Quanto custam os elogios
ao que, afinal, não existe?

A secretária-executiva da Comissão Económica das Nações Unidas para a África (UNECA), Vera Songwe (na foto recebendo a bênção de João Lourenço), elogiou as “reformas ambiciosas” do Presidente angolano, para diversificar uma “economia monolítica”, suportada pelo sector do petróleo. Para além da diversificação que consta de caderno de promessas de João Lourenço, ainda nada se viu. Mas é preciso ter calma. Os 20 milhões de angolanos pobres continuam a dar o seu contributo, aprendendo a viver sem… comer. Em declarações à Lusa, à margem dos encontros anuais do banco pan-africano…

Leia mais

O dedo que puxa o gatilho tem ligação directa à fome

A consultora Fitch Solutions defendeu hoje que a “agenda reformista” do Presidente de Angola vai ganhar fôlego este ano, melhorando a confiança dos investidores, mas alerta para as tensões que podem surgir no partido e no eleitorado, sobretudo – dizemos nós – nos 20 milhões de pobres que continuam a ter fuba podre, peixe podre (poucos kwanzas) e uma “Operação Resgate” se refilarem. A barriga vazia é má conselheira e, muitas vezes, tem ligação directa ao dedo que puxa o… gatilho. “A Fitch Solutions espera que a agenda reformista do…

Leia mais

Existe crise nos meios de propaganda do Estado?

O Sindicato dos Jornalistas Angolanos (SJA) exige a suspensão imediata das “reformas compulsivas” e cortes salariais nos órgãos de comunicação detidos pelo Estado, atribuindo a situação financeira dessas empresas à sua utilização passada como “instrumentos de luta política”. Se fosse passada… A posição consta das conclusões da assembleia de auscultação realizada em Luanda pelo SJA, convocada expressamente “para abordar as medidas em curso nos órgãos de comunicação social públicos”. “Os jornalistas não são responsáveis pelo estado actual deficitário das empresas de comunicação social”, lembrou, na leitura das conclusões, o presidente…

Leia mais

Estafetas paraplégicos?

Os presidentes da República, João Lourenço, e o do MPLA, José Eduardo dos Santos, querem que o país progrida e não será uma ou outra divergência pontual que irá alterar um estado de confiança que se vai vivendo em Angola nestes tempos de esperança. Quem o diz é, em Editorial, o Jornal de Angola, versão Victor Silva. No seu editorial de hoje, intitulado “Testemunho”, o Jornal de Angola refere que 2018 traz um conjunto de desafios que cada um coloca a si mesmo no já tradicional balanço do ano findo…

Leia mais

De reforma em reforma até à declaração de óbito

O ministro da Saúde de Angola, Luís Gomes Sambo, anunciou uma reforma do sector com vista a “melhorar o desempenho” nomeadamente dos hospitais do país, cuja (in)capacidade foi colocada à prova este ano com as epidemias de malária e febre-amarela. Aliás, está na moda reformar tudo… para que tudo fique na mesma. A intenção foi transmitida por Luís Gomes Sambo depois da posse, em Luanda, dos dois novos secretários de Estado da Saúde, Eleutério Hivilikwa e Constantina Pereira Machado Furtado, nomeados para os cargos por sua majestade o rei, José…

Leia mais