgãos de comunicação social, por serem as principais fontes de informação credível”, disse o governador. “É necessário que os directores dos gabinetes e seus representantes estejam disponíveis para prestarem declarações à imprensa das reuniões ou outros eventos em que se justifique a cobertura jornalística”, acrescentou Arher Mangueira, sublinhando que esses dirigentes “não devem deixar os jornalistas sem informação…

Leia mais

Nós comemos. Vocês não?
Pois é. Então… desculpem!

Carla Miguel, a jornalista angolana que acusou a escolta do governador da província do Namibe, o ex-ministro das Finanças Archer Mangueira, de a agredir decidiu retirar a queixa, que apresentou à Procuradoria-Geral da República, depois de um pedido de desculpas público do governo provincial. Diferenças entre José Eduardo dos Santos e João Lourenço? Só em algumas moscas… O incidente, que envolveu a jornalista e directora da Televisão Pública de Angola (TPA) Carla Miguel ocorreu na quinta-feira passada, quando a mesma se encontrava em serviço. Em carta, a jornalista reitera ter…

Leia mais

Memória selectiva, falta de ética e quem pode… manda!

Archer Mangueira, ex-ministro das Finanças angolano disse, em tribunal, que foi afastado da operação de transferência dos 500 milhões de dólares do Banco Nacional de Angola (BNA) para o estrangeiro e que não viu nenhum decreto presidencial a autorizá-la. Será a memória selectiva uma forma ética de sacudir as responsabilidades? Archer Mangueira, que à altura dos factos era ministro das Finanças, respondeu como declarante na nona sessão de julgamento, que arrancou em 9 de Dezembro de 2019, em que são arguidos o antigo governador do BNA, Valter Filipe, o ex-presidente…

Leia mais

E o deserto aqui tão perto!

O Banco Mundial reviu hoje em baixa a previsão de crescimento para a economia de Angola, antecipando agora uma expansão de 0,7% este ano, 0,3 pontos percentuais abaixo da estimativa feita em Abril. Para evitar que a economia cresça… para baixo, João Lourenço só tem uma de duas oportunidades, nomear para a Economia João Pinto ou Bento Kangamba. “E m Angola, prevê-se um crescimento de 0,7%, o que é 0,3 pontos percentuais mais baixo do que a previsão de Abril, e 2,2% em 2020 e 2,7% em 2021″, lê-se no…

Leia mais

Nem uma vaga ideia!

O ministro das Finanças angolano, Archer Mangueira, assumiu hoje que o Governo “ainda não tem uma estimativa de receitas” que serão arrecadadas com a privatização de 195 empresas públicas angolanas, admitindo, no entanto, possibilidade de “branqueamento de capitais”. “E m relação à previsão do encaixe financeiro que resultará do Programa das Privatizações [ProPriv], neste momento não temos ainda uma estimativa de receitas, porque resultará de um processo de avaliação de cada empresa que será sujeita à privatização”, afirmou hoje durante a sessão pública de apresentação do ProPriv, em Luanda. “Oportunamente…

Leia mais

Eu minto, logo existo!

O ministro das Finanças de Angola disse hoje, em Luanda, que o Governo está apostado “na gestão rigorosa e transparente” dos 1,3 mil milhões de dólares (1,1 mil milhões de euros) aprovados pelo Banco Mundial (BM). Archer Mangueira promete agora aquilo que os governos do MPLA (os únicos que o país teve) nunca fizeram desde 1975. Alguém acredita? “O Governo de Angola está apostado na gestão rigorosa e transparente dos recursos que o Banco Mundial coloca à sua disposição e conta com o apoio técnico desta instituição para a boa…

Leia mais

IVA não aumenta preços? Mangueiras dão loengos?

O ministro das Finanças de Angola, Archer Mangueira. reiterou hoje, em Luanda, que a implementação do código do Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA), em Outubro deste ano, não vai influenciar no aumento de preços. É tão verdade como uma mangueira dar loengos. “Não estamos a dizer que o IVA não vai aumentar alguns preços”, afirma administrador da AGT. Archer Mangueira respondia a uma das principais preocupações levantadas por deputados na sessão plenária da Assembleia Nacional, que hoje aprovou, na generalidade, a Proposta de Lei que altera o Código do…

Leia mais

Tentação pelo IVA

A tributação do Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA), que entrará em vigor a 1 de Outubro, nos sectores da Educação e Saúde levaria a uma carga fiscal maior ao consumidor final, reconhece o ministro das Finanças, Archer Mangueira, no último de uma série de três artigos publicados no Jornal de Angola. “Importa clarificar que as excepções definidas no Regime Transitório do IVA para os agentes económicos que executam operações nos sectores da Educação e da Saúde, uma vez que, ao estarem transitoriamente impedidos de deduzir o IVA suportado (pago)…

Leia mais

Sai Safeca entra Lopes e a orgia (do BPC) continua…

Nada como ter os melhores peritos do país todos no MPLA e, por conseguinte, todos no mesmo governo. Hoje, pela abalizada e internacionalmente reconhecida qualidade técnica e política do ministro das Finanças angolano, Archer Mangueira, ficou a saber-se que o Executivo considera que a capacidade do Estado para socorrer o Banco de Poupança e Crédito (BPC), maior banco de capitais públicos angolanos, “atingiu o seu limite”. Ficou também a saber-se que o kwanza renovou os mínimos frente ao euro e manteve o valor mais baixo de sempre frente ao dólar.…

Leia mais

E que tal moderar os decibéis da propaganda?

O Ministério das Finanças angolano anunciou hoje que Angola está a preparar o primeiro Relatório de Avaliação Nacional de Risco (ANR), branqueamento de capitais e financiamento ao terrorismo, destinado a ajudar a mitigar os constrangimentos existentes. Primeiro? Num comunicado, o ministério tutelado por Archer Mangueira salienta que o documento vai servir de base para a próxima avaliação de Angola, em 2021, pelo Grupo Contra o Branqueamento de Capitais e Financiamento ao Terrorismo para África Oriental e Austral (ESAAMLG). Para apoiar a elaboração do primeiro relatório, prossegue-se no comunicado, foi realizado…

Leia mais