Melhor do que o MPLA só mesmo (pudera!) o… MPLA

Diz o órgão oficioso do MPLA (Jornal de Angola) que, de acordo com o chefe da Missão do Fundo Monetário Internacional (FMI) para país, Mário de Zamaróczy, a luta contra a corrupção em Angola está a produzir resultados depois do Governo a ter adoptado como um dos pilares da sua política. Mário de Zamaróczy apontou como evidência dos resultados, numa entrevista publicada no site do FMI, a retoma do controlo dos activos do Fundo Soberano de Angola (FSDEA) pelo Governo, assim como a adopção de um plano anticorrupção que levou…

Leia mais

De derrota em derrota até
à previsível derrota final!

A agência de notação financeira Fitch (que, obviamente, não consultou o DIP do MPLA, como mandam as ordens superiores de João Lourenço) piorou a Perspectiva de Evolução da economia de Angola (Outlook) de Estável para Negativa, mantendo o rating em B, ou seja, abaixo do nível de recomendação de investimento, ou lixo. A dívida de Angola vai custar 12,3 mil milhões de dólares este ano em juros e amortizações, ou seja, 33,6 milhões de dólares por dia. Coisa pouca… “A revisão do Outlook para Negativa reflecte a degradação das métricas…

Leia mais

安哥拉也是我们的

O ministro da Defesa de Angola, Salviano Sequeira, pediu hoje à China apoio financeiro para a execução de vários projectos ligados ao sector, que têm sido afectados devido às dificuldades económicas que o país atravessa. Que chatice! Mais fiado a troco de petróleo, mais kumbu a troco de hipotecar (ainda mais) o país. 安哥拉也是我们的 significa “Angola também é nossa”. E é mesmo. Salviano Sequeira, que considerou “saudáveis” as relações de cooperação entre os dois países, discursava em Luanda, na abertura da reunião do Comité Conjunto de Cooperação, da Ciência, Tecnologia…

Leia mais

Nacional ou estrangeiro, abutre é sempre… abutre!

O Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) vai aprovar até Setembro um apoio orçamental a Angola para reduzir consideravelmente o défice das contas do Estado, juntando-se aos esforços do Banco Mundial para equilibrar as contas públicas. O que seria do reino, há 44 anos governado sempre pelo MPLA, se não fosse a ajuda, e as ordens, de entidades externas? “T emos em carteira investimentos no que diz respeito ao apoio orçamental que está em consideração, dado o ambiente positivo com o FMI, e dado o facto de o Banco Mundial dever…

Leia mais

Ora então… mais do mesmo!

O Estado angolano recuperou nos primeiros cinco meses do ano mais de 9.000 milhões de kwanzas (22,3 milhões de euros) ao abrigo do Regime Excepcional de Regularização de Dívidas Fiscais e Aduaneiras. Segundo o órgão oficial do regime, o Jornal de Angola, que cita fontes do Centro de Estudos Tributários (CET) da Administração Geral Tributária (AGT), a arrecadação das receitas surge no quadro do prazo de adesão voluntária ao pagamento de dívidas ao fisco, processo iniciado a 28 de Dezembro de 2018 e que termina a 30 deste mês. Os…

Leia mais

Quem vier atrás que feche
a porta (se ainda existir)!

O vice-presidente do Banco Mundial (BM) para Região de África, Hafez Ghanem, visita Angola de quarta a sexta-feira para analisar as reformas do Governo e verificar a evolução dos projectos, indica um comunicado oficial da instituição financeira. Dinheiro não falta. E como será quando for preciso pagar os juros? Aí se verá, responderá o governo. Pela primeira vez em Angola na qualidade de responsável máximo do BM a nível regional, Hafez Ghanem vai verificar a evolução da implementação da carteira de projectos financiados por esta instituição de Bretton Woods, a…

Leia mais

Perdão fiscal e os decibéis da sistemática propaganda

A Administração Geral Tributária (AGT) de Angola anunciou esta terça-feira que vai perdoar 38% de juros e multas da dívida notificada estimada em 323.000 milhões de kwanzas, pretendendo arrecadar, até Dezembro de 2019, cerca de 60.000 milhões de kwanzas. Segundo a AGT, a medida, que deve vigorar seis meses, surge no âmbito do novo Regime de Regularização Extraordinária de Dívidas Fiscais Aduaneiras prevista na lei que aprova o Orçamento Geral do Estado para o exercício económico de 2019. Em declarações esta terça-feira aos jornalistas, o director do Centro de Estudos…

Leia mais

“Bombeiros” do FMI não entram nos musseques

A consultora EXX Africa considera que a ajuda financeira do Fundo Monetário Internacional (FMI) a Angola servirá, a curto prazo, para “apagar fogos”, mas o impacto mais profundo será na trajectória das políticas e na atracção de investimento. Tudo isto coincide, importa dizê-lo (até porque modéstia a mais é vitupério), com o que o Folha 8 tem escrito. Apenas varia a ordem que o Governo e nós damos aos “fogos”. “A s verbas devem ser reservadas para apagar fogos, na forma de derrapagens orçamentais e défices na balança de pagamentos,…

Leia mais

Não vem o Pai Natal mas a Madrasta traz o cheque!

A directora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, chega amanhã (quinta-feira) a Luanda para uma visita oficial de dia e meio a Angola, onde oficializará o empréstimo de 4,5 mil milhões de dólares (3,8 mil milhões de euros). Fonte oficial disse hoje que Christine Lagarde será recebida, pouco depois de aterrar em Luanda, pelo Presidente de Angola, João Lourenço, após o que haverá declarações à imprensa nos jardins do Palácio Presidencial. Depois, a directora-geral do FMI fará uma visita de cortesia ao ministro das Relações Exteriores, Manuel Augusto, voltando…

Leia mais

Um em cada 5 kwanzas de receitas é para pagar juros

A agência de notação financeira Moody’s alertou hoje que Angola está entre os países da África subsaariana que estão mais vulneráveis à perda de controlo dos activos estratégicos quando negoceiam uma reestruturação da dívida com a China. “O s países ricos em recursos naturais, como Angola, Zâmbia e a República Democrática do Congo [RDC], ou com infra-estruturas estrategicamente importantes, como portos ou caminhos de ferra no Quénia, são os mais vulneráveis ao risco de perderem o controlo de importantes activos em negociações com os credores chineses”, lê-se numa análise desta…

Leia mais