Colonização mental ocidental é contínua contra África

O mundo… parou! A minha “topografia-umbilical”, qual mundo, orgulhosamente, de utopia, carrega hoje, mais do que ontem, vergonha incontida, face à nossa colectiva omissão, inacção ou voto depositado, na maioria das vezes, ingenuamente, a favor de uma casta governante, incompetente, ditatorial, corrupta, malfeitora e assassina, cujo “mérito” é a criminosa liderança de países africanos e subdesenvolvidos, para o abismo sub-humano, superando os índices do colonizador. Por William Tonet A COVID-19 está aí, como prova acabada… O MPLA/actual, infelizmente, não se distingue, dos demais, pelo contrário… Estes falsos revolucionários, no período…

Leia mais

Angola em tempos de incertezas

O discurso do Presidente da República de Angola, João Lourenço, na abertura da 4ª sessão Legislativa da IV Legislatura não tem credibilidade. A intervenção é pobre para a crise instalada há 45 anos. Na quinta-feira, 15 de Outubro, o Presidente da República destacou os efeitos provocados pela pandemia da Covid-19 na economia e assegurou que seu Governo “vai continuar a apostar na política de desenvolvimento e diversificação económica, bem como na estabilidade macroeconómica”. Por José Marcos Mavungo (*) Li ao pormenor o bonito discurso do Chefe de Estado angolano, na…

Leia mais

“Fake news”, “fake rulers”

Quando os angolanos começam a ter noção de que ou morrem de fome, de Covid-19, ou dos dois juntos, João Lourenço lançou para a ribalta mais uma dose industrial de projectos, comissões, exonerações (mesmo de quem já tenha morrido), detenções, confiscos, congelamentos e até coloca uma cereja no topo do bolo da demagogia ao chamar Carlos Rosado de Carvalho para o Conselho Económico e Social. Carlos Rosado de Carvalho tem todo o direito de aceitar e reverenciar o autor do convite. Uns têm preço, outros têm valor. Uns sabem que…

Leia mais

Cartão vermelho (mais um)
à inépcia de João Lourenço

Cerca de oito em cada dez angolanos consideram que o Governo do país (é do mesmo partido, o MPLA, há 45 anos) está a ter um desempenho “mau” ou “muito mau” no desenvolvimento da sua economia, de acordo com um estudo realizado pelo Afrobarometer hoje divulgado. “C erca de oito em cada 10 angolanos avaliam como sendo “mau” ou “muito mau” o desempenho do Governo na manutenção da estabilidade dos preços (78%), criação de emprego (75%), melhoria da condição de vida dos pobres (75%) e a gestão geral da economia…

Leia mais

Jacarés no deserto?

João Lourenço, o Presidente do MPLA; João Lourenço, o Presidente da República; João Lourenço, o Titular do Poder Executivo, está há três anos a tentar tudo para ver se acerta em alguma coisa. O falhanço é total e clamoroso. O seu núcleo duro de bajuladores ainda não lhe explicou que não é possível caçar jacarés no deserto do Namibe… Por Orlando Castro Primeiramente apostou forte em conjugar (sempre na primeira pessoa do singular) o verbo exonerar. E assim foi substituindo seis por meia dúzia, acéfalos por quem não tinha cabeça.…

Leia mais

Porque não se cala?

O Presidente da República, João Lourenço, defende uma industrialização do continente africano assente numa nova perspectiva de aceleração, ancorada no “Plano Marshall da Alemanha com a África”. Em síntese, o que o se pretende é, por inépcia própria, que se peça dinheiro aos pobres dos países ricos para dar aos ricos dos países pobres. O Chefe de Estado angolano assumiu essa posição quando participava, por vídeo-conferência, na Terceira Edição da Cimeira Global de Manufacturação e Industrialização. No evento promovido pela Agência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (ONUDI), João…

Leia mais

Que país é este?

A propósito da sentença do caso conhecido por 500 milhões de dólares, que sempre estiveram à guarda do Banco Nacional de Angola, Maria Luísa Abrantes pergunta: «O que esperar de magistrados políticos e militares sem especialização e que não estudam?» Seria bom que todos aqueles que (ainda) não têm o cérebro nos intestinos (seja no delgado ou grosso), nem tenham sido amputados da coluna vertebral, meditassem no texto de Maria Luísa Abrantes, que a seguir se transcreve. Pelas razões expostas, serão poucos os dirigentes do MPLA que poderão meditar: «1.…

Leia mais

Covid-19 tornou-nos imortais

Hoje é hora de cada um perguntar se devemos, ou não, agradecer ao Titular do Poder Executivo (governo unipessoal), por nos ter, em tão pouco tempo, tornado imortais. IMORTAIS, sim! Malária, paludismo, febre amarela, diarreias, doença do sono, gota…? Ora, ora! Por William Tonet A invulgar energia governativa, em concentrar recursos financeiros públicos, exclusivamente, para a importação de medicamentos, material gastável e recursos humanos, para atender os infectados do COVID-19 parece demonstrar que todos quantos sobrevivam a esta pandemia, estarão imunes às outras endemias e doenças. A fome, diariamente, mata…

Leia mais

Privatizar a (megalo)mania

A Sociedade Gestora de Aeroportos (SGA) angolana vai gerir o processo de privatização da concessionária do sistema aeroportuário, cuja venda deverá ser feita a “investidores privados, preferencialmente operadores internacionais de aeroportos com experiência consolidada”. O modelo de privatização de alienação de uma participação maioritária na concessionária aeroportuária angolana consta da Estratégia Global para o Sistema Aeroportuário (EGSA) angolano, conforme consta do Decreto Presidencial nº 206/20, de 3 de Agosto, já publicado em Diário da República. Segundo o documento, a EGSA tem como objectivo “modernizar e potenciar a rede aeroportuária, cuja…

Leia mais

Antes de morrer, Angola estava… viva

O Cedesa, entidade internacional dedicada ao estudo e investigação de temas políticos e económicos da África Austral, em especial de Angola, considera que o Orçamento Geral do Estado revisto mostra que Angola terá “a maior contracção dos últimos 38 anos”, mas que o preço estimado do petróleo dá margem ao Governo para reformas. “N a verdade, segundo o relatório de fundamentação do OGE revisto, elaborado pelo Ministério das Finanças, projecta-se a maior contracção da economia angolana dos últimos 38 anos, com o Produto Interno Bruto a contrair -3,6%”, afirma o…

Leia mais