Urge fuzilar as… redes sociais

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, tem bloqueado seguidores que o criticam nas redes sociais, violando a liberdade de expressão e os direitos de acesso à informação e de participar do debate público, disse hoje a Human Rights Watch (HRW). É de crer que o DIP (Departamento de Informação e Propaganda) do MPLA esteja a equacionar importar para Angola a estratégia de Bolsonaro. A organização não-governamental (ONG) internacional de defesa dos direitos humanos informou em comunicado que identificou 176 contas bloqueadas pelo Presidente, a grande maioria na rede social Twitter, incluindo…

Leia mais

Savimbi ontem, hoje e sempre

A UNITA considerou que as gerações mais novas “reconhecem a justeza das lutas de Jonas Savimbi”, líder fundador do maior partido da oposição que o MPLA ainda permite em Angola, que hoje completaria 87 anos. Aliás, quando José Eduardo dos Santos dizia que a democracia foi “imposta” a Angola estava, como continua a estar o MPLA, com uma espinha entalada na garganta. Espinha chamada Savimbi a quem devemos, por  exemplo, o multipartidarismo. Numa mensagem por ocasião da data, a UNITA sublinha que entre 1992, quando se realizaram as primeiras eleições…

Leia mais

Atirar a pedra e esconder a pata

Como o Folha 8 escreveu ontem, o MPLA (sob aforma de Editorial do seu bordel televisivo, TPA) acusou a comunicação social portuguesa de ser um veículo de transmissão de uma campanha de desestabilização e “ingerência abusiva” em assuntos de outros Estados. No caso não se referiam a um Estado mas a um reino há 45 anos nas mãos do MPLA – Angola. Por cá, no tal reino, o Sindicato dos Jornalistas Angolanos (SJA) mostra-se preocupado com o tratamento de questões políticas nos órgãos de comunicação social públicos e privados e…

Leia mais

Despotismo sofreu um… rasgão

O jornalista angolano Francisco Rasgado foi hoje absolvido dos crimes de difamação e injúria no âmbito de um processo que o opunha ao ex-governador de Benguela, Rui Falcão, hoje porta-voz (ou será voz da porta?) do MPLA. Francisco Rasgado, director e fundador do jornal Chela Press, assinou no ano passado um artigo denunciando alegados actos de corrupção, gestão danosa e desvio de meios públicos ligados ao governo de Benguela, então liderado por Rui Falcão, tendo sido processado por injúria e difamação. “Foi absolvido de todos os crimes. O tribunal da…

Leia mais

Filhos da fome nunca serão livres

A cidade de Ondjiva, província do Cunene, acolhe hoje um encontro para debater os conteúdos das mensagens de voz do projecto saúde móvel “Nascer Livre para Brilhar”, um compromisso assinado com o Gabinete da Primeira-Dama da República. A iniciativa implementada pela Unitel e a Organização Não-Governamental People in Need, pretende contribuir para a diminuição das taxas de transmissão de VIH-Sida de mãe para filho em Angola. O certame reúne dirigentes, supervisores e técnicos da saúde, além de representantes de organizações da sociedade civil que actuam no sector, indica uma nota…

Leia mais

Quando ser jovem é (obrigatoriamente) ser do MPLA

A ministra da Juventude e Desportos, Ana Paula Neto, já está na província da Lunda Norte, onde, entre vários assuntos, vai orientar o acto central do Dia Nacional da Juventude do MPLA, que o partido assinala quarta-feira, em memória de Hoji Ya Henda, o patrono da JMPLA. A JMPLA enquanto mero instrumento canino do partido está, e tem razões para isso, preocupada com o comportamento que os jovens angolanos apresentam nos últimos tempos. Isto porque, ao contrário do que era habitual, a juventude começa a pensar pela própria cabeça, recusando…

Leia mais

A Berta está à porta ou a porta está aberta?

O relatório Liberdade no Mundo 2021 da organização não governamental Freedom House, com sede em Washington, coloca Angola como único País Africano de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) no grupo de Estados não livres, enquanto Moçambique e Guiné-Bissau integram o grupo de países parcialmente livres e Cabo Verde e São Tomé e Príncipe no de países livres. Em Outubro do ano passado, o relatório “The Global Expression Report 2019/2020: The state of freedom of expression around the world”, divulgado pela organização internacional Article 19, numa análise a 25 indicadores em 161…

Leia mais

Cegos e desdentados mas… condecorados

As associações angolanas de defesa dos direitos humanos Handeka e Mosaiko – Instituto para a Cidadania repudiam a “excessiva carga policial” numa manifestação em Luanda, no sábado, apontando um “recuo no exercício das liberdades fundamentais”. Em síntese, dirá com certeza a governadora de Luanda, Joana Lina, para que é que os escravos do MPLA precisam de liberdades? Por Orlando Castro (*) “Q ueremos mostrar o nosso veemente repúdio pela forma como se mostrou um recuo ao exercício das liberdades fundamentais, um recuo na prática de repressão de tempos não muito…

Leia mais

Não sou caracol! Não “combato” a individualidade

PONTO PRÉVIO: “Entre o Carlos Alberto (a atacar o líder da UNITA/ACJ) e o William Tonet (a fazer o mesmo com JLo/MPLA), resta apurar quem é que está a desgastar mais a imagem da liderança atacada na praça pública pelos dois comunicadores. A disputa está aberta. Que vença o melhor. É a natureza a tentar reequilibrar-se. Eu se fosse o ACJ nem me queixava mais. O WT parece estar claramente na dianteira (By Reginaldo Silva). Por William Tonet A amizade é um conceito sagrado, de tal monta que um verdadeiro…

Leia mais

Joana alinha

Estão totalmente enganadas as pessoas que pensavam que para ser nomeada, ou nomeado, governadora ou governador de Luanda seria necessário ser um pessoa inteligente, intelectualmente honesta, competente e com uma boa formação cultural, na gestão de recursos humanos e em relações públicas. Um dos exemplos mais paradigmáticos das caricaturas macabras que foram nomeadas para desempenhar o cargo de sipaia na governação de Luanda é a actual governadora, Joana Lina. Por Domingos Kambunji Ela só demonstra que para ser nomeado para esse cargo de chefia não é necessário ter capacidade de…

Leia mais