Presidente come de cebolada a debilitada sociedade civil

Presidente come de cebolada a debilitada sociedade civil

Por regra, de acordo com os modernos conceitos de civilidade democrática, Angola deveria ser constituída por uma sociedade civil que, na defesa dos interesses comum à esmagadora maioria do Povo, deveria ser autónoma e crítica dos poderes públicos, mesmo que democraticamente eleitos, bem como dos seus dirigentes políticos. Dir-se-ia que a estabilidade e pujança de Angola, enquanto nação independente, deveria depender da vitalidade dessa sociedade civil. No entanto, se a pujança do país for proporcional a essa vitalidade, vamos mal. Todos falamos muito, quase se dizendo que falamos calados, todos junto, um de cada…

Leia mais

“Olhai para o que eu digo e não para o que fazemos”

"Olhai para o que eu digo e não para o que fazemos"

O cónego Apolónio Graciano instou hoje, sexta-feira, na cidade do Lubango, província da Huíla, os líderes políticos a serem os primeiros a pautar por uma linguagem conciliadora que ajude a consolidar a paz e promova o espírito de diálogo. O clérigo dissertou uma palestra sobre a “Paz: Uma conquista de todos os angolanos”, enquadrada no acto de exaltação e divulgação dos feitos do Presidente de Angola, José Eduardo dos Santos, promovido pelo Movimento Nacional  Espontâneo (MNE). Na ocasião, o cónego sustentou que os líderes partidários devem, por consciência, ajudar a cimentar a paz e…

Leia mais

“Poderes excessivos do Presidente são extremamente perigosos”

Podia ser, e até com mais propriedade, em Angola. Mas não. A afirmação refere-se a Moçambique. No que se aplicar pode, contudo, ser comparada com a situação de José Eduardo dos Santos. Recorde-se, todavia, que Moçambique já teve vários presidentes eleitos… O líder do MDM (Movimento Democrático de Moçambique) quer reduzir os “excessivos poderes do Presidente da República”, por serem “extremamente perigosos”, tornando o chefe de Estado numa figura que gera o medo entre os moçambicanos. “Estamos a falar das nomeações dos magistrados, dos reitores das universidades e até de alguns directores. Esses poderes…

Leia mais

Existe democracia? “Sim”, diz o MPLA. “Não”, dizem todos os outros

As forças opositoras ao MPLA, partido que governa Angola desde 11 de Novembro de 1975, dizem haver um grande défice de  princípios democráticos no país. O partido no poder realça os ganhos da paz para o país. Um grupo de ONGs organizou a conferencia sobre a paz, reconciliação nacional e democracia. A organização pretendia ouvir a versão dos três movimentos de libertação nacional, hoje partidos, sobre a paz, o processo de reconciliação nacional e da democracia em Angola. O historiador Almerindo Jaka Jamba a representar a UNITA  considerou haver ainda muito por fazer,…

Leia mais

Relações bilaterais? Excelentes!

O embaixador de Portugal em Angola, João da Câmara, considerou, em Ndalatando, Kuanza Norte, excelente a cooperação entre os dois países, no âmbito das relações bilaterais. O diplomata português falava à imprensa no final do encontro que manteve com a comunidade portuguesa residente no Kuanza Norte, no âmbito da visita que efectua à província. João da Câmara afirmou que tal facto é evidenciado pelo intercâmbio que os dois países mantêm nos vários domínios, nomeadamente na vertente empresarial, política, económica e cultural. De acordo com o diplomata, as boas relações entre…

Leia mais

Assessores armaram cilada ao Presidente

O Presidente da República revogou a promoção a brigadeiro de um dos autores (António Manuel Gamboa Vieira Lopes) do homicídio de dois opositores ao regime,  Alves Kamulingue e Isaías Cassule, e que levou o Tribunal Provincial de Luanda (TPL) a declarar-se incompetente para fazer o julgamento. O Folha 8 fez manchete do assunto. José Eduardo dos Santos leu e ficou engasgado. Mais uma vez, embora de forma indirecta, deu-nos razão. E agora quere que o general Geraldo Sachipengo Nunda,  Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas, explique a tocaia em…

Leia mais

Patriotismo precisa-se. Onde? No seio dos militantes do MPLA

Militantes do MPLA na província do Huambo foram instados hoje, sexta-feira, a elevarem o sentimento patriótico, de forma a preservar a paz, e assim contribuírem para a estabilidade macro-económica sustentável que a região regista. A exortação foi proposta pelo primeiro secretário local do partido que governa Angola desde 1975, Kundi Pahiama, na abertura da IX sessão plenária ordinária do comité provincial, tendo realçado que a consolidação da estabilidade macro-económica sustentável é premissa fundamental para a melhoria das condições de vida da população. Para que tal se concretize, segundo o dirigente partidário, é indispensável a…

Leia mais

Líderes parlamentares querem discutir eleições autárquicas

Os líderes dos Grupos Parlamentares da Assembleia Nacional reafirmaram hoje, sexta-feira, em Luanda, o interesse em ver discutido, no novo ano legislativo, o pacote de leis relacionado com as futuras eleições autárquicas em Angola. Em declarações, à imprensa, no final de uma Conferência de Líderes, a oposição sugeriu que este seja um dos temas a abordar no discurso à Nação, a ser proferido em 15 de Outubro, no Parlamento, pelo Chefe de Estado, José Eduardo dos Santos. Em relação à discussão do Pacote Legislativo das Eleições Autárquicas, o vice-presidente do Grupo Parlamentar do…

Leia mais

Nepotismo de Estado em todo o seu esplendor

Saiu a público, uma lista novinha em folha da lavra do Prof. Ngola Kiluange dando a conhecer aos angolanos e revelando a quem quiser ver em que pé vai dançando o nepotismo no seio da “Corte Presidencial”, uma das bases fundamentais da corrupção reinante no nosso país. Vejam só quais são os cargos públicos ocupados por familiares e amigos do presidente da República, jogador e árbitro de eleições! E atenção!, esta lista não é exaustiva!! Ministro do Ensino Superior – Adão do Nascimento -sobrinho do PR!!! Vice presidente da república- Manuel Vicente – sobrinho…

Leia mais

MPLA. Internacional? Sim. Socialista? Talvez

O Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA) participou na reunião anual da presidência da Internacional Socialista, em Nova Iorque, informou o próprio partido que está no poder desde 1975. De acordo com a mesma fonte, o MPLA esteve representado por uma delegação chefiada pelo secretário-geral do partido, Julião Mateus Paulo “Dino Matrosse”. A contribuição da Internacional Socialista para a paz e a segurança internacional, a análise dos actuais conflitos mundiais e a agenda política sobre a igualdade na economia global foram temas desta reunião, indicou a mesma fonte. O…

Leia mais