FALAR BEM, ESCREVER MAL

Um jovem angolano de elevado potencial, doutorado, apresentou a sua candidatura espontânea a uma eventual vaga para ser jornalista do Folha 8. Quando lhe foi solicitado o envio de um texto de conteúdo livre para análise, ele afirmou que queria ser jornalista só na televisão, no caso na TV 8… Por Orlando Castro ó na televisão? Então porquê? A explicação foi assertiva, sincera e paradigmática: «Tenho uma boa aparência física, falo correctamente português. No entanto, escrevo muito mal. Se tivesse de escrever o que afirmo verbalmente seria um desastre. Se,…

Leia mais

NINGUÉM SABE MAIS DO QUE O MPLA

Um dos pilares do Folha 8 é aprender com quem sabe mais e ensinar quem sabe menos. No entanto, num país em que ninguém sabe mais do que o MPLA e como, dizem eles, o MPLA é Angola e Angola é (d)o MPLA, o melhor mesmo é… s que sabem tudo, esses estão na primeira fila para serem vistos pelo rei-general João Lourenço. Por isso, nas reuniões do MPLA as primeiras filas são sempre pequenas para albergar todos quantos lá querem estar. Cá atrás estão igualmente os que entendem que…

Leia mais

IGNORÂNCIA E ILITERACIA NÃO SÃO VARIANTES DA LÍNGUA

Quando o mais alto magistrado de Angola, general João Lourenço, diz “se haver necessidade” em vez de “se houver necessidade”, não se está a falar de uma variante angolana da língua portuguesa. Está a falar-se de ignorância e iliteracia. Por Orlando Castro uando a então ministra da Educação, Ana Paula Tuavanje Elias, fala de “compromíssio” em vez de “compromisso”, não se está a falar de uma variante angolana da língua portuguesa. Está a falar-se de ignorância e iliteracia. No dia 3 de Maio de 2022, o ministro das Relações Exteriores…

Leia mais

“COMPROMÍSSIO” DO MPLA “SE HAVER” NECESSIDADE

Aos domingos HÁ missa. Aos domingos A missa é À tarde. Nem todos vão À missa. «HÁ» é a forma conjugada do verbo haver na 3.ª pessoa do singular do presente do indicativo. Pode indicar tempo passado ou ser sinónimo de existir. Há muito tempo; Há muitos anos; Há vagas de emprego; Há coisas que não mudam. «À» é a contracção da preposição a com o artigo definido feminino a (a + a = à). Pode indicar um lugar ou introduzir um objecto indirecto. É, também, usado em muitas locuções…

Leia mais

MPLA ENSEÑA PORTUGUÉS MUI BIEN

O ministro das Relações Exteriores angolano, Téte António,  destacou hoje a “relação secular” de Angola com a língua portuguesa e considerou a comemoração do Dia da Língua como um ganho da diplomacia da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). Mesmo que a língua portuguesa seja assassinada todos os dias, até mesmo pelos mais altos dignitários do país. “Ao falar da língua portuguesa, permite-se falar do legado de, já no século XV, os nossos ancestrais terem tomado a decisão de assumirem a língua portuguesa como a língua da corte, à…

Leia mais

A ignorância é uma arma

Como se não lhes bastasse o controlo hegemónico das salas de aula, programas como o Fórum TSF, Antena Aberta ou Opinião Pública permitem ver como a brigada fundamentalista toma de assalto o pluralismo. Por Gabriel Mithá Ribeiro (*) O ser humano é indissociável da condição pensante quer enquanto indivíduo, quer enquanto colectivo. Significa que as sociedades apenas existem enquanto tal se produzirem um pensamento colectivo (ou social) autónomo não apenas em relação ao pensamento individual (ou intelectual), mas também em relação ao pensamento de outras sociedades. Serge Moscovici – psicólogo…

Leia mais

A vice-kapanga

A vice-presidente do MPLA, Luísa Damião, a que dá carinho e solidariedade, como mãe e mulher do MPLA, aos familiares das zungueiras que a polícia do MPLA mata, até parece que sofre de ecolalia ao repetir, até à exaustão, a frase: “as universidades do país devem elaborar projectos de estudo sobre Agostinho Neto”. Por Domingos Kambunji As universidades de Angola devem elaborar estudos sobre projectos que contribuam para a melhoria da qualidade de vida dos angolanos. Não devem andar a perder tempo a inventar sofismas e falácias para “pintar os…

Leia mais

“Indecifrável” saralho do carilho

O Tribunal Constitucional (do MPLA) rejeitou o “recurso extraordinário de inconstitucionalidade” submetido pela Comissão Instaladora do projecto político PRA-JA Servir Angola, liderado por Abel Chivukuvuku, por “não suprir insuficiências” e tornar “indecifrável” o seu pedido. Segundo o Despacho de Rejeição de 27 de Agosto de 2020 do TC do MPLA, o inicialmente denominado “Recurso Extraordinário por Violação” interposto pelo PRA-JA Servir Angola ao invés de suprir insuficiências “demonstra uma intenção clara de confundir o Constitucional”. O TC observa que o recurso da Comissão Instaladora do Partido do Renascimento Angolano –…

Leia mais

O “herói” do MPLA

O decorrer do tempo é muito sacana para desmascarar os demagogos… Ainda há poucos dias o Comité Central do MPLA estabeleceu um “acordo de cooperação de interesse mútuo” com a Fundação Agostinho Neto para apresentarem uma queixa na ERCA do MPLA contra o Folha 8 (F8), por, num post no Facebook, ter publicado uma crítica sarcástica ao Pai dos Fuzilamentos do 27 de Maio e Fundador da Guerra Civil, Agostinho Neto. Por Domingos Kambunji A notícia que caiu do céu ou subiu do inferno diz que o Tribunal da Comarca…

Leia mais

Um saralho do carilho

Angola vai a acolher, em breve, depois de 20 anos de negociações, o Centro de Informação das Nações Unidas (UNIC), que vai atender às necessidades informativas dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP). Lindo. Enquanto isso, contratam-se professores cubanos e escrevemos “sexta básica” em vez de cesta básica, “cumeia” em vez de colmeia, “se haver necessidade” em vez de “se houver necessidade”, “compromíssio” em vez de compromisso… O anúncio foi feito pelo ministro das Relações Exteriores de Angola, Téte António, numa mensagem por ocasião da celebração do 5 de…

Leia mais