Nunda explica o (in)explicável

As Forças Armadas Angolanas (FAA) justificam a polémica demolição de centenas de casas nos arredores Luanda por estas terem sido construídas na área de protecção do novo aeroporto da capital, podendo inviabilizar os voos internacionais. Por Óscar Cabinda (*) Num Estado de Direito cabe às Forças Armadas justificar demolições deste tipo? Não, não cabe. Mas como Angola não é um Estado de Direito, têm a palavra os militares. A posição foi assumida pelo chefe do Estado-Maior das FAA, general Geraldo Sachipengo Nunda, ao falar dos 25 anos sobre a constituição…

Leia mais

Mais um absurdo policial

A Polícia Nacional do MPLA, quando era suposto socorrer as vítimas, faz o inverso, partindo para a extorsão, com base no conhecimento prévio que tem do apelo de socorro. Como atesta a denúncia, que acusa o comandante da Polícia de Intervenção Rápida do Zango e um técnico da Administração de posse indevida de terreno, que deveria proteger, no quadro das suas obrigações profissionais. As entidades foram instadas pelo grito desesperado de um cidadão, como atesta a carta abaixo: “À Administração de Viana C/C: Posto de Comando Policial de Viana, ao…

Leia mais

Testemunhas descrevem o assassino de Rufino

O militar que pôs termo à vida ao pequeno Rufino António é de fácil identificação por ser o único, num grupo de quatro soldados, a disparar contra as pessoas que reivindicavam as suas habitações, contaram ao Folha 8 algumas das testemunhas do infortúnio. Por Antunes Zongo Amorte a tiro do pequeno Rufino António, de apenas 14 anos de idade, às mãos de um operativo das Forças Armadas Angolanas (FAA), destacado ao Posto Comando Unificado (PCU) do Zango, no passado dia 06.08.16, instalou um medo sepulcral aos moradores do bairro Walále,…

Leia mais

Zango envergonha Angola mas não o regime do MPLA

São injustas, ilegais e inaceitáveis as expropriações e demolições de casas na zona do Zango II e III no Município de Viana em Luanda. Mas, para o regime, o que conta é a razão da força. Os despejos em larga escala perpetrados pelo Governo tiveram o seu ponto mais alto em 2002 e continuam sendo uma prática reiterada até a presente data. A SOS Habitat registou de 2000 até 2016 mais de 15,000 casas foram destruídas e muitos terrenos cultivados de pequena dimensão foram confiscados, afectando cerca de 56,202 famílias…

Leia mais

Assassinato de menino de 14 anos verga as FAA

O Estado Maior General das Forças Armadas Angolanas viu-se comprometido após o assassinato de uma criança de 14 anos de idade no Zango II por soldados da Região Militar de Luanda, sob o comando do tenente general Simão Carlitos Wala. Por Pedrowski Teca Uma onda de descontentamento de cidadãos angolanos (com estrondosa multiplicação internacional) de vários estratos sociais, que exigem justiça sobre o assassinato, obrigou a instância máxima das Forças Armadas a tomar posição quanto às ocorrências que designou como “circunstâncias trágicas”. “Sendo que as Forças Armadas Angolanas têm como…

Leia mais

UNITA contesta abuso de poder nas demolições

UNITA contesta abuso de poder nas demolições - Folha 8

O Grupo Parlamentar da UNITA vai instar a Assembleia Nacional, através da sua 10ª Comissão de trabalho especializada, para tomar uma posição sobre as demolições e desalojamentos anárquicos de cidadãos indefesos. A garantia foi dada pelo Presidente do Grupo Parlamentar, Raul Manuel Danda, à frente de uma delegação que, na manhã desta segunda-feira, 26 de Janeiro, visitou as populações vítimas de demolições nos bairros da Sapú II e Kulamosso em Viana. Durante a visita, a delegação ouviu dos populares as dificuldades por que passam, onde falta de tudo um pouco,…

Leia mais