Exoneração da… informática

O Ministério das Finanças (Minfin) de Angola apelou aos funcionários públicos que receberam salário a dobrar, devido a falhas informáticas, que não façam uso dos montantes transferidos indevidamente e informou que está a fazer uma auditoria aos sistemas. Provavelmente vão exonerar a “informática”, ou criar um Conselho de Auditoria aos Sistemas. Numa nota divulgada através do seu portal, o Minfin refere que as falhas provocaram “irregularidades com duplicação no pagamento dos salários de um número significativo de funcionários públicos, referentes ao mês de Setembro”. O ministério apelou aos funcionários para…

Leia mais

“Arresto de contas impede pagamento de salários”

A empresária angolana Isabel dos Santos afirma que o arresto de contas bancárias pessoais e das empresas que tem em Portugal está a impedir o pagamento de salários, a fornecedores e impostos, alertando para as consequências. Em comunicado, a empresária refere que “contrariamente ao que aconteceu em Angola”, com o arresto decretado no final de Dezembro pelo Tribunal de Luanda, em Portugal a “justiça entendeu arrestar e congelar contas bancárias, bloqueando todo e qualquer movimento”. A situação, prossegue o comunicado, está a ter consequências na gestão das empresas, segundo Isabel…

Leia mais

Presidente reduz o seu salário e o dos ministros

O chefe de Estado anunciou agora um corte no seu salário e no dos ministros, numa tentativa de aliviar as tensões e críticas da população devido ao aumento nas tarifas da electricidade e dos combustíveis. As tarifas de electricidade para particulares vão subir 115% a partir de 01 de Janeiro, anunciou a agência de regulação de electricidade. Os aumentos já foram sentidos nos combustíveis, com a gasolina e o gasóleo a aumentarem 10% e 11% respectivamente, o que motivou críticas e reacções da população indignada com este facto. Esclarecimento: Estamos…

Leia mais

Quanto mais pobres mais passivos e domesticados

Cerca de 500 trabalhadores manifestaram-se este sábado em Luanda contra o elevado custo de vida, exigindo ao governo respostas para a precariedade laboral, aumento do custo de vida e salários em atraso. Os manifestantes certamente desconhecem que o MPLA só está no Poder há 44 anos, o que é muito pouco tempo para mostrar o que vale… O protesto, convocado pela União Nacional dos Trabalhadores Angolanos – Confederação Sindical (UNTA-CS), mobilizou trabalhadores de empresas como a Mecanagro que aproveitaram a oportunidade para pedir soluções para o problema que se arrasta…

Leia mais

Alfabetizadores estão sem salários há quatro anos

Os alfabetizadores das 18 províncias angolanas não recebem salários há mais de quatro anos, revelou a responsável da Associação Angolana para Educação de Adulto que representa a Coordenação da Rede de Educação Para Todos, segundo revela a VoA. A verba para pagar os salários em atrasado nem sequer está incluída no Orçamento Geral do Estado (OGE) de 2020. “A nível da Associação tínhamos 240 alfabetizadores, hoje temos 65 e 38 trabalham de forma voluntária”, conta Arlete Lucas, referindo que, no entanto, “o trabalho não parou”. A crise económica tem sido…

Leia mais

Ser pobre tem mais encanto à luz de um candeeiro (apagado)

A subida do preço da electricidade em Angola está a revoltar os cidadãos, que se queixam do aumento do custo de vida, sobretudo na cesta básica e serviços essenciais. Os donos do reino, baseados na suprema sabedoria do Presidente do MPLA (João Lourenço), do Titular do Poder Executivo (João Lourenço) e também do Presidente da República (João Lourenço), garantem que é tudo para benefício do Povo. Muitos angolanos, entrevistados pela Lusa junto das agências de pagamento da Empresa Nacional de Distribuição de Electricidade (ENDE) consideram que a medida do Governo…

Leia mais

Mais dinheiro para os deputados? Claro! Claro!

A Assembleia Nacional de Angola aprovou a fixação de um salário-base equivalente a 1.530 euros para os seus deputados, acrescido de vários subsídios, para lhes “conferir maior dignidade remuneratória” face à inflação verificada no país. Nem mais. Eles são também o espelho de um país que só tem 20 milhões de pobres. “A actual conjuntura económico-financeira caracterizada por níveis elevados de inflação e de perda do poder de compra” (presume-se que seja um problema geral) levou a que a Assembleia Nacional aprovasse a resolução n.º 6/19, de 19 de Fevereiro.…

Leia mais

CFL diz não ter dinheiro e o sindicato “decreta” greve

Os trabalhadores do Caminho-de-Ferro de Luanda (CFL) iniciaram hoje uma greve por tempo indeterminado, para entre várias outras reclamações reivindicar um aumento em 80 por cento do salário. Administração critica a greve e diz que não tem dinheiro. Em declarações à agência Lusa, o primeiro secretário do Sindicato de Trabalhadores do CFL, José Carlos, disse que a adesão à greve ultrapassou as expectativas, salientando que a paralisação é geral nas províncias de Luanda, Cuanza Norte e Malange, o troço que compreende o caminho ferroviário. José Carlos referiu que apesar da…

Leia mais

“Escravos” da ENP pedem
ajuda a João Lourenço

Algumas dezenas de trabalhadores da Empresa Nacional de Pontes (ENP) de Angola marcharam na tarde de hoje, em Luanda, protestando pelos 57 meses de salários em atraso e pediram a intervenção do Presidente da República na resolução da situação. “Tristeza, trabalhadores da empresa de pontes 57 meses sem salários”, “o sofrimento continua”, “pedimos ajuda do senhor Presidente da República e à sociedade em geral” ou ainda “socorro, estamos a morrer” eram as frases estampadas nos cartazes exibidos pelos manifestantes. Promovida pela Central Geral de Sindicatos Independentes e Livres de Angola…

Leia mais

Sem salários há 57 meses mas… podem manifestar-se

Numa democracia, num Estado de Direito, não seria notícia. Mas como estamos nesta Angola há 43 anos dominado pelo MPLA, isto é notícia. Preparem os foguetes. O governo de Luanda decidiu autorizar, para amanhã, sábado, a marcha de protesto dos trabalhadores da Empresa Nacional de Pontes de Angola, agora sem salários há 57 meses, duas semanas depois de “inviabilizar” a mesma. O secretário-geral da Central Geral de Sindicatos Independentes e Livres de Angola (CGSILA), órgão que promove a marcha, Francisco Jacinto, confirmou a autorização da marcha, adiantando que a mesma…

Leia mais