Transição é truque para o Poder do MPLA ser eterno!

No percurso de combate à má-gestão, ao desvio de fundos públicos, ao despesismo, ao esbanjamento e a corrupção, mantive, desde o tempo de partido único, erecta a coluna vertebral, como homem de causas sociais, próximas da ideologia de esquerda cidadã. Por William Tonet Nunca me escondi por debaixo das saias do militantismo barroco, do “mesmismo”, do “social-facilitismo”, da cega ambição pelo poder ou da contestação covarde, no interior das casas de banho dos quintais. Falei alto. Dei a cara. Assumi, a voz, publicamente, em cadeia nacional de TV, num programa…

Leia mais

Nem sempre de acordo com o que escreve e publica

O meu amigo William Tonet fez-me o desafio de escrever algumas linhas sobre o Folha 8 e eu aceitei, porque embora não esteja sempre de acordo com o que ele escreve ou o que é publicado no Folha 8, tenho de ser honesto o suficiente para dizer no mínimo, que lhe gabo a coragem. Por Urbano Chassanha Aceitei também por William Tonet, embora tal faceta nunca tenha sido oficialmente reconhecida, foi o primeiro mediador da guerra civil angolana, em 1991, no Luena e por isso mesmo, o considero um injustiçado.…

Leia mais

BRICS? Não é possível
colher sem… semear

O presidente angolano, João Lourenço, afirmou na ultima sexta-feira que Angola quer ser integrada no BRICS (bloco de países emergentes que junta Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), beneficiando de ajuda para a reconstrução nacional do país. Por Osvaldo Franque Buela (*) A ambição do presidente angolano é grande, louvável e interessante, mas não se integra uma organização como os BRICS, como se fosse para se juntar à CPLP ou à Organização Internacional da Francofonia, OIF, sendo o BRICS um grupo de países que toma cada vez mais…

Leia mais

SIDA? É claro que… sim!

Angola, Moçambique e Cabo Verde estão entre os países africanos onde a situação das pessoas que vivem com o vírus da imunodeficiência humana (HIV) é mais preocupante, segundo o mais recente relatório da UNAIDS, hoje divulgado. Embora globalmente haja mais gente informada de que está infectada, não existiam, até 2015, dados disponíveis quanto à percentagem de diagnósticos nestes três países africanos, bem como no Brasil. Sob o lema “A SIDA não acabou, mas pode acabar”, o relatório divulgado por ocasião do Dia Internacional da SIDA revela que a cobertura da…

Leia mais