Sem fiado o MPLA não sabe (como) viver

O Fundo Monetário Internacional (FMI) está a analisar com o governo angolano alternativas que podem ser adoptadas pelo país (leia-se MPLA) após a conclusão do programa de assistência financeira, em Dezembro de 2021, não descartando a possibilidade de um novo empréstimo. “Existem diversas alternativas que nós já apresentamos às autoridades, seja um novo programa com desembolso, sem desembolso, um programa precautório. Entre as modalidades que nós temos, as autoridades estão a considerar as diversas alternativas para ver aquilo que faz mais sentido”, disse o representante do FMI em Angola, Marcos…

Leia mais

FLEC/FAC reivindica morte de seis soldados das FAA

O movimento independentista de Cabinda indicou hoje ter entrado na terça-feira em confrontos com as tropas angolanas no enclave, que causaram a morte a 12 pessoas, quatro delas civis, junto à aldeia e Tchiminzi, na região de Massabi. Num “comunicado de guerra”, assinado por Che Libika Nkulu, o Estado-Maior General da Frente de Libertação do Estado de Cabinda/Forças Armadas de Cabinda (FLEC/FLAC) indica que uma patrulha da ala militar do movimento independentista foi “alvo de uma emboscada das forças ocupantes” angolanas. “A FLEC/FAC lamenta a morte dois militares das FAC…

Leia mais

Será JLo capaz de corrigir
o que está mal em Cabinda?

O Grupo de Reflexão da sociedade civil de Cabinda, continuadora da Mpalabanda – Associação Cívica de Cabinda, na fase transitória da tramitação do processo da sua extinção, escreveu ao Presidente da República de Angola, João Lourenço, expondo as suas ideias sobre a situação política de Cabinda. “A tensão criada em Cabinda à volta dos factos que culminaram na detenção (no passado dia 11 de Agosto) e julgamento dos jovens do denominado MIC (Movimento Independentista de Cabinda), dá-nos a oportunidade de manifestar, uma vez mais, as nossas preocupações e de solicitar…

Leia mais

Ajuda do FMI não é barata
mas dá milhões aos ricos!

Em Junho de 2016 o porta-voz do Fundo Monetário Internacional (FMI) na sede da instituição, em Washington, que José Eduardo dos Santos, desistira das negociações sobre um eventual “programa de financiamento ampliado”. Angola desistiu das negociações sobre um eventual “programa de financiamento ampliado” do FMI, mas manteve a porta aberta a conversações ao nível de consultas técnicas com os funcionários daquela organização. “O Presidente da República de Angola informou o FMI sobre a decisão de manter o diálogo com o Fundo apenas no contexto do artigo IV ‘consultas’ e não…

Leia mais

Era cimeira, passou a mini e
foi uma reunião de amigos

Os Presidentes de Angola, Congo e Gabão realizam uma reunião de concertação, perto de Luanda, após a ausência dos homólogos da República Democrática do Congo, Ruanda, Uganda e do líder da União Africana da mini-cimeira de hoje. Simultaneamente, decorre uma reunião dos chefes da diplomacia destes seis países do centro e sul de África. Os trabalhos da mini-cimeira, que deveriam ter começado pelas 09:00, só tiveram início três horas depois, apenas com os chefes da diplomacia de Angola, Congo, República Democrática do Congo (RDCongo), Gabão, Ruanda e Uganda. Os três…

Leia mais

Governo reconhece
conflito em Cabinda

O conflito latente no enclave de Cabinda, por parte dos independentistas da FLEC-FAC, é um dos riscos à segurança em Angola admitido pelo Governo angolano numa informação prestada aos investidores. Coisa rara. Até agora, contra todos os factos, o MPLA/Estado sempre disse que em Cabinda não havia nenhum problema. A informação consta do prospecto da emissão de “eurobonds”’ de 3.000 milhões de dólares (2.500 milhões de euros), a 10 e 30 anos e com juros acima dos 8,2% ao ano – concretizada pelo Estado angolano este mês -, que foi…

Leia mais

Greve? Como dizia Dos Santos: Obviamente ilegal

A greve dos funcionários da Procuradoria-Geral da República (PGR) de Angola arrancou hoje, em todo o país, com a paralisação total dos serviços, mas a direcção daquele órgão de Justiça considera ilegal a sua realização. Tal como no tempo do anterior presidente da República, tudo o que não é a favor do regime é… ilegal. Em declarações à agência Lusa, o secretário-geral do Sindicato Nacional dos Técnicos de Justiça e Administrativos da PGR, Elias Pinto, disse que “a greve é um facto”, salientando que os motivos da contestação, como a…

Leia mais

Dhlakama promete regresso a Maputo

O líder da Renamo espera que as negociações de paz em Moçambique sejam retomadas em breve, com a chegada esta semana dos mediadores, e promete regressar à vida política activa após os 60 dias de trégua por ele declarados. O MDM acusa a Frelimo e a Renamo de conspirarem contra o povo. “S e tudo correr bem e concluirmos aquilo que estamos a tratar na mesa das negociações, acredito que em Março ou Abril poderei estar em Maputo, a andar livremente, a retomar as actividades políticas”, afirmou, em declarações à…

Leia mais