OBSERVADORES À E POR MEDIDA

A Comissão Nacional Eleitoral (CNE) angolana, sucursal do MPLA, anunciou hoje que vai formular convites para observação eleitoral a nove organizações internacionais, nomeadamente a União Europeia (UE), União Africana, Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, SADC e Centro Carter dos EUA. Convites para observação das eleições gerais de Angola, convocadas para 24 de Agosto, começara hoje a ser formulados também à Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), Conferência Internacional para a Região dos Grandes Lagos (CIRGL), Fórum das Comissões Eleitorais dos Países da SADC (Comunidade de Desenvolvimento da…

Leia mais

UNITA FORMALIZOU CANDIDATURA

A UNITA, maior partido da oposição que o MPLA ainda permite em Angola, submeteu esta terça-feira ao Tribunal Constitucional a candidatura às eleições gerais de Agosto, com Adalberto da Costa Júnior como cabeça-de-lista e candidato a Presidente da República, e Abel Chivukuvuku para vice-presidente. Em declarações à imprensa, o secretário-geral da UNITA, Álvaro Daniel, disse que foram apresentados os documentos requeridos por lei tanto para os candidatos a Presidente e vice-presidente da República, como para deputados à Assembleia Nacional, numa lista de 130 efectivos e 45 suplentes. “Esta é uma…

Leia mais

O CASTELO ESTÁ A RUIR E O REGIME UTILIZA ARMAS BÉLICAS

Os angolanos estão a ser confrontados com quatro das espécies mais perniciosas do planeta: o sabujo; o “buçalogo”, o partidocrata e o “perfeito”. Elas poderão, num curto espaço de tempo, levar o país para a derrocada, accionando o botão militar, por perca de controlo e incompetência do auto-denominado perfeito. Essa tribo, sedenta de poder, em desespero de causa, não se importa(rá) em navegar, nos rios de sangue, para continuar no leme de um barco onde a maioria dos marinheiros a rejeita, face à má navegação. Por William Tonet O cenário…

Leia mais

MPLA ASSASSINOU A TRANSPARÊNCIA E A CREDIBILIDADE

A investigadora da Universidade de Oxford, Paula Roque, defendeu hoje que as eleições de Agosto em Angola serão “as menos transparentes e credíveis” das realizadas até agora, e disse recear o que possa acontecer no dia pós-acto eleitoral. Há cada vez mais gente a dizer o que o Folha 8 há muito diz. “Tudo indica que estas eleições serão as menos transparentes e credíveis de todas” em Angola, afirmou Paula Roque, uma das oradoras na sessão de abertura do II Congresso Internacional de Angolanística, que decorreu em Lisboa, uma iniciativa…

Leia mais

SE OS MORTOS ESTIVESSEM VIVOS VOTARIAM NO MPLA. PORTANTO…

O líder da UNITA, Adalberto da Costa Júnior, diz que as estimativas do seu partido apontam que há mais de 2,5 milhões de mortos nas listas eleitorais do país. Não é novidade. Tal como não é novidade que muitos deles “vão” votar no MPLA. Como noutras eleições, em muitos locais as votações foram de 100%, incluindo… mortos. O ficheiro eleitoral entregue à Comissão Nacional Eleitoral tem um número superior de eleitores ao ficheiro provisório do qual deveriam ser expurgados “os mortos, os transitados em julgado e os que tiverem comprovadamente…

Leia mais

MORTOS TÊM DIREITO A VOTAR… NO MPLA

Mais de 22 mil cidadãos angolanos actualizaram o seu registo eleitoral em 12 países estrangeiros e estão habilitados a votar nas eleições gerais marcadas para 24 de Agosto, anunciou o governo angolano. No espaço de algumas horas passaram de 18 mil para 22 mil… “Hoje remetemos à Comissão Nacional Eleitoral (CNE), o ficheiro informático dos cidadãos maiores definitivo contendo um total de 14.399.391 eleitores. Deste 22.560 actualizaram o seu registo eleitoral mo exterior, em 12 países e 26 cidades, nomeadamente de África do Sul, Alemanha, Bélgica, Brasil, França, Grã-Bretanha Namíbia,…

Leia mais

O MILAGRE DA MULTIPLICAÇÃO

O MPLA, partido no poder em Angola há 46 anos (desde a independência), submeteu hoje à sua sucursal Tribunal Constitucional a sua candidatura para as eleições gerais do dia 24 de Agosto deste ano, com um número de subscrições que ultrapassaram as 15.000 exigidas por lei. Quem diria, não é? O processo, organizado em 212 pastas, foi entregue pelo mandatário Pedro Neto, que esteve acompanhado pela vice-presidente do MPLA, Luísa Damião, pelo secretário-geral do partido, Paulo Pombolo, e outros dirigentes da organização política, entre os quais a candidata a vice-Presidente…

Leia mais

SUPER PRESIDENTE FAZ O MPLA AVANÇAR PARA… TRÁS

A cada dia que passa fica claro que o MPLA não está preparado para enfrentar o maior partido da oposição que, por enquanto, o MPLA ainda permite, a UNITA. Daí violência verbal (a roçar a arruaça) do triunvirato que dirige o país: Presidente do MPLA, Presidente da República e Titular do Poder Executivo… Literalmente, todo o mundo que se preocupa com o que se passa em Angola (se é que alguém se preocupa) sabe que se multiplicam as manifestações e intervenções públicas de inúmeros cidadãos, organizações sociais, partidos que têm…

Leia mais

A(MPLA) ABERTURA AOS ANGOLANOS DE PRIMEIRA

A Comissão Nacional Eleitoral de Angola (sucursal do MPLA) definiu hoje – tal como ordem superior oriunda do patrão – um limite de dois mil observadores nacionais às eleições de 24 de Agosto, que terão até 30 dias antes das eleições para seguirem os passos necessários neste processo. “Para efeitos de reconhecimento e acreditação de Observadores Eleitorais Nacionais, a Comissão Nacional Eleitoral fixa a quota de até 2.000 observadores”, lê-se no artigo 7º do Regulamento sobre o Reconhecimento e Acreditação dos Observadores Eleitorais, publicado na segunda-feira em Diário da República.…

Leia mais

OBSERVADORES ELEITORAIS SÓ FEITOS À MEDIDA… DO MPLA

O líder da UNITA, Adalberto da Costa Júnior, apelou ao Governo angolano (ou seja ao MPLA) para que avance com o pedido de observação internacional democrática das próximas eleições, para que esta não se restrinja aos “primos africanos”. Não serão primos africanos. Serão mesmo irmãos do MPLA, sejam africanos e/ou europeus. Adalberto da Costa Júnior falava aos jornalistas após receber uma delegação da União Europeia, num encontro em que foram analisados desafios do período eleitoral, entre outros temas, e que descreveu como “bastante positivo”. Sublinhando as “grandes expectativas” quanto a…

Leia mais