FRELIMO TEME EFEITO… UNITA

O Presidente da Frelimo e chefe de Estado moçambicano, Filipe Nyusi, partido no poder (tal com o MPLA) desde a independência, apelou hoje no discurso de abertura do 12.º Congresso para que os debates se afastem de uma “agenda” de divisão e se foquem em resolver os problemas do país. Filipe Nyusi teme que o efeito UNITA, em Angola, contamine a sua hegemonia. “A nossa meta última é garantir as vitórias” no próximo ciclo eleitoral, “condição fundamental para continuarmos a melhor servir os moçambicanos. Essa é a nossa razão de…

Leia mais

EUA AVISAM AFRICANOS ALIADOS DE PUTIN

A embaixadora norte-americana nas Nações Unidas advertiu os Estados africanos que se “envolvem com países sancionados” pelos EUA, lembrando que a invasão russa da Ucrânia está a prejudicar o continente. Angola e Moçambique foram dois dos principais avisados. “As nossas sanções contra a Rússia têm a intenção de desencorajar os russos de continuar a sua agressão à Ucrânia […] Eu advertiria [os países africanos] para não se envolverem com países sancionados pelos Estados Unidos”, disse Linda Thomas-Greenfield, num discurso divulgado pela embaixada norte-americana em Maputo. Linda Thomas-Greenfield falava durante as…

Leia mais

FRELIMO & MPLA, IGUAIS HÁ 46 ANOS

A Resistência Nacional Moçambicana (Renamo), principal partido da oposição, apelou hoje à polícia para não criar “um ambiente de terror” nas eleições autárquicas de 11 de Outubro de 2023, acusando a corporação de impedir “eleições livres, justas e transparentes”. Onde será que, fora de Moçambique, já ouvimos falar disto? “Não queremos um ambiente de terror criado pela polícia nas próximas eleições”, afirmou José Manteigas, porta-voz e deputado da Renamo na Assembleia da República (AR), que falava durante a sessão de perguntas das bancadas parlamentares ao Governo. “A paz que estamos…

Leia mais

PUTIN MANDA, MPLA E FRELIMO OBEDECEM

A Frelimo, partido no poder em Moçambique desde a independência, defendeu hoje que o país não deve ser “arrastado” para o conflito entre Rússia e Ucrânia, enquanto a oposição parlamentar condenou “as barbaridades e invasão” de Moscovo. Tal como o MPLA. Tudo fuba do mesmo saco. “Quanto ao conflito Rússia-Ucrânia, não arrastemos o nosso país para um problema que não é nosso”, declarou o chefe da bancada da Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo), Sérgio Pantie, na intervenção de abertura da sessão da Assembleia da República. Sérgio Pantie respondia a…

Leia mais

MARCELO VAI BRANQUEAR A FRELIMO

O Presidente da República de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, vai iniciar na quinta-feira uma visita oficial de quatro dias a Moçambique, durante a qual irá a duas unidades da missão de formação militar da União Europeia (UETM). Diz-se que também vai dar uns bitaites sobre a posição de Moçambique, e também de Angola, sobre a guerra da Rússia contra a Ucrânia. Numa nota publicada no sítio oficial da Presidência da República na Internet, é realçada a “forte componente militar” desta visita oficial – inicialmente prevista para Janeiro e adiada…

Leia mais

DITADURAS UNEM MPLA, FRELIMO E RÚSSIA

O ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergei Lavrov, acusou hoje os líderes ocidentais de terem planos para uma “verdadeira guerra” contra a Rússia, que só poderá ser nuclear. Eritreia, Bielorrússia e Coreia do Norte subscrevem. Os dois únicos países africanos (verdadeiramente) lusófonos que têm no Poder o mesmo partido deste a independência, Angola (MPLA) e Moçambique (Frelimo) também subscrevem, embora sob o manto diáfano da “abstenção”. Por Orlando Castro (*) “Todos sabem que uma terceira guerra mundial só pode ser nuclear, mas chamo a vossa atenção para o facto de…

Leia mais

A culpa é sempre dos “inimigos internos e externos”

O Presidente de Angola e do MPLA (partido no Poder há 45 anos), João Lourenço, afirma que há “forças internas e externas” ligadas aos que delapidaram o erário público que estão a organizar “uma campanha” que visa denegrir e desacreditar a justiça e o Estado angolano. O Presidente de Moçambique e da FRELIMO (partido no Poder há 45 anos), Filipe Nyusi, diz – a propósito da situação em Cabo Delgado – “a falta de concentração serve os interesses dos inimigos internos e externos”. Isto é que é originalidade. Os dois…

Leia mais

É hora da verdade

A verdade quando, conscientemente, aniquilada, confere à mentira um pedestal institucional e aos seus autores um carácter narcisista. O Presidente da República de Moçambique, faltou com a verdade quando, na qualidade de presidente da SADC, considerou ter havido uma vitória militar do exército angolano/FAPLA/MPLA, na batalha do Kuito Kwanavale, considerando por via disso o dia 23 de Março como de libertação da África Austral. Por William Tonet PRIMEIRA MENTIRA: Se fosse de libertação da África Austral, Moçambique teria parado a guerra em 23 de Março d 1988, mas a Frelimo/governo…

Leia mais

Ajudar Maputo e bajular Luanda

O PSD (partido português dirigido por Rui Rio e que é o maior da oposição) pediu ao Governo socialista de António Costa que sensibilize a União Europeia para a necessidade de encontrar, com urgência, uma “solução internacional” que permita a Moçambique “enfrentar os ataques terroristas em Cabo Delgado”, bem como envio de ajuda humanitária. Num projecto de resolução (sem força de lei) hoje entregue na Assembleia da República, os sociais-democratas salientam que, em meados de Abril, a União Europeia referiu que “segue com apreensão o agravamento da situação humanitária em…

Leia mais

Fome, Covid-19, Malária, morte ou… AK-47?

O analista que segue as economias africanas na consultora Capital Economics considera que Angola pode ser um dos países mais beneficiados com o alívio de dívida, que pode chegar a 1,1% do Produto Interno Bruto (PIB). A Covid-19 abriu a caixa de Pandora e os pobres podem ter de escolher entre morrer à fome ou pela doença, diz o reitor da Universidade de Moçambique (UDM), Severino Ngoenha. “É difícil ter números actualizados sobre os pagamentos de dívida divididos por credor, mas os números de 2018 dão uma boa indicação, e…

Leia mais