Credores dão (mais um) balão de oxigénio a Angola

Angola evitou uma situação de incumprimento graças às moratórias internacionais sobre os pagamentos da dívida e poderá demorar mais tempo a recuperar economicamente do que outros países africanos, segundo um relatório publicado hoje pela Fundação Mo Ibrahim. De acordo com os autores do documento, Angola poderá ter poupado três mil milhões de dólares entre Maio de 2020 e Junho de 2021 graças à Iniciativa de Suspensão do Serviço da Dívida (DSSI) promovida pelo G20, que garante uma moratória sobre os pagamentos da dívida dos países mais endividados aos países mais…

Leia mais

Fiado ou fiado, eis a questão

A agência de notação Moody’s considera que a principal questão sobre a evolução do “rating” de Angola é a questão de saber se o Governo vai conseguir refinanciar a dívida de curto prazo e as necessidades de financiamento. Fiado, precisa-se! “Estamos agora a focar-nos no que víamos antes da pandemia, que é saber se o Governo conseguirá refinanciar a dívida de curto prazo e reduzir as necessidades de financiamento, dando assim mais flexibilidade às opções”, diz a directora do grupo de análise do risco soberano na agência de notação financeira…

Leia mais

Chulam África até ao tutano

O director do departamento africano do Fundo Monetário Internacional (FMI) considerou hoje que o continente enfrenta uma “divergência perigosa” face ao resto do mundo em termos de vacinas e de crescimento económico decorrente da pandemia. “A recuperação é mais anémica do que gostaríamos, temos um crescimento de 6% no mundo, e na África subsaariana é de 3,4% este ano, queríamos que fosse ao contrário, porque esta é uma divergência perigosa”, afirmou Abebe Aemro Selassie, durante a Cimeira da Paz, que decorre na véspera da realização da cimeira sobre o financiamento…

Leia mais

De regresso à cidade luz

O Presidente angolano, João Lourenço, parte amanhã para Paris onde irá participar numa reunião de alto nível sobre economias africanas e reunir-se com os seus homólogos de França e África do Sul e o primeiro-ministro português, António Costa. O evento, que se realiza na terça-feira, é uma iniciativa do Governo francês, com o envolvimento da União Africana, e vai permitir debater aspectos como a dívida dos países africanos (crucial, no caso de Angola, para que o Governo continue a confundir a obra-prima do Mestre com a prima do mestre de…

Leia mais

O ideal é não pagar o que se deve e continuar a receber fiado

João Lourenço, Presidente angolano, defende a continuidade das negociações ao nível bilateral e multilateral para o reescalonamento das dívidas, em função da situação específica de cada país africano, que enfrentam dificuldades na reactivação das suas economias. Já é um bom sinal o líder do partido que “comprou” o país há 45 anos (o MPLA) achar que Angola tem mesmo uma economia. João Lourenço expressou a posição angolana durante a sua intervenção na abertura do Diálogo de Alto Nível sobre “Alimentar África: Liderança para o Incremento das Inovações bem Sucedidas”, promovido…

Leia mais

Se a avó do hipopótamo tivesse rodas seria um helicóptero?

O analista da agência de rating Moody`s que segue Angola disse hoje que a previsão de crescimento foi revista em alta para 2,7%, marcando o fim da recessão dos últimos cinco anos. “Acabámos de rever a nossa previsão para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de Angola para 2,7% este ano”, face aos 1,2% que a Moody`s previa em Setembro do ano passado, disse Aurelien Mali. Previsões para todos os gostos. “A recuperação está sustentada no facto de o preço do petróleo ter estado a subir desde o nível…

Leia mais

África é sinónimo de devedor

O Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) estimou hoje que o rácio da dívida face ao Produto Interno Bruto das nações africanas vai atingir os 75% este ano, argumentando que o financiamento deve ser direccionado para os projectos mais produtivos. “Uma das principais recomendações para a sustentabilidade da dívida é o fortalecimento da ligação entre o financiamento da dívida e o crescimento dos lucros, principalmente através da garantia de que a dívida é usada para financiar os projectos mais produtivos, aqueles que geram retorno suficiente para pagar a dívida no futuro”,…

Leia mais

China “ameaça” fechar a torneira

O Governo angolano estendeu a mão (e as riquezas qua ainda são nacionais) à China para pedir assistência técnica na elaboração de projectos sustentáveis e assim poder candidatar-se aos financiamentos, quer do Governo, quer dos potenciais investidores chineses interessados no desenvolvimento de Angola. A solicitação foi feita pela secretária de Estado para as Relações Exteriores angolana, Esmeralda Mendonça, na abertura do Fórum de Negócios Angola-China no domínio da Agricultura e Pescas, realizado por videoconferência. Esmeralda Mendonça frisou que as potencialidades industriais, agrícolas e tecnológicas fazem da China um dos maiores…

Leia mais

Dívida pública. 2017 – 58%, 2020 – 118%

A agência de notação financeira Standard & Poor’s (S&P) reviu em baixa a estimativa de crescimento económico para Angola, antecipando agora uma expansão de 0,3%, e antevê a dívida pública nos 112% do Produto Interno Bruto. Um terço de toda a receita fiscal serve para pagar apenas os juros da dívida pública. Não estará na altura de João Lourenço mandar o comandante da (sua) Polícia, Paulo de Almeida, disparar um míssil intercontinental contra estas aves agoirentas? “Estimamos que o PIB de Angola se tenha contraído 4% em 2020, reflectindo um…

Leia mais

Desde que o Governo faça o que não tem feito… governar

O analista da consultora NKC African Economics que segue a economia de Angola considera que uma queda dos preços do petróleo ou uma falha nas receitas não petrolíferas pode obrigar o país a reestruturar a dívida. Ou seja, é mais uma oportunidade para o Governo mostrar o que tem mostrado nos últimos 45 anos: Não sabe o que é governar. “Angola continua com risco elevado de ter uma dívida problemática, uma situação em que um país tem dificuldades em servir a dívida e necessita, ou está à beira de requerer,…

Leia mais