Como de pão para a boca…

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e o Ministério das Finanças de Angola assinaram um memorando de entendimento para alavancar o conhecimento das comunidades e sociedade civil em matéria do Orçamento Geral do Estado (OGE). Bem visto. Era mesmo disso que os nossos 20 milhões de pobres precisavam… como de pão para a boca! O memorando de entendimento visa promover plataformas de diálogo em sede do OGE, com a elaboração de eventos de debates e de carácter pedagógico, bem como a elaboração de estudos e análises que…

Leia mais

Orquestra do Rapa o Tacho

O Departamento de Informação & Propaganda Demagógica do Bureau Político do Comité Central do MPLA, “subdelegação destacada na Presidência da Reipública – Casa Civil do Presidente da Reipública” não se cansa de demonstrar uma elevada capacidade para a burrice demasiado matumba, tristemente tacanha, “nojentamente” patética. Por Domingos Kambunji Será que o Departamento de Relações Públicas da Casa Civil da Presidência da Reipública, antes de escrever o comunicado sobre a viagem do Zedu a Barcelona, foi receber carinho e solidariedade da Luísa Damião, como mãe e mulher, para publicar disparates? Ou…

Leia mais

ANASO critica falta de comunicação do governo

O secretário-executivo da Rede Angolana das Organizações da Sociedade Civil de Combate à Sida e Grandes Endemias (ANASO) considerou hoje “bastante deficiente” o sistema de informação e comunicação do Governo, sobretudo no “domínio da saúde”. António Coelho, que falava hoje à agência Lusa à margem da abertura de um “workshop” sobre “Comunicação e Plataformas dos Média para as Organizações da Sociedade Civil”, defendeu “maior abertura” e “comunicação permanente” sobre o sistema sanitário angolano. De acordo com o líder associativo, a comunicação, “assente na mudança de comportamento para grupos vulneráveis”, no…

Leia mais

Criada uma nova agência noticiosa pan-africana

A empresa African Daily Voice anunciou hoje o lançamento de uma nova agência noticiosa continental: a ADV. Sediada em Malabo, na Guiné Equatorial, a empresa multinacional, especializada em conteúdos e meios de comunicação, dispõe de uma newsroom em Casablanca (Marrocos) e propõe um serviço multilíngue (francês, inglês, árabe). A globalização e a multiplicação dos canais de comunicação consagraram a supremacia de três agências noticiosas. A emergência de novos suportes não impediu que se desse uma uniformização da informação. A revolução digital permite construir um grupo de imprensa internacional e ambicioso…

Leia mais

Gabinetes de crise e (claro!)
de (re)educação patriótica

O secretário de Estado da Comunicação Social, Celso Malavoloneke, aconselha as instituições públicas e privadas a criarem gabinete de comunicação de crise para dar resposta a acontecimentos súbitos, imprevisíveis e negativos que as possam atingir. Se calhar criar também gabinetes de “educação patriótica” não seria má ideia… Celso Malavoloneke falava no fórum sobre “Harmonização da Comunicação Institucional e do Marketing no Sector dos Transportes”, referindo que as instituições ou empresas devem estar preparadas para comunicar atempadamente sobre eventuais situações que belisquem sua imagem, sob pena de perder credibilidade e dar…

Leia mais

Existe crise nos meios de propaganda do Estado?

O Sindicato dos Jornalistas Angolanos (SJA) exige a suspensão imediata das “reformas compulsivas” e cortes salariais nos órgãos de comunicação detidos pelo Estado, atribuindo a situação financeira dessas empresas à sua utilização passada como “instrumentos de luta política”. Se fosse passada… A posição consta das conclusões da assembleia de auscultação realizada em Luanda pelo SJA, convocada expressamente “para abordar as medidas em curso nos órgãos de comunicação social públicos”. “Os jornalistas não são responsáveis pelo estado actual deficitário das empresas de comunicação social”, lembrou, na leitura das conclusões, o presidente…

Leia mais

Na missa do MPLA qualquer vigarista pode ser vigário!

Dizem os democratas se sentido único, cumprindo ordens superiores, que os profissionais de comunicação social em Angola devem valorizar no exercício diário da sua actividade os compromissos assumidos pelo Executivo, garantindo uma informação plural, independente, isenta e responsável prestando uma particular atenção à reportagem como género fundamental. Esta afirmação é do Director Nacional de Comunicação Institucional do Ministério da Comunicação Social, Eduardo Magalhães, na abertura do Seminário Regional de Reportagem Jornalística, que decorre em Luanda de 17 a 19 do corrente mês, dirigido a profissionais do Bengo, Cabinda, Zaire e…

Leia mais

Azeredos (não) há muitos

O presidente e vice-presidente da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) de Portugal foram, em Janeiro de 2011, os oradores internacionais de um seminário sobre comunicação e cidadania, que decorreu no Centro de Formação de Jornalistas (Cefojor), em Angola. Por Orlando Castro “I nsere-se no quadro de relações de cooperação técnica que tem a ver com a criação de mecanismos de regulação. Angola tem uma nova Constituição e está gradualmente a dotar-se de mecanismos mais modernos de regulação e justifica-se até pela proximidade dos nossos textos jurídicos”, afirmou então…

Leia mais

Quando as redes sociais mostram que o rei vai nu

Os órgãos de Comunicação Social devem procurar enquadrar-se nas novas tecnologias, em função da rapidez verificada na divulgação da informação nas redes sociais, afirmou, hoje, terça feira, o jornalista Aires Francisco. Em declarações à imprensa durante a mesa redonda sob o lema “Os Desafios dos Jornalistas na Época da Globalização”, realizada pela Plataforma de Jovens Jornalistas Angolanos” (PLAJJOA), na Casa da Juventude, em Viana, Aires Francisco considera que os meios de Comunicação Social devem adequar-se a nova realidade, tendo exemplificado o facto de o telemóvel tornar-se no primeiro meio de…

Leia mais

Ordem para formatar por e à medida a (in)formação oficial

A comunicação institucional e de imprensa de todos os ministérios e governos provinciais de Angola vai passar a ser coordenada pelo Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa (GCII), criado – como não poderia deixar de ser – por decreto presidencial de 29 de Dezembro. S egundo o documento, a que a Lusa teve hoje acesso, além de concentrar a actividade, este gabinete vai incorporar os profissionais ao serviço dos gabinetes de imprensa dos vários órgãos e departamentos ministeriais, impedindo o desempenho da actividade de assessoria por jornalistas, uma prática habitual…

Leia mais