Porque nunca é de mais!

Mais do que nunca, porque nunca é de mais, o Folha 8 repete hoje o artigo “Obrigado Tomás Lima Coelho”, publicado a 27 de Janeiro de 2018, a propósito do livro “Autores e Escritores de Angola (1642-2015)”, uma Obra exemplar que colocou Angola como o primeiro dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa a possuir um acervo desta natureza. “Venho participar o fim do meu trabalho de mais de dez anos em prol da(s) literatura(s) produzida(s) por angolanos(as), tanto no país como na diáspora”, afirmou Tomás Lima Coelho. “Quando em…

Leia mais

Olé, olá, Carolina!

A ministra de Estado para todas as áreas (pequenas e grandes), Carolina Cerqueira, destacou hoje a necessidade de uma maior representatividade africana na Bienal de Luanda-Fórum Pan-Africano para a Cultura de Paz, a ter lugar, na capital angolana, em Outubro. A ministra, que falava na primeira reunião da Comissão Multisectorial da Bienal de Luanda, para constituir um espaço de reafirmação do compromisso para com a conquista e manutenção da paz e dos seus ideais, é necessária uma advocacia forte para trazer ao país o maior número de personalidades africanas. Carolina…

Leia mais

Huambo capital da (in)cultura

As obras de construção do Centro Cultural do Huambo, a cargo da empreiteira Teixeira Duarte e paralisadas há sete anos, por razões financeiras e questões burocráticas (o habitual em todo o país), podem se retomadas dentro de dois meses. A garantia, uma de muitas, é dada pelo ministro da Cultura, Turismo e Ambiente, Jomo Fortunato. Vale o que vale, obviamente. Jomo Fortunato, segundo o órgão oficial do MPLA (Jornal de Angola) considera que o Centro Cultural é “uma obra imponente que pode transformar-se num espaço multidisciplinar e multimédia”, servindo de…

Leia mais

Leonardo Oliveira vence Prémio Literário UCCLA

Na data em que se comemora o Dia Mundial da Língua Portuguesa, a UCCLA anuncia que o livro “O Sonho de Amadeu”, de Leonardo Oliveira, é o vencedor da 6ª edição do Prémio Literário UCCLA – Novos Talentos, Novas Obras em Língua Portuguesa. A obra será publicada pela Guerra e Paz editores. “O Sonho de Amadeu”, de Leonardo Oliveira, 38 anos, do Rio de Janeiro, Brasil. A obra vencedora, de acordo com o júri, é “prosa trabalhada, frase curta, paisagens urbanas, no prólogo que é já um trabalho de ficção,…

Leia mais

“Literatura e Cultura em Tempos de Pandemia”

A UCCLA (União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa) prevê lançar a 6 de Maio, dia Mundial da Língua Portuguesa, o livro “Literatura e Cultura em Tempos de Pandemia”. Esta obra resulta de um desafio lançado a escritores e agentes culturais de todos os países de Língua Oficial Portuguesa, para elaborarem um texto (em prosa ou poesia) a propósito da pandemia que está a afectar, de forma traumatizante todo o mundo e, de modo especialmente profundo, o sector cultural. Este livro é assim o produto das contribuições de 75 autores,…

Leia mais

Como de pão para a boca…

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e o Ministério das Finanças de Angola assinaram um memorando de entendimento para alavancar o conhecimento das comunidades e sociedade civil em matéria do Orçamento Geral do Estado (OGE). Bem visto. Era mesmo disso que os nossos 20 milhões de pobres precisavam… como de pão para a boca! O memorando de entendimento visa promover plataformas de diálogo em sede do OGE, com a elaboração de eventos de debates e de carácter pedagógico, bem como a elaboração de estudos e análises que…

Leia mais

Vasco Graça Moura, a CPLP e o… português

Como o Folha 8 escreveu hoje, o Prémio Vasco Graça Moura – Cidadania Cultural distinguiu o gestor e jurista Emílio Rui Vilar, cujo percurso profissional “constituiu um expressivo exemplo de cidadania cultural”. Vasco Graça Moura nasceu no dia 3 de Janeiro de 1942 e morreu em 2014. Vasco Graça Moura considerava que a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) era uma espécie de organização fantasma, “que não serve para rigorosamente nada”, a não ser “ocupar gente desocupada”. “O Instituto Internacional da Língua Portuguesa não está em funcionamento porque nenhum…

Leia mais

A Arte é um privilégio de Deus

Paulo Jazz faleceu na última quarta-feira, 16, no complexo hospitalar, Américo Boavida, em Luanda. Com a sua morte, o país perde um filho virtuoso, detentor de talento raro, e um dos pioneiros na internacionalização das artes plásticas angolanas, logo após a Independência. Paulo Jazz faleceu, aos 63 anos, deixando um enorme vazio no seio dos artistas e familiares. A sua figura imortaliza-se no desenho e na pintura. O finado artista foi uma personalidade incontornável no mosaico cultural angolano. Paulo Jazz, nome artístico de José Paulo Esteves, nasceu em Luanda, em…

Leia mais

“Procultura” para PALOP e Timor

O Instituto Camões escolheu o Dia da Música para apresentar hoje um “projecto inédito” que pretende criar 800 novos empregos nas áreas da música, artes cénicas e literatura infanto-juvenil nos PALOP (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa) e Timor-Leste, metade dos quais para mulheres. A iniciativa, hoje apresentada em Lisboa, vai permitir, pela primeira vez, que entidades de direito público ou privado a operar no sector cultural nos PALOP e Timor-Leste se candidatem a subvenções até 7,8 milhões de euros. “É um projecto pioneiro, os olhos europeus estão em nós”,…

Leia mais

Ler é ser… livre

Um gesto altruísta de dois jovens angolanos revelou que há, em Luanda, “verdadeiros papões de livros”, que diariamente acorrem a uma biblioteca livre, criada debaixo de uma via pedonal, no município de Viana. Só um Povo culto consegue ser livre e ter capacidade para pensar pela própria cabeça, agir em vez de reagir, pôr o poder das ideias acima das ideias de Poder, pôr a força da razão acima da razão da força. Em matéria de cultura, João Lourenço vendeu-nos a ideia de que iria revitalizar o sector, nomeadamente no…

Leia mais