E se o Povo acorda?

O Bureau Político do MPLA exortou hoje os angolanos a honrarem a “memória dos Heróis da Liberdade”, defendendo a paz, democracia e reconciliação nacional, encorajando o líder do partido e Presidente de Angola a prosseguir com as suas políticas. O comunicado do MPLA que assinala o Dia do Herói Nacional, feriado angolano que comemora o dia do nascimento de Agostinho Neto, primeiro Presidente após a independência de Angola, responsável pelos assassinatos de milhares e milhares de angolanos nos massacres de 27 de Maio de 1977, sublinha que o pensamento político-estratégico…

Leia mais

Feriado em honra de um genocida

O Papa Francisco assinalou no dia 27 de Janeiro de 2021, Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto alertando para o risco de voltar a acontecer. Fazendo nossas as palavras do Papa, o Folha 8 relembra hoje, Dia do Herói Nacional do MPLA (Agostinho Neto) e único em Angola, os massacres que ele ordenou em 27 de Maio de 1977, alertando igualmente para o risco de voltarem a acontecer. “Tenham atenção, vejam como começou esta estrada de morte, de extermínio, de brutalidade”, disse Francisco, no final da audiência geral,…

Leia mais

Agostinho Neto ao Poder, já!

O primeiro Presidente de Angola, António Agostinho Neto, foi um construtor de pontes, que lutou pela união dos movimentos de libertação nacionais para fazer frente ao colonialismo português, considera o historiador Auxílio Muhongo, citado obviamente por um dos órgãos oficiais do MPLA, no caso o Jornal de Angola (JA). Por Orlando Castro Segundo o também professor universitário, Agostinho Neto criou condições para o diálogo com os demais líderes de movimentos políticos angolanos da altura, como Holden Roberto, da FNLA, e Jonas Savimbi, da UNITA, mostrando que o inimigo comum era…

Leia mais

MPLA homenageia, em Menongue, o maior assassino angolano

De acordo com o órgão oficial do MPLA, Jornal de Angola (JA), a cidade de Menongue, província do Cuando Cubango, acolhe o acto central das festividades do 99º aniversário do nascimento do primeiro Presidente de Angola, António Agostinho Neto e o 42º da sua morte, ocorrida a 10 de Setembro de 1979, em Moscovo, antiga União das Repúblicas Socialista Soviética (URSS). O Folha 8 “junta-se” à homenagem… Por Orlando Castro Continuemos a citar a correia de transmissão do MPLA, JA: «O Governo provincial realiza, de 12 a 16 deste mês,…

Leia mais

O maior dos maiores (desde Diogo Cão)

O Bureau Político do MPLA, partido no poder em Angla há quase 46 anos e que tem como objectivo estratégico chegar aos 100 de poder ininterrupto, continua a apelar (exigir) a todos os angolanos de primeira (os únicos autorizados a manifestarem-se) a participarem “de forma patriótica” (ou seja, curvados e com trela) nas actividades que possam perpetuar o partido no cadeirão ditatorial. Numa declaração alusiva ao 45º aniversário da independência nacional, o Bureau Político do MPLA enalteceu as conquistas alcançadas ao longo do percurso histórico de Angola, tudo graças ao…

Leia mais

A imperiosa busca da verdade histórica

Os homens podem e desaparecem dada a lei natural da vida, mas existem aqueles que mantêm viva a sua chama pela força e convicção das ideias, como Nito Alves. E foi dentro deste espírito que um punhado de persistentes sobreviventes, no 24.07.21, no Auditório da LAASP, visando a manutenção da memória de todos quantos, no longínquo 27 de Maio de 1977, foram barbaramente encarcerados ou assassinados, decidiu lançar uma obra onde constam as “alegações de recurso” de Nito Alves, ao Comité Central do MPLA de Agostinho Neto, naquilo que ficou…

Leia mais

Entre a abjecção e a náusea – quando até as vítimas se tornam cúmplices da farsa

A chaga do 27 de Maio com o seu estendal de crimes bárbaros não se cura, já o afirmei em certa ocasião e volto a dizê-lo, com processos de gestão de conflitos conduzidos cima para baixo, como lamentavelmente se verificou em Angola. Por Carlos Pacheco Historiador angolano (*) Nós sabemos quem são eles e com quem estamos a lidar. Falo dos apparatchiks que nos enganam todos os dias com as suas técnicas de manipulação da informação no intuito de desfocar a realidade e oferecer das coisas uma visão idílica e…

Leia mais

Otelo pediu a Fidel para salvar o MPLA

Em 1975, MPLA, UNITA e FNLA estavam em guerra pelo poder em Angola. Na disputa participaram várias forças internacionais, em apoio do MPLA. Otelo Saraiva de Carvalho ajudou a convencer Fidel Castro a enviar tropas para a ex-colónia para apoiar o MPLA. O assunto era secreto. Por isso, era necessária máxima discrição. Enquanto uma delegação de portugueses e cubanos almoçava no restaurante “Los Canaviales”, perto da capital cubana, Havana, o militar da revolução portuguesa Otelo Saraiva de Carvalho, Raúl e Fidel Castro foram para uma sala mais isolada. Em cima…

Leia mais

Neto, o pai (in vitro) da Angolanidade

O primeiro colóquio do ciclo “O que é ser angolano/angolana? Mentalidade e aparência” realiza-se, hoje, no Memorial António Agostinho Neto (MAAN), em Luanda, com a finalidade de reunir contributos de reflexão para resolver as tensões e contradições referentes às memórias colectivas marcantes da história de Angola. O colóquio, uma iniciativa do Centro de Estudos para a Boa Governação (UFOLO), vai desenvolver uma série de ciclo de debates nacionais sobre “O que é ser angolano/angolana? Mentalidade e aparências”, com o objectivo de repensar o conceito de angolanidade em toda a sua…

Leia mais

Facínoras impunes

Nestas últimas duas ou três semanas, estou como o tolo em cima da ponte quando leio as notícias e comentários que jorram sobre os últimos acontecimentos em Angola. Das desculpas presidenciais sobre os massacres do 27 de Maio de 1977 à comissão para homenagear o genocida Agostinho Neto… Por Carlos Pinho (*) No passado ano de 2020 o ministro Queiroz, ao falar no âmbito do processo de reconciliação nacional, CIVICOP e quejandos, e na condição de líder da comissão CIVICOP, dava a entender despudoradamente ao que vinha, referindo hipocritamente que…

Leia mais