Eia! MPLA promete pôr Cafunfo no mapa

A administração municipal do Cuango, província angolana da Lunda Norte, lançou um concurso para iluminação pública, construção de escolas e centro de saúde em Cafunfo, palco de incidentes com feridos e mortos em Janeiro. Pelos vistos, a melhor forma de “corrigir o que está mal”, é contratar “estrangeiros” (como disse o Governo), fazer uma manifestação e aceitar que alguns sejam… assassinados. Em comunicado divulgado pelo órgão oficial do regime, Jornal de Angola, a administração do Cuango refere que o concurso público, com prazo de execução de um ano, decorre nos…

Leia mais

Compromissos assinam-se. Quanto a cumpri-los…

Angola tem assumido, segundo a secretária de Estado para os Direitos Humanos e Cidadania, Ana Celeste Cardoso Januário, o compromisso de garantir o acesso aos mais elementares serviços públicos, nomeadamente a água potável, saneamento, energia eléctrica, saúde, educação e habitação, cumprindo assim as recomendações dos direitos humanos em Angola. Se em vez de assumir o compromisso de garantir… garantisse mesmo, tudo seria diferente. Essa afirmação foi feita pela secretária de Estado para os Direitos Humanos e Cidadania, Ana Celeste Cardoso Januário, na abertura do debate público sobre as Recomendações do…

Leia mais

Portugal trata da saúde
a milhares de africanos

O Serviço Nacional de Saúde (SNS) de Portugal tratou 8.344 doentes oriundos dos países africanos lusófonos, entre 2016 e 2019, sendo a maioria oriunda da Guiné-Bissau, segundo dados oficiais. Estes doentes, que são enviados para Portugal ao abrigo dos acordos de cooperação entre Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe, são portadores de doenças que precisam de cuidados especializados que não existem nos seus países. As especialidades mais procuradas são cardiologia, oncologia, oftalmologia, pediatria, urologia, otorrinolaringologia, cirurgia geral e cirurgia pediátrica, ortopedia e neurocirurgia. Segundo dados da…

Leia mais

Reflexão sobre a saúde pública

A crise não é um mal, caso seja bem gerida. São oportunidades para fazer ajustes, para ir adaptando-se às novas exigências. A crise de saúde existente em Angola e seguirá por muitos anos, é um problema que não será resolvido em um dia, e muito menos com uma simples reforma legal. Num país onde nunca foi debatido um modelo de atenção primária de saúde ou modelo de médico que queremos, que saúde esperamos ter? Por Adão Xirimbimbi “AGX” Jurista A saúde pública em qualquer parte do mundo é um tema…

Leia mais

Covid-19, MPLA-45, Malária…

Jovens angolanos manifestaram-se hoje preocupados pela forma como o Governo angolano está a gerir a Covid-19, admitindo a existência do que consideram de “casos ocultos e que os números apresentados estejam aquém da realidade”. Também O Sindicato Nacional dos Médicos de Angola (SINMEA) defendeu, em Luanda, que os investimentos para a Covid-19 sejam os mesmos do que para a malária, doença que mais mata no país. E a procissão ainda não chegou ao adro… A preocupação dos jovens foi apresentada hoje em conferência de imprensa conjunta promovida em Luanda pelas…

Leia mais

Há vida (ou morte) para além da Covid-19

Francisco Pavão, especialista português em saúde pública, considerou que o estado de emergência em Angola teve um “impacto muito negativo” nos cuidados de saúde primários e no acompanhamento materno-infantil, admitindo maior mortalidade nas “doenças não-Covid-19”. Estranho. Como é possível haver um “impacto muito negativo” em algo que… não existe! Francisco Pavão disse à Lusa que Angola, tal como outros países, se tem focado quase exclusivamente na prevenção e combate à Covid-19, pelo que neste momento se debate o risco de negligenciar outras doenças. Pois, mas estas outras doenças (malária, tuberculose,…

Leia mais

Satélites, ricos e remédios

A ministra angolana da Saúde, Sílvia Lutucuta, manifestou hoje a intenção de retomar a produção de medicamentos, sobretudo os de primeira necessidade, sublinhando que há “capital humano angolano na área farmacêutica”. O país não consegue produzir comida para alimentar os seus 20 milhões de pobres mas, é claro, pode e consegue produzir medicamentos, satélites e… ricos. A ministra, que respondia às perguntas dos jornalistas numa conferência de imprensa em Luanda, onde apresentou o mais recente balanço epidemiológico da Covid-19, afirmou que Angola quer retomar a produção de medicamentos. “Não estamos…

Leia mais

Viver sem comer, morrer sem ficar doente

Até agora, “pouco mais de cinco mil testes” foram feitos em Angola, disse Luís Bernardino, numa intervenção durante um seminário online promovido pela Fundação Rui Cunha e pelo jornal Plataforma, ambos de Macau, subordinado ao tema “Vamos desconfinar? Saúde Pública Opções Privadas”. Aí está a regra de ouro. Não fazendo testes… não há infectados. Não havendo infectados… somos os melhores. “H á casos locais, mas só foram detectados 45″, disse o médico, para salientar a “grande discrepância” entre os países africanos, recorrendo ao exemplo vizinho da República Democrática do Congo,…

Leia mais

Covid-19, o novo membro emérito do MPLA

Na perspectiva do ministro de Estado e Chefe da Casa Civil do Presidente da República, Adão de Almeida, o abrandamento de algumas medidas incluídas no Decreto Presidencial que declara o quarto Estado de Emergência, que já vigora em todo país, visa assegurar o equilíbrio entre a protecção da saúde pública e o bem-estar económico e social da população. A análise refere-se a um país em que, mesmo sem a Covid-19, é uma miragem falar-se de o equilíbrio entre a protecção da saúde pública e o bem-estar económico e social da…

Leia mais

Filhos, enteados e outros

No dia 20 de Março (há, portanto, mais de um mês) o Folha 8 colocou à Direcção Geral da Saúde (de Portugal) e à Ordem dos Médicos (de Portugal), questões relacionadas com a pandemia da Covid-19. Procurávamos informações que pudessem ser úteis, entre outros, aos angolanos, tanto residentes em Portugal como para nosso “uso” interno. A única “resposta” recebida foi-nos enviada pela Ordem dos Médicos que, três dias depois, acusava a recepção, prometendo que “brevemente voltaremos ao contacto”. Até hoje. Compreendemos que, também neste caso, há filhos, enteados e outros,…

Leia mais