Como só morre quem está vivo…

O director executivo da organização não-governamental (ONG) Associação Construindo Comunidades (ACC), Domingos Fingo, afirmou hoje que a seca no sul de Angola “está a ser catastrófica”. Provavelmente o Presidente da República, João Lourenço, está a ter dificuldades em implementar uma solução para mais esta catástrofe por falta de “entendimento” estratégico com o Presidente do MPLA, João Lourenço, e com o Titular do Poder Executivo, João Lourenço… Domingos Fingo, que tem trabalhado no terreno, em conjunto com a Amnistia Internacional e com outras organizações, diz que a seca “está a criar…

Leia mais

Milhões de angolanos em risco

Milhões de pessoas estão em risco de vida e muitas já abandonaram as suas casas no sul de Angola devido à seca agravada pelas alterações climáticas que está a devastar aquela região, alertou a Amnistia Internacional. Enquanto isso obras emblemáticas do regime, como o metropolitano de Luanda ou o satélite AngoSat, estão a “bombar”. Viva os quase 46 anos de governação do MPLA… A organização humanitária referiu que a criação de fazendas para o comércio de gado em terras comunitárias expulsou comunidades pastorícias das suas terras desde o final da…

Leia mais

Com o MPLA quem se lixa é o Povo

A nova governadora da província de Luanda, Ana Paula Chantre Luna de Carvalho, elegeu (embora ela como todos os governadores provinciais não sejam… eleitos) como prioridades para a curto, médio e longo prazos o problema dos resíduos sólidos e da macro-drenagem da capital. Quem diria? Brilhante. Oremos irmãos! Para tal, a governadora de Luanda defendeu a necessidade da elaboração de programas com a colaboração dos administradores municipais. Na sua primeira intervenção, a nova governadora disse que vai trabalhar com os municípios para, de forma pontual e planificada, mitigar alguns problemas…

Leia mais

Dois hinos à (in)competência

Ao fim de pouco mais do que um ano, o Presidente da República, João Lourenço, exonerou Joana Lina do cargo de Governadora da Província de Luanda, nomeando para o cargo Ana Paula Chantre Luna de Carvalho, previamente exonerada do cargo de Secretária de Estado para o Ordenamento do Território. A meio do mês de Maio, as mais de 8.000 pessoas que ficaram desalojadas em consequências das chuvas torrenciais de Abril, em Luanda, continuavam a aguardar soluções por parte do governo provincial, que estava a “preparar o processo”, segundo disse no…

Leia mais

Governo impotável e inimputável

A Empresa Pública de Águas de Luanda (EPAL) vai instalar, provisoriamente, pontos colectivos de água para os moradores do bairro São João, após a divulgação da escassez de água naquela zona do município do Cazenga. Em Angola, com excepção do Governo do MPLA (lixeiras, malária, fome, pobres, desemprego, corrupção), tudo é provisório… até mesmo os angolanos. Em nota de esclarecimento, datada de 25 de Junho, a empresa diz que tomou conhecimento pela comunicação social (não afecta a marimbondos e caranguejos) da matéria sobre a situação daqueles moradores a “retirarem água…

Leia mais

As novas medidas e o aumento do desemprego

Conheço várias pessoas, em Kaluquembe, cuja fonte para alimentar as suas famílias limitava-se em ir a Luanda, comprar coisas, como roupa, perfumes, cabelo, dar a kilapi e outros entregar a jovens para zungar por elas, criando, assim, uma ampla rede de comercial onde cada comia a sua medida. Por Edu Rocha (*) Outras, iam à Namíbia, pegavam produtos de lá e faziam a mesma coisa. Há jovens (mulheres) tralhando nesses armazéns e como o ordenado não lhes cobre a conta, às 19h, nas ruelas do Lubango, acendiam um fogareiro em…

Leia mais

Alarme sanitário? Claro. O habitual!

Enquanto médicos alertam para o “agravar da situação sanitária” em Luanda, que se reflecte já nos hospitais primários e terciários, apontando a “malária e as doenças diarreicas” como as principais patologias nos bancos de urgência, o presidente João Lourenço aprovou a despesa para a construção de uma nova morgue em Luanda, num valor estimado de 13 milhões de dólares. Para os profissionais de saúde, as chuvas e os enormes amontoados de lixo que se registam em quase toda a extensão da capital angolana estão a “concorrer negativamente para o deplorável”…

Leia mais

Está difícil viver sem… comer!

Cerca de 562 mil angolanos enfrentaram em 2020 situações de crise ou emergência alimentar, indica um relatório publicado hoje, com previsões de “riscos significativos” para a população e considerando as condições climáticas extremas como principais causas. O relatório em causa foi apresentado hoje na ONU e foi realizado pela Rede Global Contra as Crises Alimentares (GNAFC, na sigla em inglês), uma aliança da ONU com a União Europeia e agências governamentais e não-governamentais. Em Angola, entre Outubro de 2019 e Fevereiro de 2020, cerca de 562 mil pessoas encontravam-se em…

Leia mais

Luanda está “lixada” e o Povo também

Cerca de 30 jovens participaram hoje num protesto contra a falta de soluções para o lixo na cidade de Luanda, alertando para os riscos para a saúde pública e pedindo soluções sustentáveis e de longo prazo. Há 45 anos que o MPLA mostra do que é capaz. Embora os especialistas externos lhe digam para deixar a porta aberta, o MPLA acha que a solução é deixar a Berta à porta… “Venda de lixo é bom negócio”, dizia o Jornal de Angola em 16 de Setembro de 2012. “Isto é um…

Leia mais

A verdadeira marca registada do MPLA

Por estes dias, vagueando pela internet, em sítios sobre notícias sobre Angola, passei por um título deveras interessante, “Angola tem mais de 64.000 marcas registadas”. Para ser mais preciso, o referido montante é de 64.968 marcas. Veio-me logo à cabeça, mas falta uma! De facto o número correcto deveria ser de 64.968 + 1. Este mais um é a marca que faltava, é a grande marca registada do MPLA. A sua referência máxima! O seu paradigma! O seu nec plus ultra em termos de competência! O lixo! Por Carlos Pinho…

Leia mais