AMIGOS COMO DANTES? HUM!

O Presidente angolano, João Lourenço, pronunciou-se pela primeira vez sobre o regresso a Angola do seu antecessor e mentor (que depois transformou em líder dos marimbondos), José Eduardo dos Santos, ao país, afirmando ser bom para o país e para o partido (MPLA, no poder há 46 anos). As declarações de Lourenço são publicadas hoje num artigo do Financial Times (FT) que traça um retrato de Angola e dos seus desafios nos próximos tempos, destacando as dificuldades com que se confronta João Lourenço perante uma “tempestade” económica que ainda não…

Leia mais

Todo o mundo na expectativa

O Presidente da República angolano, João Lourenço, parte hoje para uma missão nos Estados Unidos da América, durante a qual irá participar na Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova Iorque. Na mala leva uma enciclopédia de auto-elogios e a prova da sua eficiência governativa, mensurável no (in)sucesso da luta contra a corrupção, na (in)segurança da sua Casa de Segurança, nos 20 milhões de pobres e no êxito da alternância na pasta da Economia – quatro ministros em quatro anos. A etapa inicial do périplo será em Washington, onde será…

Leia mais

Transferir jacarés do Kwanza para o Cunene não fez deles vegetarianos

Acabar com a corrupção (roubar o que é de todos para benefício de alguns é corrupção) no reino do MPLA continua a ser como acabar com as vogais na língua portuguesa. Essa peregrina ideia de querer pôr, em Angola, os corruptos a lutar contra a corrupção é digna dos bons alunos que o regime do MPLA formou e formatou ao longo de quase 46 anos. Por Orlando Castro O combate à corrupção em Angola apresenta resultados mais baixos do que seria de esperar? Essa de chamar combate à fantochada do…

Leia mais

Catamarãs, metro ou, talvez, biclas!

O Porto de Luanda lançou hoje um concurso internacional para a concessão, por 10 anos, da exploração dos terminais marítimos de passageiros do Kapossoca, Mussulo, Museu da Escravatura e Macôco. De acordo com uma nota do Porto de Luanda, as candidaturas deverão ser submetidas até 22 de Setembro, sendo os requisitos mínimos a capacidade técnica e financeira, nomeadamente capital próprio realizado não inferior ao equivalente a 300 mil dólares, volume de negócios médio anual dos últimos três anos não inferior ao equivalente a 500 mil dólares, e experiência mínima de…

Leia mais

Memórias do Plano Director de Luanda

Em Abril de 2018, o Presidente João Lourenço colocou nas mãos da ministra do Ordenamento do Território e Habitação, Ana Paula de Carvalho, a coordenação do Plano Director Geral Metropolitano de Luanda, para desenvolver, em 15 anos, a “nova” capital, elaborado pela empresa de Isabel dos Santos. Em causa estava o despacho presidencial 37/18, de 2 de Abril, com o qual o Presidente João Lourenço colocou a ministra Ana Paula de Carvalho a coordenar a implementação deste plano de milhares de milhões de euros, então “coadjuvada” pelo governador da província…

Leia mais

De estratégias globais de exclusão para estratégias de composição reactiva

Surpreendo-me com a comiseração de muitos com a situação, aparentemente degradante, do antigo chefe de Estado, José Eduardo dos Santos, apresentada num vídeo, acompanhado pelo nosso embaixador nos Emiratos Árabes Unidos. Por Por Marcolino Moco (*) Suspeito que muitos dos que tomam esta atitude de comiseração para com esta situação particular – componentes da elite da nossa sociedade, aquela que verdadeiramente condiciona os rumos do nosso devir – são daqueles mesmo que reagiram, tão adversamente, à minha proposta de saída do universo de 15 anos de eduardismo, pós-guerra civil, através…

Leia mais

A (des)ilusão do aprendiz de presidente

Já vai muito longe, o tempo em que João Lourenço queria que acreditássemos que era o presidente da mudança, o tempo em que tentava mostrar-nos que era um presidente normal que podia parar na estrada perante o sinal vermelho do semáforo. Por Osvaldo Franque Buela Esses tempos de aprendizagem do cargo de presidente já fazem parte da história, e que infelizmente ninguém irá lembrar-se, dados os danos já causados pelo seu estilo de governação. Um estilo de governo marcado pela covardia, pela traição, pelo aumento da violência de todos os…

Leia mais

Ele não consegue esconder de quem é “filho”

O analista Ricardo Soares de Oliveira considera que o MPLA vai concorrer às eleições de 2022 (se as houver, diga-se) particularmente fragilizado, já que João Lourenço não tem beneficiado da luta contra a corrupção em termos de popularidade, mas sobretudo por que “as pessoas do eduardismo continuam a navegar no mar lourencista”. A estratégia ostracizou Isabel dos Santos e reforçou a tese de que os angolanos são capazes de aprender a viver sem… comer. Para o especialista em política africana e autor do livro “Angola, Magnífica e Miserável”, o presidente…

Leia mais

“O nosso encorajamento, Camaradas”

Congresso do Partido Comunista Português, 4 de Dezembro de 2016, Almada. Luísa Damião, hoje vice-presidente do MPLA, representava o partido (versão José Eduardo dos Santos). Vejamos, na íntegra, a intervenção da Luisinha, um esclarecedor conjunto de bajulação ao “escolhido de Deus” e de reconhecimento ao papel do PCP na venda, ao preço da chuva, de Angola ao seu MPLA. «Trazemos para todos vós uma saudação fraterna, da Direcção do MPLA, dos seus militantes e simpatizantes que formulam votos de sucesso nos trabalhos do vosso Congresso. A realização deste Congresso é…

Leia mais

Aos angolanos só faltam as penas para serem burros, pensa o MPLA

O Governo do MPLA anunciou hoje que está a terminar “questões técnicas” para operacionalizar a Bolsa de Solidariedade Social (BSS), relançada em Dezembro de 2020, após um interregno de três anos, para acudir 80.000 pessoas vulneráveis no país. A BSS foi lançada oficialmente em Julho de 2017, mas três meses após o início da actividade registou uma paralisação “devido a questões técnicas na sequência das reformas no Estado angolano”, justificou uma fonte oficial. Segundo o consultor do gabinete da ministra da Acção Social, Família e Promoção da Mulher angolana, Américo…

Leia mais