O Simon Bolívar do Cazenga ou do Cacuaco

É tragicómico observar um fala-barato, especialista em demagogia e contradição, opinar sobre economia e política internacional e sobre ética e diversidade, um militante de um partido sanguinário e cleptocrático, de “esquerda progressista”, o especialista em comunicação social, que nem conseguiu aquecer o lugar como ministro da propaganda do governo autocrático de João Lourenço. Foi “zonerado”. Por Domingos Kambunji João Melo, ultimamente, tem andado armado em Simon Bolívar, do Cazenga ou do Cacuaco, a “libertar” países da América Latina dos liberalismos e neoliberalismos, como “progressista de esquerda” e a tentar dar…

Leia mais

“Temos fome”. “Abaixo a ditadura”

“É verdade que não temos Internet móvel, mas também não temos medicamentos”, respondeu na terça-feira o ministro dos Negócios Estrangeiros cubano, Bruno Rodriguez. A Internet móvel foi restabelecida esta quarta-feira em Cuba, após três dias de interrupção depois das históricas manifestações de domingo, mas continua a ser impossível aceder a redes sociais e a aplicações de mensagens, constataram jornalistas da AFP. Com 3G ou 4G, o acesso à aplicação WhatsApp ou às redes sociais Facebook ou Twitter, entre outras, estava bloqueado, segundo a agência France-Presse. “É verdade que não temos…

Leia mais

Ser cubano (mas não só)
é meio caminho andado!

A contratação de médicos estrangeiros, nomeadamente cubanos, quando existem no país mais de 4.000 profissionais desempregados, foi hoje questionada, em Luanda, pelo Sindicato Nacional dos Médicos de Angola (Sinmea). Eles são médicos, são professores, são tudo o que Cuba quiser. É assim desde 1975, altura em que os mercenários de Fidel Castro vieram ajudar o MPLA a matar… angolanos. Segundo o presidente do Sinmea, Adriano Manuel, o Ministério da Saúde foi a Cuba para contratar médicos expatriados, “alguns deles com rótulos de especialistas”. “E quando vêm para Angola, nós identificamos…

Leia mais

Desmantele-se o MPLA

A democracia não é um sistema de governo perfeito mas até ver não há melhor. Este aforismo, diz que da autoria de Churchill, está tão batido que já dá náuseas e por isso nunca o proferi verbalmente e jamais pensei escrever tamanho lugar-comum e frase tão “cliché” e por isso para me penitenciar vou eu próprio forjar um axioma que pode ser que fique nos anais profundos, pardacentos e penetrantes da história e seja lapidado em estelas imponentes. Aliás eu não gosto de Churchill e não apenas por ser um…

Leia mais

Chineses apostam na língua portuguesa

Uma das mais prestigiadas universidades da China vai passar a ter a língua portuguesa como disciplina opcional, já no próximo ano lectivo, ilustrando a crescente importância dos países lusófonos para o comércio e diplomacia chineses. Enquanto isso, os países lusófonos tudo fazem, sem o assumir, para chutar o português para fora de jogo. A partir de Setembro, a Universidade Qinghua vai oferecer o português como disciplina opcional aos alunos de todos os cursos de licenciatura, disse à agência Lusa fonte da instituição. Localizada no norte de Pequim, a Qinghua é…

Leia mais

Burrocracia económica é crime contra angolanos!

O angolano acorda a cada dia que passa mais triste. Triste por o sol da manhã, não brilhar, nem na janela, dos que a têm… Triste por não saber contar as estrelas (que lhe disseram ser do Povo) à volta dos cometas. E, nesta maré, emerge a desolação, por nem o poder da Lua Minguante se poder conjugar, hoje. Por William Tonet O desespero invade o âmago do autóctone, quando ainda ontem, a maioria, além da maioria bajulante, acreditava numa transição presidencial capaz de capitalizar o melhor e o pior…

Leia mais

O meu encontro com Ele

Na minha idade já não se acredita muito em contos de fadas mas, às vezes, acontecem coisas na vida que não lembram ao diabo, nem mesmo a “deus” ou aos seus escolhidos na Terra. Ainda bem que pela manhã, logo após o matabicho, já tinha ingerido a minha dose de whisky. Não sei se era a primeira da manhã ou a última da noite, mas para o caso tanto faz. Por Jaime Avermelay A nossa agenda de trabalho, como gosto de salientar, começava com a cobertura de uma visita de…

Leia mais

O Jaime quase… quase…

Coitado do Jaime Azulay. Deve ser muito triste ser Jaime Azulay. Comparamo-lo com o nosso colega de escola, o Miguel, que baptizámos com a alcunha o “Coitos Abortados”. O Jaime quando puxa dos galões dourados de jornalista todos conseguem ver que esses galões não são de ouro, são de latão demasiado manchados de verdete. Por Domingos Kambunji O Jaime ficou muito satisfeito porque o presidente da Re(i)pública da Angola do MPLA, em Cuba, deu-lhe um aperto de mão e reparou que ele padecia do síndroma da obesidade. (As 164 pessoas…

Leia mais

Se é cubano e matou angolanos, tem direito
a ser herói do MPLA

O Presidente do reino do MPLA, João Lourenço, condecorou diversas personalidades cubanas com a Ordem Agostinho Neto. Nada de mais fiel ao ADN do MPLA, desde logo porque se não fossem os cubanos nunca o MPLA chegaria a ser governo, tal como nunca se poderia gabar de ser o autor moral e material do maior massacre de angolanos, no pós-independência, no 27 de Maio de 1977. João Lourenço condecorou com a mais alta distinção do MPLA, o homólogo cubano, Miguel Mário Diaz-Canel Bermúdez, o general de Exército e primeiro secretário…

Leia mais

Fuba do mesmo saco

O Presidente República, do MPLA e Titular do Poder Executivo, João Lourenço, prestou homenagem, em Havana, Cuba, ao pelos vistos único fundador da nação angolana, António Agostinho Neto, com a deposição de uma coroa de flores no busto erguido em sua memória. O que diria o mundo se, por exemplo, Ângela Merkel prestasse homenagem a Adolf Hitler? Por Orlando Castro Ouvidos os hinos nacionais de Angola e Cuba e depois de se ter inclinado invertebradamente sob o busto do maior genocida de Angola, Agostinho Neto, João Lourenço agradeceu o espírito…

Leia mais