João Lourenço, Capitães de Abril e Marcelo (Caetano)!

«Em 25 de Abril de 1974 o Movimento das Forças Armadas (MFA) derrubou o regime de ditadura que durante 48 anos oprimiu o Povo Português», afirma o Presidente da Associação 25 de Abril (A25A), Vasco Lourenço. Mas não foi assim. Segundo o Presidente do MPLA, da República e Titular do Poder Executivo de Angola, João Lourenço, em entrevista à DW, “quem fez a Revolução dos Cravos em Portugal foram portugueses e aqueles que eram do regime de Marcelo Caetano”. De acordo com Vasco Lourenço, “nessa madrugada do dia inicial, inteiro…

Leia mais

“Batatas podres” faltaram
à “educação patriótica”?

O Comandante da Polícia Nacional na Lunda Sul, comissário Aristófanes dos Santos, pediu, em Saurimo, aos efectivos dos vários órgãos do Ministério do Interior (Minint) para agirem dentro dos parâmetros legais sem violar os direitos, liberdades e garantias dos cidadãos. Pelos vistos as “batatas podres” têm um potencial de reprodução assinalável. De acordo com o comissário, que falava na formatura que visou apresentar as estratégias de actuação dos órgãos do Minint antes, durante e depois da quadra festiva, “o facto de ser agentes da autoridade, não dá o direito de…

Leia mais

Declaração da UNITA sobre o Registo Eleitoral

“A UNITA saúda a participação empenhada dos angolanos no processo de registo eleitoral, em particular dos jovens que se registaram pela primeira vez. Contudo, lamenta o facto de as brigadas de registo não terem coberto o universo real de potenciais eleitores no interior do país. Lamenta igualmente a contínua exclusão de cidadãos eleitores residentes no estrangeiro. Estando concluída a campanha de actualização de dados, os angolanos esperam que os dados ora recolhidos e os já existentes sejam validados por uma entidade idónea e independente, que deve assegurar ao país, a…

Leia mais

Estão a (discri)minar África

A presidente da Sonangol, Isabel dos Santos, considerou numa conferência na London School of Economics que o continente africano tem estado excluído dos mercados financeiros e que há muita discriminação no acesso ao financiamento. De quem será a culpa? Terá alguma coisa a ver com a idoneidade? “H á cada vez mais bancos em África, e principalmente há bancos que estão em vários países, criando uma verdadeira rede bancária africana, mas enquanto empreendedora, sinto que África foi excluída das instituições financeiras, do sector bancário, do acesso ao financiamento”, disse a…

Leia mais

Juiz Januário Domingos soma erros mas lá continua

Mais do que os processos mediáticos, a boa administração da justiça depende dos processos quotidianos, respeitantes a pessoas desconhecidas. O verdadeiro espelho da injustiça em Angola são justamente estes processos. Coube, mais uma vez, ao juiz Januário Domingos da 14ª Secção da Sala dos Crimes Comuns do Tribunal Provincial de Luanda , detentor de triste fama devido ao processo dos 15+2, protagonizar uma intervenção calamitosa num processo criminal. Joel Neves, um jovem de 18 anos, terá, em companhia de outros cinco indivíduos, participado no roubo de um telemóvel, perpetrado sob…

Leia mais

O mais vulnerável sistema financeiro de África

Um estudo da agência de notação financeira Moody’s diz, certamente sem auscultar quem sabe da matéria (o Titular do Poder Executivo), que o sistema financeiro angolano é o mais vulnerável em África. A análise da agência de notação financeira Moody’s à banca africana leva em conta o que se passa e as perspectivas em 32 país avaliados. No estudo ao sistema financeiro de Angola, a Moody’s considera que o cenário em cinco das seis alíneas analisadas vai degradar-se em 2016: o ambiente das operações, o risco dos activos, o lucro,…

Leia mais

Procurador empurrado para o trabalho sujo

A prisão dos jovens políticos 15+1 continua a trazer cada vez mais contornos, sob a forma como o processo decorreu e as interferências políticas, para que não houvesse uma interpretação rectilínea do Direito, mas de índole política, para que houvesse possibilidade de uma acusação, afirmou ao F8, uma fonte ligada aos serviços de investigação criminal. N o caso destes miúdos, o director nacional do SIC, o comandante provincial da Polícia de Luanda e o general Filó, adjunto do general José Maria, estão a fazer dinheiro, pois eles informam, à sua…

Leia mais