Desde que o Governo faça o que não tem feito… governar

O analista da consultora NKC African Economics que segue a economia de Angola considera que uma queda dos preços do petróleo ou uma falha nas receitas não petrolíferas pode obrigar o país a reestruturar a dívida. Ou seja, é mais uma oportunidade para o Governo mostrar o que tem mostrado nos últimos 45 anos: Não sabe o que é governar. “Angola continua com risco elevado de ter uma dívida problemática, uma situação em que um país tem dificuldades em servir a dívida e necessita, ou está à beira de requerer,…

Leia mais

Só para recordar a quem está no poder há 45 anos

Os que têm 45 anos, talvez, não saibam! Vale a pena recordar, o que os portugueses, que o MPLA tanto odeiam, deixaram em 1975 em Angola, além de habitações, escolas, hospitais etc., etc., que não constam nesta lista! Isto para 8 milhões de pessoas! PETRANGOL – Refinaria e Distribuição de Combustíveis. DTA-TAAG – Linhas Aéreas ligando todas as províncias, mesmo entre elas. CFB – Caminho de Ferro de Benguela, do Lobito a Dilolo-RDC. CFM – Caminho de Ferro de Moçâmedes, da Namíbia até Menongue. CFA – Caminho de Ferro de…

Leia mais

Inflação e pobres em crescimento acelerado

O Índice de Preços no Consumidor Nacional (IPCN) em Angola fixou-se em Dezembro em 25,10%, o valor mais elevado desde Outubro de 2017, e que representa um acréscimo de 8,20 pontos percentuais face ao período homólogo. Segundo os dados hoje divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) de Angola, a variação homóloga situa-se em 25,10%, registando um acréscimo de 8,20 pontos, e o índice de preços registou uma variação mensal de 2,06%, destacando-se as províncias da Lunda Norte com 2,31%, Luanda com 2,19%, Cunene e Bié com 1,96% cada, como…

Leia mais

Se a hipocrisia do FMI fosse comida… não havia fome no mundo

O Fundo Monetário Internacional (FMI) anunciou o desbloqueio de 487,5 milhões de dólares (401,3 milhões de euros) para Angola, quando o país continua igual ao que sempre foi, com excepção da pandemia de Covid-19, ou seja a registar fracas receitas na indústria petrolífera e sem conseguir fazer o que o MPLA promete há 45 anos: diversificar a economia. O FMI “concluiu a quarta revisão do programa económico de Angola, apoiado por um acordo alargado ao abrigo do Mecanismo de Financiamento Alargado”, o que “permite um desembolso imediato de (…) 487,5…

Leia mais

Eu minto, logo existo!

Alisa Strobel , a analista da consultora IHS Markit que segue Angola diz que o país deve ter registado uma contracção de 6,5% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2020, alertando que o kwanza deve continuar a depreciar-se. A subir bem está, contudo, a demagogia político-governativa do MPLA. “A IHS Markit desceu a previsão sobre a evolução da economia depois da queda de 40% da actividade no sector da construção durante o segundo trimestre do ano passado, que contribuiu para que o PIB deva ter caído 6,5% em 2020”, disse…

Leia mais

“Corrupção massiva” é sinónimo de… MPLA

O Cedesa, centro de pesquisa de assuntos políticos e económicos de Angola, defende que a industrialização só avançará no país se não existir “corrupção massiva” e “barreiras de acesso aos mercados”, com uma “justiça funcional” e “impostos razoáveis”. Então o melhor é esperarmos sentados, tal como esperamos há 45 anos pela diversificação económica que, por sinal, estava em grande pujança quando Portugal vendeu Angola ao MPLA. Para aquela entidade, que resulta de uma iniciativa de vários académicos e peritos que se encontraram na ARN (‘Angola Research Network’), “qualquer projecto de…

Leia mais

Países ricos, povos pobres

O economista-chefe do Banco Africano de Exportações e Importações (Afreximbank) defendeu hoje, em entrevista à Lusa, que os investidores europeus devem alinhar a percepção com a realidade em África, considerando que as perspectivas são positivas. “África está a tornar-se mais resiliente, lançou reformas muito difíceis, há dois meses a Nigéria cortou subsídios em plena pandemia, e os investidores europeus (portugueses incluídos) têm de alinhar a percepção que têm do continente com a realidade que existe hoje”, defendeu Hippolyte Fofack. “As percepções sobre o continente estão atrasadas relativamente à realidade e…

Leia mais

Alâmpadas fundidas na escuridão do Governo

O custo de vida custa à vida cada vez mais Veja-se a cesta básica e os serviços essenciais. Os donos do reino, baseados na suprema sabedoria do Presidente do MPLA (João Lourenço), do Titular do Poder Executivo (João Lourenço) e também do Presidente da República (João Lourenço), garantem que é tudo para benefício do Povo. A crise (económica, financeira, cambial, moral etc.) levou o Governo a cortar para metade os quase 20.000 milhões de euros que previa investir no sector da energia e águas entre 2014 e 2017. Isso não…

Leia mais

União Europeia alimenta os antropófagos

O Governo de Angola (MPLA) recebeu hoje uma doação de 20 milhões de euros da União Europeia (UE) para, supostamente, apoiar a resposta do país à recuperação e a diversificação da economia que há 45 anos está à espera de ser feita. Saiam trufas pretas, caranguejos gigantes, cordeiro assado com cogumelos, bolbos de lírio de Inverno, supremos de galinha com espuma de raiz de beterraba e queijos acompanhados de mel e amêndoas caramelizadas e umas garrafas de Château-Grillet 2005 para a mesa do Titular do Poder Executivo. Por Orlando Castro…

Leia mais

Crédito malparado, promessas bem-paradas

A agência de notação financeira Moody’s disse hoje que a perspectiva de evolução dos bancos africanos para 2021 é negativa devido às difíceis condições operacionais, com os bancos angolanos a terem a maior percentagem de crédito malparado. “A nossa perspectiva para os bancos africanos continua negativa com o aproximar de 2021, com as difíceis condições operacionais e as fortes ligações aos países em que operam a ser as principais razões”, disse o vice-presidente da agência, Constantinos Kypreos, na nota que acompanha a divulgação do relatório. De acordo com o documento,…

Leia mais