Falar sem nada dizer

O discurso (que transcrevemos na íntegra) proferido pelo Presidente angolano, João Lourenço, certamente também subscrito pelo Presidente do partido no Poder desde 1975, o MPLA, e até mesmo pelo Titular do Poder Executivo, em Nova Iorque (EUA), na reunião do Conselho de Segurança da ONU sobre a situação na República Centro-Africana (RCA), é uma boa peça de oratória inócua, uma mão cheia de nada, uma linear tese de quem é perito em trocar seis por… meia dúzia. «Permitam-me felicitar o digno Representante Permanente da República da Estónia junto das Nações…

Leia mais

(In)segurança é com ele!

O Presidente de Angola, do MPLA e Titular do Poder Executivo, João Lourenço, desloca-se hoje a Nova Iorque para participar na quarta-feira na sessão especial do Conselho de Segurança das Nações Unidas convocada para avaliar a situação na República Centro Africana (RCA). Enquanto isso (tanto faz se em “lato” ou “stricto sensu”), a segurança na sua própria “casa” continua a mostrar que o rei vai nu. Segundo o secretário do Presidente da República para os Assuntos de Comunicação Institucional e Imprensa (que não integra o generalato da Casa de Segurança),…

Leia mais

Guterres ONU(sto) de “tarefas colossais”

António Guterres tomou hoje posse para um segundo mandato como secretário-geral da Organização das Nações Unidas, declarando-se um “multilateralista devoto” e “português orgulhoso” e voltou a pedir distribuição de vacinas contra a Covid-19 como “prioridade mundial absoluta”. António Guterres, que prestou juramento pela segunda vez em cinco anos à frente de uma organização com 193 Estados-membros, em Nova Iorque, admitiu que existem “tarefas colossais” a que o mundo deve responder unido, com destaque para a prevenção de conflitos e preparação da segurança social em caso de futuras pandemias. Expressando gratidão…

Leia mais

Ontem protectorado, hoje colónia, amanhã nação

A Frente de Libertação do Estado de Cabinda – Forças Armadas de Cabinda (FLEC-FAC) pediu hoje a adesão à Liga Árabe e criticou o “silêncio” europeu face às “políticas repressivas” de Angola, acusando países da CPLP (Portugal é o principal) de cumplicidade com Luanda. Por Orlando Castro “A FLEC-FAC pede a adesão de Cabinda, no seio da Liga Árabe, ao estatuto de membro observador da organização e apela aos 22 países membros da Liga Árabe, bem como ao Rei Salman ben Abdelaziz Al Saoud, da Arábia Saudita, e ao Rei…

Leia mais

E se fossem gozar com o…?

“Finalmente” um português ficou gravemente ferido numa operação de resgate de Palma, vila sob ataque de rebeldes armados desde quarta-feira, junto aos projectos de gás natural de Cabo Delgado, norte de Moçambique. Talvez agora Portugal, a União Europeia, a ONU e a CPLP acordem e deixem de gozar à grande, neste caso, com a chipala dos moçambicanos. Por Orlando Castro (*) O ferido foi encaminhado para Pemba, capital provincial de Cabo Delgado, 250 quilómetros a sul, por via aérea, a partir do aeródromo do recinto do projecto de gás natural,…

Leia mais

Vera Songwe, a Luísa Damião da UNECA

A secretária-executiva da Comissão Económica das Nações Unidas para África (UNECA), Vera Songwe, está imparável na multiplicação dos elogios ao Governo de João Lourenço, considerando que Angola foi o único país até agora que conseguiu reestruturar a dívida privada sem que isso implicasse uma descida do rating. Nem mesmo a vice-presidente do MPLA, Luísa Damião, ou Vera Esperança dos Santos Daves de Sousa, ministra das Finanças, têm pedalada para a acompanhar. “Angola foi uma espécie de precursor do que o Enquadramento Comum para o tratamento da dívida para além da…

Leia mais

Myanmar junto a Lisboa, Angola no “cu de Judas”

As Nações Unidas, grupos de direitos humanos e o Governo dos Estados Unidos condenaram o uso de força letal pelas forças de segurança contra manifestantes. Para se manifestarem desta forma as vítimas não serão, com certeza, negros. Não é, portanto, o caso das dezenas de mortos em Cafunfo (Angola). De facto a organização não-governamental (ONG) de direitos humanos Human Rights Watch (HRW) denunciou que as forças de segurança birmanesas “parecem estar a tentar cortar as pernas do movimento contra o golpe militar por meio de violência pura e gratuita”. Pois!…

Leia mais

Cabinda, o túmulo do arcaísmo do regime ilegal do MPLA

Quando em Portugal se discute sobre a demolição do monumento dos descobrimentos, em Cabinda procura-se sepultar o arcaísmo mental, herdado do regime ilegal do MPLA, instalado há 46 anos. Por Emmanuel NzitaPresidente da FLEC/FAC O último quartel do séc. XX, marca um destaque indelével, na luta do povo de Cabinda. Estamos no séc. XXI, com datas memoráveis na história da nossa resistência. – 1 de Agosto de 2006. Assinatura do Memorando de Desentendimento e “Estatuto Especial para Cabinda”;– 3 de Junho de 2016. Falecimento do líder fundador da FLEC/FAC. Nzita…

Leia mais

Bastará olhar para o que (eles) dizem?

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, lamentou hoje que a pandemia de Covid-19 esteja a ser usada por alguns países – que não nomeou (eventualmente porque vai precisar deles para ser reeleito) – para suprimir “vozes dissonantes” e silenciar a informação independente. Mesmo que ténue, fica no ar um odor à Angola do… MPLA! “Utilizando a pandemia como pretexto, as autoridades de alguns países tomaram duras medidas de segurança e adoptaram medidas de emergência para suprimir vozes dissonantes, abolir a maioria das liberdades fundamentais, silenciar a comunicação social independente…

Leia mais

Cabinda, Cafunfo e ONU

A coordenadora residente das Nações Unidas em Angola, Zahira Virani, está a acompanhar atentamente a situação ocorrida, no dia 30 de Janeiro passado, em Cafunfo, província da Lunda Norte, e a aguarda expectante o resultado das investigações em curso. Uma nota do gabinete da coordenadora residente da ONU em Angola, Zahira Virani, refere que estão atentos a todas as situações onde haja perda de vidas humanas e que possam pôr em risco os ganhos que o país tem alcançado no que toca à defesa dos direitos humanos e dos valores…

Leia mais