ATÉ SAVIMBI PODE VOTAR…

Segundo as estimativas da UNITA, há cerca de 2,5 milhões de mortos nas listas eleitorais do país, entre os quais o ex-líder do partido Jonas Savimbi, assassinado em 2002. O país vai a votos a 24 de Agosto. “Há mais de 20 anos que não se expurgam das listas ou estatísticas os angolanos falecidos”, afirma Paulo Lukamba Gato. O número elevado de mortos nos cadernos eleitorais angolanos tem sido alvo de contestação pela UNITA e por movimentos da sociedade civil em Angola, país que se prepara para ir a votos…

Leia mais

NEM COM OS VOTOS DOS MORTOS SE SAFAM…

A UNITA, principal partido da oposição que o MPLA (ainda) permite em Angola, apresentou junto da Comissão Nacional Eleitoral (CNE) uma reclamação relativa ao Ficheiro Informático de Cidadãos Maiores (FICM) onde estão inscritos os cidadãos habilitados a votar nas eleições gerais de 24 de Agosto. Para a UNITA, está em causa a integridade dos cadernos eleitorais, já que revelam a existência de cidadãos falecidos e outros que, tendo emigrado há vários anos, fixaram residência no estrangeiro. Para garantir a “lisura dos sufrágios, o legislador ordenou, em 2015, que os cidadãos…

Leia mais

VÁ LÁ, DEIXEM OS MORTOS VOTAR!

O presidente da UNITA, Adalberto da Costa Júnior, disse hoje que é obrigatório expurgar os mortos das listas de eleitores, acusando o Governo angolano de cometer “um crime” que não vão deixar passar em branco. Seria obrigatório se Angola fosse aquilo que (ainda) não é – um Estado de Direito Democrático. Adalberto da Costa Júnior falava aos jornalistas após a apresentação do manifesto eleitoral UNITA em Benguela, depois de questionado sobre as denúncias feitas em alguma imprensa e também nas redes sociais sobre a existência de pessoas mortas registadas como…

Leia mais

SE OS MORTOS ESTIVESSEM VIVOS VOTARIAM NO MPLA. PORTANTO…

O líder da UNITA, Adalberto da Costa Júnior, diz que as estimativas do seu partido apontam que há mais de 2,5 milhões de mortos nas listas eleitorais do país. Não é novidade. Tal como não é novidade que muitos deles “vão” votar no MPLA. Como noutras eleições, em muitos locais as votações foram de 100%, incluindo… mortos. O ficheiro eleitoral entregue à Comissão Nacional Eleitoral tem um número superior de eleitores ao ficheiro provisório do qual deveriam ser expurgados “os mortos, os transitados em julgado e os que tiverem comprovadamente…

Leia mais

MORTOS TÊM DIREITO A VOTAR… NO MPLA

Mais de 22 mil cidadãos angolanos actualizaram o seu registo eleitoral em 12 países estrangeiros e estão habilitados a votar nas eleições gerais marcadas para 24 de Agosto, anunciou o governo angolano. No espaço de algumas horas passaram de 18 mil para 22 mil… “Hoje remetemos à Comissão Nacional Eleitoral (CNE), o ficheiro informático dos cidadãos maiores definitivo contendo um total de 14.399.391 eleitores. Deste 22.560 actualizaram o seu registo eleitoral mo exterior, em 12 países e 26 cidades, nomeadamente de África do Sul, Alemanha, Bélgica, Brasil, França, Grã-Bretanha Namíbia,…

Leia mais

TRABALHADORES PROTESTAM E POLÍCIA MATA-OS

A UNITA, o principal partido da oposição que o MPLA ainda permite em Angola, condenou hoje os incidentes ocorridos no projecto hidroeléctrico de Caculo Cabaça, onde dois trabalhadores foram mortos em confronto com a polícia, ao “reivindicarem os seus direitos”, pedindo “responsabilização dos autores materiais”. A UNITA recorda que o acto resultou também em vários feridos e “condena com veemência” a actuação policial uma vez que os actos “aconteceram na sequência de reclamações justas dos trabalhadores” e que são perfeitamente normais nos países que são aquilo que Angola ainda não…

Leia mais

DÊEM BI AOS MORTOS. ELES VOTAM NO MPLA!

O ministro da Justiça e dos Direitos Humanos angolano, Francisco Queiroz, disse hoje, em Luanda, que foram identificados até à presente data 10,2 milhões de cidadãos com capacidade eleitoral, mas há dificuldades para saber deste número quem já morreu. Do ponto de vista do MPLA, a fazer fé nos simulacros eleitorais anteriores, o problema dos mortos não deve ser grave pois sabe-se que, no dia das eleições, a CNE (Comissão Nacional Eleitoral) ressuscita-os para que possam livremente votar no… MPLA. Francisco Queiroz falava à imprensa no final da reunião de…

Leia mais

CASO CAFUNFO. ESTADO VAI SER PROCESSADO

O advogado Salvador Freire vai avançar com uma acção contra o Estado angolano e os responsáveis dos serviços prisionais pela morte de seis detidos ligados ao Movimento do Protectorado Português da Lunda Tchokwe (MPPLT). Em causa, segundo o advogado e defensor de José Mateus Zeca Mutchima, líder do MPPLT, que está a ser julgado juntamente com outros membros do movimento devido aos confrontos durante uma manifestação em Cafunfo, no ano passado, está a “dignidade” dos arguidos que perderam a vida. “Vamos intentar uma acção [contra o Estado angolano]. As pessoas…

Leia mais

Assassino continuará intocável

O Governo angolano, há 45 anos no Poder e formado pelo MPLA, prevê entregar, esta semana, às primeiras famílias, os restos mortais de pessoas que morreram durante os conflitos políticos registado no país entre 1975 e 2002, informou hoje o coordenador do processo. A informação foi avançada pelo coordenador da Comissão de Reconciliação em Memória das Vítimas de Conflitos Políticos (Civicop), o ministro Francisco Queiroz, após uma visita à base central da Comissão de Averiguação e Certificação de Óbitos das Vítimas dos Conflitos Políticos (Cavicoip), localizada no Pavilhão Multiusos do…

Leia mais

23 mortos, 21 feridos, 10 desaparecidos

Deputados da UNITA, da CASA-CE e do PRS, que integram a oposição angolana que o MPLA ainda permite (mas a contagem decrescente já está em marcha), anunciaram hoje que os incidentes de Cafunfo resultaram em 23 mortos, 21 feridos e 10 pessoas desaparecidas, afirmando que as forças policiais “dispararem indiscriminadamente contra os cidadãos”. Na versão oficial os cidadãos é que se atiraram indiscriminadamente contra as balas… “Dos nossos dados temos contabilizados 23 mortos, 11 feridos evacuados para o Dundo, 10 feridos que estão a ser assistidos em Cafunfo, inclusive uma…

Leia mais