A albicaude dos arianistas do MPLA

O secretário para a (des)informação do MPLA, Albino Carlos, acusa a UNITA e o seu líder de estarem a fazer uma “campanha de vitimização“ para “tentar distrair a comunidade nacional e internacional”. Diz a criatura que não há qualquer campanha racista e xenófoba contra Adalberto da Costa Júnior por parte do MPLA. Tem razão. Ele só conhece as raças que lhe são familiares (equídeos, símios e xenodontes). Por Orlando Castro No dia 1 de Setembro de 2020 o MPLA considerou como “gratuitas e infundadas” as acusações de Abel Chivukuvuku sobre…

Leia mais

Incitação à guerra e genocídio no pedestal institucional

A imagem do Executivo angolano, face à brutalidade e boçalidade dos corpos policial e militar, assumidamente, partidocratas, no genocídio cometido, dia 30 de Janeiro, no Cafunfo, afundou ainda mais, junto da comunidade internacional a credibilidade de João Lourenço. Por William Tonet Atentar de forma leviana contra os direitos humanos, disparando balas de guerra, contra cidadãos desarmados, no pleno uso de um direito constitucionalmente consagrado: Direito de reunião e manifestação (art.º 47.º CRA), coloca o regime angolano no patamar das mais abjectas e violentas ditaduras. Os pergaminhos da democracia foram assassinados.…

Leia mais

Falta acabar 1992. É isso, não é?

A UNITA, principal partido da oposição que o MPLA ainda (não se sabe se por muito tempo) permite em Angola, classifica de “ataques xenófobos e racistas” o conteúdo do comunicado do Bureau Político do MPLA, partido no poder há 45 anos, sobre os confrontos mortais do passado 30 de Janeiro em Cafunfo, na província da Lunda Norte. A UNITA considera de baixaria os ataques à figura do seu presidente e lembra que, devido ao conflito armado, muitos dirigentes, incluindo personalidades do partido governante, viram-se forçados a obter duas ou mais…

Leia mais

MPLA (des)caracterizado assume ditadura

As semelhanças comportamentais, separadas pelo tempo, aproximam-se, todos os dias, do espelho identitário, parido em 1964, por António Agostinho Neto e, recriado em 2017, por João Manuel Gonçalves Lourenço. Por William Tonet A natureza perversa do “MPLA/vingativo, que assassinou o MPLA/nacionalista e democrático de Viriato da Cruz, Mário Pinto de Andrade, Matias Miguéis e outros, autoritariamente imposta, em 1964, por Agostinho Neto e Lúcio Lara, a ferro, fogo e rios de sangue e, quando se pensava ter essa época dantesca ficado no passado, eis que ressuscita, no máximo esplendor, em…

Leia mais

Será “isto” um Estado de Direito?

As Forças Armadas Angolanas determinaram no dia 28 de Março que militares e polícias intensifiquem os patrulhamentos nos centros urbanos e suburbanos, “com vista à recolha do pessoal e viaturas militares e civis” que transgridam o estado de emergência. Estava aí, para o que fosse preciso, a “prontidão combativa elevada”. Recorde-se que o general Egídio de Sousa Santos não teve problemas nem hesitações em colocar em Luanda as FAA também em “prontidão combativa elevada” durante o Congresso do… MPLA, de preparação educativa-patriótica. Em despacho, o chefe do Estado-Maior General das…

Leia mais

Declaração de guerra de João Lourenço

João Lourenço, Presidente angolano, por sinal não nominalmente eleito, e também Presidente do MPLA e Titular do Poder Executivo, apelou hoje aos jovens a “não se deixarem manipular” por aqueles que não têm condição de resolver os seus problemas em educação, saúde, habitação e emprego. João Lourenço discursava, na qualidade de líder do MPLA, partido no poder há 45 anos, na abertura da IV sessão ordinária do Comité Central, que vai analisar (ou seja, estar de acordo com tudo o que o Presidente disser) além de questões internas, a situação…

Leia mais

Se as crianças são o futuro,
a RD Congo só tem passado

A Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou que vai investigar alegações de exploração e abuso sexual no contexto da resposta à epidemia de Ébola na República Democrática do Congo (RD Congo). “A s acções alegadamente perpetradas por indivíduos que se identificam como trabalhando para a OMS são inaceitáveis e serão investigadas com firmeza”, adiantou, em comunicado, a organização. A OMS indicou que o director-geral, Tedros Adhanom Ghebreyesus, iniciou uma “revisão minuciosa” destas alegações específicas, bem como de outras questões de protecção “mais amplas em contextos de resposta a emergências sanitárias”.…

Leia mais

Mercenário declara guerra

Artur Orlando Teixeira Queiroz, o veterano mercenário português que actualmente desempenha as funções de assessor da Fundação António Agostinho Neto (FAAN) considerou que o processo contra o seu patrão Carlos Manuel de São Vicente, recentemente detido por corrupção, constitui uma tentativa de eliminação da família do primeiro Presidente de Angola. Por Orlando Castro (*) O mercenário de 77 anos teceu estas considerações através de zurros partilhados nas redes sociais, em que ataca ferozmente o Presidente da República, João Lourenço, o director da secreta angolana, general Garcia Miala, e o director…

Leia mais

A luta continua!

A corrupção mata a esperança no futuro de Portugal. O fenómeno ganhou raízes e é, infelizmente, uma das marcas distintivas do regime democrático português. Bastará estar atento às notícias para constatar que a corrupção contaminou muitas áreas da nossa sociedade, do futebol à cultura, passando pela justiça e pela política. Casos e Protagonistas de A a Z. Com este livro, Paulo de Morais apresenta um registo, para memória futura, do flagelo da corrupção. Retratam-se casos e protagonistas, essencialmente na esfera da política, para que fiquem identificadas as causas do fenómeno…

Leia mais

Nem os animais escapam

O número de mamíferos selvagens na principal reserva natural de Angola, na Quiçama, registou um declínio de 77 por cento durante os 27 anos da guerra civil, revela um estudo publicado hoje na revista Nature Scientific Reports. Tendo como caso de estudo a principal área protegida de Angola, o Parque Nacional e a Reserva de Caça da Quiçama, a investigação analisa, de forma abrangente, o impacto das guerras civis na vida selvagem em países afectados por conflitos em África. Os investigadores da Universidade de East Anglia (Reino Unido), Universidade Federal…

Leia mais