Reduzir gastos?
Oremos irmãos!

O Governo de Angola diz que vai economizar, com a redução de 559 para 313 cargos de direcção e chefia, um total anual de mil milhões de kwanzas (1,6 milhões de euros), que serão agora canalizados para educação e saúde. Façamos um intervalo que o pessoal está a rir-se à grande e à… MPLA, enquanto se senta à porta da cubata. Rir com a barriga vazia não é grande coisa, mas é sempre melhor do que chorar. A decisão foi hoje aprovada em Conselho de Ministros, orientado pelo Presidente João…

Leia mais

Nem os sobas vão escapar

Angola gasta anualmente 9,6 mil milhões de kwanzas (18 milhões de euros) com subsídios para 40.075 autoridades tradicionais, admitiu o governo, que está a avançar com uma nova legislação que deverá “expurgar” os sobas “fantasmas”. A isso acresce que os sobas estão a perder o poder de determinar em quem é que as suas comunidades devem votar, o que é uma clara chatice para o MPLA. “O Estado gasta por mês cerca de 800 milhões de kwanzas (1,5 milhões de euros) só em subsídios com os sobas, autoridades tradicionais, e…

Leia mais

Petróleo comanda a vida

O secretário-geral da OPEP critica aquilo que considerou ser a “falta de responsabilidade” dos Estados Unidos da América, cuja Administração defende preços de petróleo nos mercados internacionais abaixo dos 50 dólares por barril. Mohamed Sanuzi Barkindo, engenheiro nigeriano que lidera a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), falava aos jornalistas após uma reunião, em Luanda, com o conselho de administração da petrolífera angolana Sonangol, no quadro da visita de trabalho de dois dias a Angola. “Os Estados Unidos foram afectados negativamente quando houve a crise de 2015 e 2016…

Leia mais

Malária mata uma criança a cada dois minutos

A Novartis (grupo farmacêutico suíço criado em 1996) renova o seu compromisso com a erradicação da malária, investindo 100 milhões de dólares em pesquisa e desenvolvimento de medicamentos antimaláricos de nova geração ao longo dos próximos cinco anos. O compromisso inclui aumentar o acesso a medicamentos antimaláricos pediátricos e implementar programas para contribuir com o objectivo da Organização Mundial de Saúde (OMS), de reduzir a mortalidade infantil relacionada com a malária em, pelo menos, 90% até 2030. Novos estudos realizados em África mostram que as metas de erradicação da malária…

Leia mais

Governo aperta cerco
às mordomias da elite

De acordo com o Orçamento Geral do Estado (OGE) para 2018, o Governo angolano quer suspender e retirar vários direitos e regalias a detentores de cargos públicos e antigos governantes. O OGE refere “suspensão e restrição de direitos e regalias” porque é preciso ter “atenção à premente necessidade de consolidação e estabilização orçamental”. De acordo com o artigo 17 da proposta de lei do OGE para 2018, está prevista a suspensão da atribuição, em 2018, dos subsídios de renda de casa, de manutenção de residência e de reinstalação para todos…

Leia mais

Embaixada em Lisboa vai vender 17 viaturas

A Embaixada de Angola em Portugal vai colocar à venda 17 viaturas que tem ao serviço actualmente naquela representação diplomática, conforme autorização dada pelo ministro das Finanças, Archer Mangueira. O resultado da venda poderá dar para construir uma estátua a Marcos Barrica. As viaturas em causa, algumas com matrícula do corpo diplomático, têm entre nove e 21 anos, não sendo adiantado no mesmo despacho, de 15 de Maio, os motivos para alienação, no âmbito do regulamento sobre aquisição, gestão e abate da frota automóvel do Estado. A venda, que inclui…

Leia mais

UNITA de bem com Deus e com o Diabo

O grupo parlamentar da UNITA, a única bancada da oposição a votar, hoje, a favor da alteração à Lei do Património Público, proposta pelo Governo de Eduardo dos Santos, considerou que a mesma peca apenas por ser tardia. Além disso, mesmo que saiba que as intenções não são o que parecem, sempre é melhor estar de bem com Deus e com o Diabo. Na sua declaração de voto, a bancada parlamentar do maior partido da oposição angolana, frisou que todos estes anos o erário público serviu para comprar consciências em…

Leia mais

Menos dinheiro para combater a malária

A Iniciativa norte-americana de combate à malária em África vai reduzir em 6,9%, para 25 milhões de euros, o apoio a Angola em 2016, e concentrar a intervenção nas províncias híper-endémicas e na população mais vulnerável. D e acordo com um relatório hoje divulgado sobre o programa o auxílio norte-americano no combate à malária nos países africanos, o governo dos EUA espera concluir no próximo ano a campanha de distribuição de redes mosquiteiras tratadas com insecticida em Angola. No corrente ano, os EUA desembolsaram 26,4 milhões de euros para a…

Leia mais