500 AUTOCARROS ESTÃO A CAMINHO

O Presidente João Lourenço aprovou a celebração de um acordo individual de financiamento de 116,1 milhões de dólares (112 milhões de euros) para o fornecimento de 500 autocarros escolares, indica um Despacho Presidencial. O Despacho Presidencial número 253/22, de 14 de Novembro, publicado em Diário da República, refere que o valor global de 116.152.500 de dólares inclui também o fornecimento de equipamentos e serviços de assistência técnica para a concepção e implementação do Programa de Mobilidade Escolar, “tendo em conta a urgência de se adquirir autocarros, equipamentos e serviços com…

Leia mais

HÁ MAIS DE 50 ANOS A ESCOLA DE JOÃO LOURENÇO TINHA CARTEIRAS

O Movimento de Estudantes Angolanos (MEA) solidarizou-se hoje com o professor Diavava Bernardo, suspenso após um protesto para reclamar mais carteiras na escola onde leccionava, e promete manifestar-se contra a decisão nos próximos dias. Quem disse que no reino do MPLA há liberdade de expressão? Em comunicado, o MEA disse que tomou conhecimento da suspensão do professor por via de fontes oficiais, anunciando que nos próximos dias vai realizar “uma manifestação contra tal decisão aniquiladora”. O professor Diavava Bernardo liderou, em Setembro passado, uma marcha de protesto (certamente entendida pelos…

Leia mais

“HAVER VAMOS” SE “HAVER” NECESSIDADE…

Cabo Verde quer usar portal do professor de português da CPLP como “recurso estratégico”. No reio no MPLA tal não é necessário, desde logo porque os mais ilustres intelectuais de Angola falam (+ ou -) bem o português, se bem que quando têm de escrever o desastre seja catastrófico. Só devemos escrever se não “haver” alternativa, não é sua excelência senhor Presidente João Lourenço? O uso do portal do professor da língua portuguesa da CPLP como “recurso estratégico” é uma das recomendações que deverão sair das VIII jornadas sobre ensino…

Leia mais

A “ESCOLA” DO SEMÁFORO

Adolescentes que foram obrigados a abandonar a escola para sobreviver onde calhar encontram hoje uma ligação ao conhecimento com o projecto “No semáforo também se aprende”, iniciativa promovida por jovens professores nas ruas de Maputo. “A ideia é estimular o gosto pelos estudos para que queiram voltar à escola”, explica a professora Catariana Sive, momentos depois de conduzir uma aula de matemática na “turma do semáforo da Avenida 24 de Julho”. Imunes à agitação em redor, os alunos ocupam cadeiras de plástico alinhadas num canto do passeio. Um portão enferrujado…

Leia mais

PROFESSORES (SÓ) QUEREM SER… GENTE

O Conselho Nacional do Sindicato Nacional de Professores (Sinprof) de Angola anunciou hoje que vai retomar a greve suspensa a 24 de Abril de 2021, caso as suas reivindicações não sejam atendidas. O comunicado final da IV reunião ordinária do Conselho Consultivo do Sinprof, que decorreu entre quinta-feira e hoje, refere que as greves foram agendadas para três períodos, a primeira, entre 23 e 30 de Novembro próximo, a segunda, entre 6 e 16 de Dezembro, e a terceira, entre 3 e 31 de Janeiro. No documento, o Conselho Consultivo…

Leia mais

“FALTA DE CARTEIRAS”? ISSO É “FAKE NEWS”…

A Direcção Nacional de Direitos Humanos de Angola criticou os tiros feitos pela polícia (que se diz nacional mas que é apenas do MPLA) para dispersar uma manifestação de um professor e alunos para exigir mais carteiras escolares, segundo dirigentes do Movimento Estudantil Angolano (MEA) que reuniram com a instituição. Segundo a porta-voz do encontro, Arminda Milena Ernesto, foram abordados vários assuntos, além da detenção de um professor, na semana passada, na sequência da tentativa de uma manifestação, com cerca de 300 alunos, para reivindicar a falta de carteiras suficientes…

Leia mais

AJOELHEM, REZEM E DIGAM ÁMEN AO MPLA

Penteados compridos e alegados “cortes extravagantes” continuam a ser razões para os alunos perderem aulas nas escolas da capital o reino do MPLA, Luanda, onde persiste a obrigatoriedade do corte de cabelo, para “salvaguardar a higiene”, mas também para evitar supostas “incitações à violência”. Um dia destes ainda nos vão obrigar a ser todos carecas ou a usar penteados africanos “made in Europa”. “Não usar cabelos compridos, trançados, cortes extravagantes, particularmente para rapazes”, é o ponto 10 do regulamento interno do Instituto Politécnico Industrial “Alda Lara”, em Luanda, afixado à…

Leia mais

PENTEADOS, LIBERDADE E… PORRADA

A polícia do MPLA (supostamente Nacional de Angola) deteve hoje um jornalista que fazia a cobertura de um protesto, em Luanda, contra a imposição de cortes de cabelo nas escolas, bem como 14 estudantes, todos já postos em liberdade. Mais do mesmo na política de “diálogo” (com o espelho) que João Lourenço tanto gosta. Borralho Ndomba, correspondente da emissora internacional alemã Deutsche Welle, disse que a detenção aconteceu, pouco depois das 11 horas, na altura em que entrevistava alguns jovens junto ao cemitério de Sant’Ana, onde teria lugar a concentração…

Leia mais

CASAS DE BANHO. SERÁ PEDIR MUITO?

A organização angolana Mosaiko pede ao Governo do MPLA (no poder há 46 anos) que garanta a existência de casas de banho e de iluminação nos acessos às escolas para prevenir o abandono escolar das raparigas, que a partir dos 15 anos é superior a 50%. Num recente relatório, intitulado “Políticas Públicas Inclusivas numa Perspectiva de Género”, a organização não-governamental angolana Mosaiko apresenta os resultados de 149 entrevistas em grupos e de inquéritos conduzidos, entre Junho de 2019 e Novembro de 2020, junto de 4.692 agregados familiares em 15 municípios…

Leia mais

NO CUNENE, 40% DAS CRIANÇAS DESISTEM DA ESCOLA

Enquanto o Presidente, João Lourenço, conta anedotas na Escócia e o vice-Presidente, Bornito de Sousa, se entretém a processar judicialmente quem fala dos custos do vestido de noiva da sua filha, 40% de crianças desistiram da escola, na província do Cunene, devido à seca e à fome que assolam a região… Segundo fonte oficial, a situação leva, continua a levar, à “dispersão populacional que busca pela subsistência”. Segundo o coordenador da Zona de Influência Pedagógica (ZIP) da província do Cunene, sul de Angola, Pelágio Ndafenongo Silikuvamwe, o calor, a seca…

Leia mais