POLÍCIA (DO MPLA) ESPECIALIZA-SE EM MATAR

Os sinais estão aí. De violência em violência, até à violência final! Esta parece ser a marca identitária do MPLA: sangue, mortes, luto e dor. O povo que se dane, por o poder ser, para o MPLA, mais importante do que a vida humana. Por William Tonet A Polícia Nacional (do MPLA), desta vez, ao serviço da máfia chinesa, assassinou, covardemente, no 26 de Maio de 2022, três trabalhadores angolanos, que apenas reclamavam por melhores condições laborais, na obra de construção da barragem de Caculo Cabaça, onde os salários são…

Leia mais

PARA O MPLA OS FINS JUSTIFICAM (TODOS) OS MEIOS

A UNITA condenou hoje que o considera ser uma “onda de prisões arbitrárias” no país e apelou ao governo, sobretudo ao Presidente da República, João Lourenço, para que incentive o diálogo nacional. Não seria melhor fazer o mesmo apelo ao Presidente do MPLA (João Lourenço), ao Titular do Poder Executivo (João Lourenço) e ao Comandante-em-Chefe das Forças Armadas (João Lourenço)? AS declarações foram feitas hoje pelo secretário-geral do principal partido da oposição que o MPLA ainda permite em Angola, Álvaro Chikuamanga Daniel, numa conferência de imprensa em que a UNITA…

Leia mais

NÃO TENHAM MEDO DA VERDADE!

A Igreja Católica angolana exortou os partidos políticos do país a “cessarem imediatamente” com as “agressões e ultrajes” entre militantes por não comungarem da mesma ideia, sobretudo com o aproximar das eleições, e se “tornarem instrumentos de paz”. Abençoados sejam os pobres de espírito que deles será o Reino de Deus. Aos outros está reservado o reino da Terra. A Comissão Episcopal de Justiça e Paz, órgão da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé (CEAST), lidera a “Jornada Nacional da Reconciliação e da Paz”, que decorre em Angola entre…

Leia mais

O MPLA É ANGOLA? ANGOLA É DO MPLA?

A consultora Oxford Economics Africa considerou hoje que o Governo de Angola (do MPLA há 46 anos) vai provavelmente “usar e abusar dos recursos estatais” para garantir a vitória nas presidenciais, antevendo mais confrontos entre apoiantes do MPLA e da UNITA. Também hoje, Abel Chivukuvuku alertou para “preocupantes sinais de intolerância” política em Angola, numa altura em que o país prepara eleições gerais, e sublinhou que sair do poder “não é o fim”. “A violência política não é rara em Angola e tem havido um aumento notório dos protestos contra…

Leia mais

DIREITOS HUMANOS? UM DIA… TALVEZ!

A Human Rights Watch (HRW) aplaudiu a entrada em vigor do novo código penal em Angola, que descriminaliza a homossexualidade, mas alerta para a implicação das forças de segurança angolanas em violações graves dos direitos humanos. O relatório da HRW não foi, obviamente, contraditado pelos donos do país, nomeadamente pelo Departamento de Informação e Propaganda do MPLA… No capítulo dedicado a Angola do seu relatório anual, hoje publicado, a organização não-governamental recorda que em 2021 entrou em vigor o novo código penal em Angola, que substituiu uma lei obsoleta, de…

Leia mais

CARREGAR, APONTAR… MATAR

Numa posição conjunta e unânime, o Presidente do MPLA (João Lourenço), o Titular do Poder Executivo (João Lourenço) e o Presidente da República (João Lourenço) afirmam que “o que aconteceu na segunda-feira foi um verdadeiro acto de terror, cujas impressões digitais deixadas na senda do crime são bem visíveis e facilmente reconhecíveis e apontam para a materialização de um macabro plano de ingovernabilidade através do fomento da vandalização de bens públicos e privados, incitação à desobediência e à rebelião, na tentativa da subversão do poder democraticamente instituído”. A UNITA, principal…

Leia mais

QUANDO OS JOVENS DERROTAM O MEDO…

O bispo católico da “província” angolana de Cabinda, Belmiro Chissengueti, considerou hoje que os actos de vandalismo registados na segunda-feira em Luanda, na sequência da paralisação dos taxistas, “manifestam a necessidade imperiosa de um diálogo social intenso”. E talvez (dizemos nós), a urgência de o Presidente da República e do MPLA não deitar gasolina para a fogueira, incendiando (como recentemente disse João Lourenço) o “teatro de operações”. “E é esta necessidade de coração misericordioso, dialogante e compassivo que o país precisa no momento presente da sua história. Os acontecimentos de…

Leia mais

A REVOLTA DA CONGESTÃO DE FOME

Jornalistas dos canais controlados pelo MPLA, TV Zimbo e TV Palanca, sofreram hoje uma tentativa de linchamento quando reportavam incidentes ocorridos em Luanda, onde decorria uma paralisação dos táxis. A imagem que ilustra este texto, onde – por exemplo – se constata que a TPA é a campeã dos subsídios do Estado, sendo que sozinha recebe mais dinheiro do OGE do que os caminhos-de-ferro de Benguela, Luanda e Moçâmedes juntos, ajuda explicar quem é que, num país com 20 milhões de pobres, criou este fenomenal barril de pólvora. Por Orlando…

Leia mais

Violência na África do Sul interrompe administração de vacinas contra a Covid-19

A África do Sul suspendeu a administração de vacinas contra a Covid-19 devido à violência que tem afectado o país, disseram hoje as autoridades de saúde do país que enfrenta um aumento exponencial de casos. “Por agora, tivemos de suspender as vacinas em Kwazulu-Natal”, anunciou o grupo hospitalar privado Netcare, citado pela agência France-Presse, que dá conta que a suspensão está ligada às dificuldades dos fornecedores em obter medicamentos para os hospitais que transitam desde a capital económica, Joanesburgo. “Enfrentámos dificuldades relacionadas com a escassez de trabalhadores, que não puderam…

Leia mais

Os crimes das forças beligerantes no conflito armado da independência de Angola

Se Portugal incorreu em crimes de lesa-humanidade, as forças insurgentes não lhe ficaram atrás. Uns e outros enganados por doses opressivas de propaganda e oxidados na violência e na xenofobia. Por Carlos Pacheco Historiador angolano (*) Nos últimos tempos reganhou fôlego nos círculos da intelectualidade portuguesa o debate em torno do que é comum designar por guerra colonial. Fala-se muito da legitimidade da violência das organizações nacionalistas em armas contra o terror da hidra colonialista e das balas disparadas pelos portugueses contra populações inocentes nos teatros de guerra africanos. As…

Leia mais