Défice de 2,8% do PIB em 2014

Défice de 2,8% do PIB em 2014 - Folha 8

A quebra da cotação internacional do petróleo agravou o saldo das contas públicas angolanas de 2014, que registaram um défice de 2,8% do Produto Interno Bruto (PIB), muito acima dos 0,2% inicialmente previstos pelo executivo. A informação consta do relatório de fundamentação do Orçamento Geral do Estado (OGE) revisto para 2015, que surge precisamente face à quebra das receitas petrolíferas. O relatório refere que as contas de 2014 “foram amplamente influenciadas pela queda de produção e do preço do petróleo”, o que se reflectiu numa receita total no valor de…

Leia mais

41% do crédito d(o)ado pelo BESA não tinha… garantias

O ex-quadro do BES Angola (BESA) João Moita afirmou hoje que, em 2011, 41% do crédito concedido pelo banco não tinha garantias, uma percentagem que, diz, não será “muito diferente” de a de outras entidades angolanas. “A percentagem que reportámos em 2011 era de 41%”, disse o responsável, em Lisboa, na Comissão Parlamentar de inquérito à gestão do BES e do Grupo Espírito Santo (GES), depois de questionado sobre a percentagem de crédito concedido pelo BESA sem garantias. De acordo com o responsável, foi enviado em 2011 um relatório para…

Leia mais

Opa ao BPI. Tem a palavra (mais uma vez)… Isabel dos Santos

Opa ao BPI. Tem a palavra (mais uma vez)... Isabel dos Santos - Folha 8

O espanhol CaixaBank lançou uma OPA (Oferta Pública de Aquisição) sobre todo o capital do banco português BPI (do qual já accionista de referência, 44,39%), tendo ainda como alvo complementar o Novo Banco (ex-BES). Isabel dos Santos tem uma palavra (decisiva) a dizer. T rata-se de uma OPA (bem) amigável e conjugada com o próprio BPI que, em caso de sucesso, dará uma decisiva margem de manobra financeira para comprar o Novo Banco. No meio desta “jogada”, mas previamente não só informada mas também consultada está Isabel dos Santos, a…

Leia mais

FMI avalia aperto do cinto

FMI avalia aperto do cinto - Folha 8

Em menos de um ano, trata-se da quarta visita de técnicos do FMI a Angola. Contudo, esta decorre em pleno processo de revisão do Orçamento Geral do Estado angolano, motivado pela quebra na cotação internacional do barril de petróleo, e que já foi entregue na Assembleia Nacional. O FMI sugere a eliminação já em 2015 dos subsídios que o Estado despende com a gasolina e redução faseada, até 2020, nas subvenções aos restantes combustíveis. O documento foi elaborado após uma visita de técnicos do organismo a Luanda, precisamente a pedido…

Leia mais

Divisas às carradas, mas…

Divisas às carradas, mas… - Folha 8

As vendas de divisas do Banco Nacional de Angola (BNA) à banca comercial aumentaram mais de 170% em apenas uma semana, mas o kwanza mantém-se em forte desvalorização, provocada pela crise da cotação internacional do petróleo. D e acordo com o relatório semanal sobre a evolução dos mercados monetário e cambial, divulgado hoje pelo BNA, o banco central realizou vendas em leilões, entre 09 e 13 de Fevereiro, de 435 milhões de dólares. Trata-se do valor semanal mais alto de 2015 e contrasta com as vendas de 160 milhões de…

Leia mais

Pouco ou nada se fez. Pois!

Pouco ou nada se fez. Pois! - Folha 8

O especialista da indústria petrolífera angolana e ex-director-geral adjunto da multinacional Total no país, Jorge Abreu, defende que Angola deve avançar para a pesquisa de reservas de gás natural e assim aumentar as exportações de hidrocarbonetos, concentradas no petróleo. E m entrevista à Lusa, o consultor, com 37 anos no sector petrolífero angolano, assumiu que até agora “pouco ou nada se fez” na pesquisa de reservas de gás no país, apesar da potencialidade de Angola, que já é o segundo produtor de petróleo da África subsaariana. Os únicos passos, explica,…

Leia mais

BESA? Vai tudo ficar em cacos

O PS pediu hoje ao vice-presidente da associação cívica Transparência e Integridade (TIAC), Paulo Morais, a lista de destinatários dos empréstimos concedidos pelo BES Angola (BESA), documento que o responsável diz ter. O PSD pede a mesma coisa. O elefante está a passear no meio da loja de porcelanas. Vai tudo ficar em cacos. “O s deputados do grupo parlamentar do PS vêm requerer a Paulo Morais que disponibilize os documentos que diz ter em sua posse sobre este tema”, afirma o PS em documento enviado ao presidente da Comissão…

Leia mais

Banco Mundial, como muitos outros, vê o que não existe…

Banco Mundial, como muitos outros, vê o que não existe... - Folha 8

O Banco Mundial considera que a descida do preço do petróleo, a principal fonte de receita de Angola, vai tornar mais difícil manter a diversificação económica no país. Manter? Por Norberto Hossi O Banco Mundial considera que a recente quebra dos preços do petróleo vai tornar mais desafiante o objectivo de Angola relativamente à diversificação da economia, porque a descida dos preços configura uma mudança estrutural de médio prazo. Por outras palavras, há males que vêm por bem. Se calhar, até porque o governo do MPLA, que (di)gere o país…

Leia mais

BNA diz que está zangado

BNA diz que está zangado - Folha 8

O Banco Nacional de Angola (BNA) afirmou hoje, em comunicado, que alguns bancos que operam no país estão a privar clientes da utilização de depósitos, no caso em divisas, prometendo agir para manter a estabilidade do sistema. N a mesma informação, o BNA assumiu que tem vindo a constatar que algumas instituições financeiras “têm procedido de forma inadequada, prejudicial aos interesses dos clientes, pelo facto de não darem seguimento às operações por si ordenadas”. Além disso, “privando-os da utilização e movimentação dos recursos depositados, negligenciando a existência de um vínculo…

Leia mais

Quem dá mais?

Quem dá mais? - Folha 8

O Governo vai alienar a totalidade das acções da empresa Brigada de Construção Militar (Bricomil), detida maioritariamente pelo Estado e participada, entre outras e como não poderia deixar de ser, pela concessionária pública do sector petrolífero, a Sonangol. A Bricomil integra a lista, divulgada anteriormente pelo Ministério da Economia, das 27 empresa públicas a privatizar até 2018. Através de um despacho datado de 29 de Janeiro, o ministro da Economia, Abrahão Gourgel, criou uma “comissão de negociação” para garantir a “alienação da totalidade das acções” da Bricomil, num prazo de…

Leia mais