O sangue ariano do deputado português

Deputado do PS advoga a demolição do Padrão dos Descobrimentos, em Lisboa (ainda está a tempo). Ascenso Simões defende que as “revoluções servem para fazer cortes” e sugere que no 25 de Abril “devia ter havido sangue, devia ter havido mortos”. Será possível fazê-lo agora? O deputado que se cuide… (não é literal). Portugal não o fez, mas Angola (pelas mãos de Agostinho Neto, certamente um ídolo para o deputado) cumpriu esse desiderato com os massacres de 27 de Maio de 1977. A propósito, ou não, desta paradigmática tese, reproduzimos…

Leia mais

Ainda falta erradicar as sequelas do colonialismo?

O Presidente da República, João Lourenço, solenemente acompanhado (como nunca poderia deixar de ser) pelo Presidente do MPLA e Titular do Poder Executivo, inaugurou hoje a Academia de Ciências Sociais e Tecnologias, uma instituição de ensino superior pública, que custou ao Estado 72,9 milhões de dólares, 90% dos quais financiados pelo Eximbank da China. Como dizia Agostinho Neto (em 1977), as nossas universidades devem “estar ao serviço da revolução e constituir um dos factores de combate às sequelas do colonialismo e para a implantação de uma democracia popular…” O empreendimento…

Leia mais

Judas comunista uma vez, Judas (iscariotes) sempre!

O comunista e ex-conselheiro da Revolução (Portugal), José Miguel Judas, resolveu agora – com a preciosa ajuda da Lusa – retransmitir os recados que o MPLA sempre lhe fez chegar e aos quais deu guarida, ou não fosse um sipaio obediente. Assim, veio agora afirmar que Portugal passou décadas a conspirar contra os governos das ex-colónias (sobretudo MPLA e Frelimo), boicotando o sinal de confiança que os militares quiseram dar com o fecho do Tarrafal, em Cabo Verde. Por Orlando Castro “A libertação dos presos era um primeiro sinal, claro,…

Leia mais

MPLA e Cuba amam-se

O Presidente angolano, João Lourenço, enviou hoje uma mensagem de felicitações ao homólogo de Cuba, Miguel Mario Díaz-Canel Bermúdez, por ocasião do 60º aniversário do triunfo da revolução cubana, manifestando disponibilidade para reforçar a cooperação bilateral “com vantagens recíprocas reais”. É bom ter memória, mesmo quando esta reverência cheira a servilismo perante quem ajudou o MPLA a matar muitos e muitos angolanos e perante quem Angola ainda tem muitas dívidas. Numa nota da Casa Civil do Presidente da República é indicado que João Lourenço realça a Miguel Bermúdez que Angola…

Leia mais

UNITA quer outra e muito distinta Operação Resgate

Até aos séculos XVII e XVIII, a revolução era entendida principalmente como rebelião: era considerada uma forma extrema de resistência contra os governantes. Desde essa época – por causa da revolução francesa, e em menor medida, da revolução inglesa de 1688 e da revolução americana, que foram pacíficas, e por causa da mudança de mentalidades que as prepara, a revolução passou a ser encarada não tanto pelo seu sentido negativo, mas pelo seu sentido positivo. Por Isaías Samakuva (*) Passa a ser encarada não tanto como substituição de um governo…

Leia mais

Controlar redes sociais?
A luta (do MPLA) continua

O Governo de Angola e os cidadãos devem formar um grande pacto de convivência saudável no domínio das redes sociais, defende o ministro da Comunicação Social, João Melo. “É preciso formas consistentes de lutarmos por objectivos consistentes”, destaca o governante, numa mensagem alusiva ao Dia das Redes Sociais, que se assinala hoje, 30 de Junho. Na mensagem, João Melo afirma que as redes sociais são actualmente uma vida paralela das pessoas, na medida em que mais do que uma forma de socialização globalizada elas “são um parâmetro e um termómetro…

Leia mais

Cabinda (também) esteve presente no “25 de Abril”

A Revolução dos Cravos foi mais uma vez celebrada em Portugal. Em Peniche, o evento juntou activistas dos direitos humanos e várias personalidades da vida social, política e cultural, entre as quais duas ligadas ao movimento de 25 de Abril de 1974: Américo Gonçalves e Carlos Alberto Amaral. Américo Gonçalves participou na acção militar de 16 de Março de 1974 e, enquanto militar, Carlos Alberto Amaral esteve destacado em Peniche para guardar os agentes da PIDE detidos após o movimento revolucionário dos Capitães de Abril. Recorde-se, o derrube da ditadura…

Leia mais

Revolução de conceitos

O mundo está a viver, nos últimos tempos, uma verdadeira “Revolução de Conceitos”, que invadiu as fronteiras de Angola e já não pode ser descurada, principalmente, quando o significado de uma expressão de ontem, pode não ser linear e substantivamente igual à de hoje, ainda que a mesma bifurque num idêntico objecto ou conceito. Por William Tonet A denominação “revolução”, deriva do latim: “revolutio, ónis: acto de revolver”, ganhando corpo nos primórdios do século XV e significando mudança violenta ou rápida de um poder por outro. O filósofo Aristóteles deu-lhe…

Leia mais

O papel social dos intelectuais em Angola

Haverá por aí alguma resposta simples e acessível à pergunta: quem é o intelectual? Talvez sim, talvez não. Depende dos paradigmas da abordagem. Não há um identikit em três D da figura do intelectual, mas existem variados elementos que podem ajudar a fazer a sua construção mental ou racional. Por Raul Tati Não aprecio muito partir de definições estereotipadas da realidade. Identifico-me mais como um construtivista do ponto de vista filosófico, navegando algures numa lógica indutiva. Na busca da verdade teórica, penso ser mais escorreito mergulhar na realidade, observá-la e…

Leia mais

Urge derrotar o colonialismo do MPLA

Os partidos políticos angolanos desde 1992 que se têm queixado da lei eleitoral que permite a fraude, por parte do MPLA. Mas o que têm feito para inverter tal situação? Pouco. Muito pouco. Lagosta sempre foi melhor do que a mandioca. Por Orlando Castro A Oposição sabe que a democracia assim não vai lá, sabem que assim nunca seremos um Estado de Direito. Mas, alegam, não é possível alterar este estado quando o regime se está nas tintas para a força da razão e, o que é verdade, põe em…

Leia mais