Machismo gera violência

A responsável do combate à violência doméstica do Serviço de Investigação Criminal angolano, Conceição Nhanga, considerou hoje que ainda prevalece em Angola uma cultura “machista e patriarcal”, defendendo a necessidade de uma mudança de mentalidade do homem angolano para contrariar o fenómeno. “O homem angolano precisa de estar mais consciencializado para esta problemática e de uma mudança de mentalidade, que conta com uma cultura machista e patriarcal e isso são alguns dos factores que também contribuem para que seja ele o grande perpetrador da violência doméstica em Angola”, sublinhou hoje…

Leia mais

Vítimas do 27 de Maio terão apoios ainda este… século!

O Governo angolano vai aprovar um estudo para reparar os danos sofridos pelas vítimas de repressão, pelos défices de governação e por perseguição política, anunciou, em Genebra, o ministro da Justiça e Direitos Humanos, Francisco Queiroz. Em tese serão incluídas as vítimas desse “pequeno incidente” em que foram assassinados pelo MPLA milhares e milhares de angolanos nos massacres do 27 de Maio de 1977. Segundo o governante, que falava na 125ª sessão ordinária do Comité para os Direitos Humanos das Nações Unidas, o estudo prevê ressarcir as vítimas dos massacres…

Leia mais

Crescimento volátil e
pobreza (bem)… firme!

Angola foi o país do sul de África com mais investimento estrangeiro directo de 2000 até 2016, de acordo com dados compilados pela União Africana (UA) e Organização de Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE). Resultado? É imperativo (neste caso para óbvio gáudio de actual Presidente do partido que nos governa há 43 anos) falar-se do aumento da pobreza (20 milhões de pobres) e das iniquidades e assimetrias sociais. No período de 16 anos analisado no relatório “Dinâmicas do Desenvolvimento em África – Crescimento, Emprego e Desigualdade 2018″, Angola registou 40%…

Leia mais

Portugal ajuda Angola a barrar entrada do Ébola

Três especialistas portugueses vão integrar uma missão internacional de prevenção e resposta rápida ao Ébola para ajudar Angola a conter o surto que afecta a República Democrática do Congo (RDCongo). Segundo a microbiologista do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (Portugal), Ana Pelerito, uma das especialistas que integra a equipa que vai dar formação em Luanda, entre 13 e 18 de Agosto, o objectivo é “poderem estar preparados” para prevenir e controlar um possível surto de vírus em Angola. Serão cerca de 15 elementos de diferentes países que vão…

Leia mais

Guerra às notícias falsas

A organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF) lançou hoje um sistema internacional para lutar contra a desinformação na internet, as “fake news” (notícias falsas), que visa certificar os media que respeitam os critérios de integridade e de deontologia. Em discussão há quase um ano, o sistema “Journalism Trust Initiative” (JTI), que significa iniciativa para a confiança no jornalismo, foi concebido pela RSF em conjunto com a Agence France-Presse (AFP), a União Europeia de Radiodifusão (UER ou Eurovisão) e a Rede Mundial de Editores (Global Editors Network, GEN). “Actualmente, as informações falsas…

Leia mais

Descontando ser mentira, estamos entre os melhores

Entre os países da Comunidade de Países de Língua (+ ou -) Portuguesa, CPLP, Moçambique é classificado como um regime “híbrido”. Na classificação da The Economist, Angola, Guiné-Bissau e Guiné Equatorial surgem como países “autoritários”. Cabo Verde manteve este ano a liderança dos países lusófonos no elaborado anualmente pela The Economist, ocupando o 23º lugar entre os 167 Estados analisados, três posições à frente de Portugal e 26 do Brasil. Num índice em que não figura São Tomé e Príncipe, a The Economist Intelligence Unit, subordinado ao tema “Liberdade de…

Leia mais

Todos somos Mbanza Congo

O Governo angolano quer utilizar a cidade de Mbanza Congo, classificada desde 2017 como património da Humanidade, em beneficio das populações da região, avançando nomeadamente com uma disciplina universitária específica, disse hoje a ministra da Cultura. A ministra Carolina Cerqueira falava hoje, em Luanda, numa cerimónia oficial, tendo garantido que a realização do festival FestiCongo, sobre a cultura dos povos do antigo Reino do Congo, consta do vasto programa de valorização daquela cidade, capital da província do Zaire, e um dos desafios do sector da Cultura em 2018. “Vamos ter…

Leia mais

Produtores de conteúdos ou jornalistas?

A maioria dos jornalistas em Portugal recebe menos de 1.000 euros líquidos por mês e um terço trabalha com vínculo precário, segundo um inquérito do ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa, hoje divulgado. Por Orlando Castro (*) Nada mau. Ficamos a saber que, segundo o ISCTE, é igual ser jornalista, produtor de conteúdos, operário nas fábricas de enchimento de textos de linha branca, ou moço de fretes dos donos dos “jornalistas” e dos donos dos donos. O trabalho, realizado por uma equipa do ISCTE, em parceria com o Sindicato dos Jornalistas e…

Leia mais

Classe média? Cinco milhões

As conclusões de um recente estudo do Observatório Angola revelam que cerca de cinco milhões de angolanos são – de acordo com a bitola do trabalho – considerados como pertencendo à classe média. Ou seja, auferem mais de quatro dólares por dia. D o ponto de vista técnico, o trabalho envolveu a “combinação de vários contributos” que procuram cobrir toda a sociedade e foi consubstanciado através de entrevistas a um universo de 2.058 pessoas, permitindo concluir que a classe média e a classe média emergente no nosso país, regista rendimentos…

Leia mais

“Luanda-Cidade (im)Previsível)”

A tese de doutoramento da arquitecta Sílvia Viegas sobre Luanda analisa a situação da habitação na capital angolana desde 2002, alertando para situações imprevisíveis provocadas pela forma como os musseques são intervencionados pelo Estado. “A qualificação do musseque é uma alegada intenção do Governo, mas na prática isso não existe”, disse à Lusa Sílvia Leiria Viegas, investigadora do Grupo de Estudos Socio-Territoriais, Urbanos e de Acção Local (GESTUAL) da Faculdade de Arquitectura da Universidade de Lisboa. Para a elaboração da tese “Luanda-Cidade (im)Previsível)”, a investigadora deslocou-se à capital angolana para…

Leia mais