Rabo escondido com MPLA de fora

A embaixadora dos EUA, Nina Maria Fite, deu uma entrevista à RNA (do MPLA) no passado dia 2 mas só foi transmitida ontem, dia 19, e hoje mereceu manchete do Jornal de Angola (do MPLA). Foi uma, mais uma, manipulação aberrante do MPLA que manteve a entrevista em carteira para tentar, agora, minimizar os estragos do relatório da consultora Pangea Risk que revelou que o Presidente João Lourenço e outros altos dirigentes estavam a ser investigados nos EUA. Como o Folha 8 revelou no dia 16, um relatório da consultora…

Leia mais

O banquete dos Juniores Caetanos

Então não é que as redes sociais tinham razão quando diziam que o MPLA não é um movimento popular de libertação de Angola mas sim uma Matilha de Predadores Ladrões de Angola? O júnior Caetano do Jornal da Angola (JA) do MPLA vem agora dizer que ele e os seus kapangas dos órgãos oficiais de comunicação social, parasitas do dinheiro de todos os angolanos, “endeusaram pessoas cuja conduta merecia reprovação e nunca exaltação”? Por Domingos Kambunji Não nos esqueçamos que o JA homenageou durante vários anos o soba da corrupção,…

Leia mais

Jornalistas da RNA e da TPA acordaram? Será mesmo?

Os jornalistas da rádio e televisão públicas de Angola (RNA e TPA) ameaçaram hoje convocar uma greve caso as administrações das duas empresas se recusem a aceitar as exigências contidas num caderno reivindicativo a entregar segunda-feira de manhã. A decisão foi tomada por cerca de cinco dezenas de profissionais da comunicação social da Rádio Nacional de Angola (RNA) e da Televisão Popular de Angola (TPA) durante uma reunião com o Sindicato dos Jornalistas Angolanos (SJA), em que foi redefinido o caderno de reivindicações exigidas há quase um ano. Em declarações…

Leia mais

Nicolau Santos já não é o “vómito luso-angolano”?

A Lusa (Agência de Notícias de Portugal) assinou, em Luanda, três protocolos de cooperação com a televisão e rádio públicas de Angola, devendo, ainda esta semana, ser rubricados mais dois com outros órgãos de comunicação social de Angola. Será que, agora, o Jornal de Angola deixará de se referir a Nicolau Santos como fez no artigo publicado em 7 de Janeiro de 2016, sob o título “Vómito de luso-angolano”, em que se referia a ele como “homem nascido em Luanda e hoje serviçal do milionário Francisco Pinto Balsemão”? Os acordos…

Leia mais

Existe crise nos meios de propaganda do Estado?

O Sindicato dos Jornalistas Angolanos (SJA) exige a suspensão imediata das “reformas compulsivas” e cortes salariais nos órgãos de comunicação detidos pelo Estado, atribuindo a situação financeira dessas empresas à sua utilização passada como “instrumentos de luta política”. Se fosse passada… A posição consta das conclusões da assembleia de auscultação realizada em Luanda pelo SJA, convocada expressamente “para abordar as medidas em curso nos órgãos de comunicação social públicos”. “Os jornalistas não são responsáveis pelo estado actual deficitário das empresas de comunicação social”, lembrou, na leitura das conclusões, o presidente…

Leia mais

99.6% de cata-ventos

Os cata-ventos oportunistas têm memória curta e, por conveniência, sofrem de amnésia selectiva. Ainda não há muito tempo, em Agosto de 2016, no congresso do MPLA, José Eduardo dos Santos recebeu uma aprovação de 99.6% pelas suas políticas, atitudes, comportamentos e visão para o país. Por Domingos Kambunji Nada mais, nada menos: 99.6%! Dizem que a polícia secreta estava bastante decidida a investigar quem foram os 0.4% de traidores que não apoiaram o “Querido Líder”, o “Arquitecto da Paz”, o “Grande Mártir” que se “sacrificou” a estar no poder quase…

Leia mais

RNA. Pior não é possível!

Os resultados eleitorais ainda não são conhecidos mas tudo indica que o MPLA é o grande perdedor, mesmo que venha a obter mais votos que qualquer um dos outros cinco concorrentes. Há mil razões para este quadro hipotético e um deles é, sem qualquer sombra de dúvida, a Comunicação Social Pública, no caso vertente a RNA. A sua programação radiofónica foi, é e será tão deplorável que perdeu a audiência a favor de todas as concorrentes existentes em Angola; grande parte dos jornalistas não tem interesse nem faz o menor…

Leia mais

Só o MPLA existe

A Human Rights Watch considera (já se perdem a conta às vezes que o fez) como “deveras preocupante” a forma como está a ser vedado à oposição em Angola o acesso aos meios de comunicação públicos (leia-se do regime/MPLA) do país, a duas semanas das eleições gerais de 23 de Agosto. “O acesso aos meios estatais públicos de informação por parte dos partidos políticos angolanos é deveras preocupante”, disse em declarações à agência Lusa Zenaida Machado, delegada da Human Rights Watch em Joanesburgo, na África do Sul, responsável na organização…

Leia mais

Mudam os “manaças”
mas a … essa é a mesma

Em Agosto de 2012 o então director adjunto do Pravda (Jornal de Angola), Filomeno Manaças, garantia que “o eleitor já sabia em quem votar”. Hoje, o sipaio que o substituiu, Victor de Carvalho, pode e deve dizer o mesmo. Quer queira, quer não, o eleitor vai votar no MPLA mesmo que ponha o X noutro partido. Por Veríssimo Kambiote Num compreensível panegírico ao patrão, Filomeno Manaças (hoje Director Nacional de Publicidade) explicava – como se isso fosse necessário – que Angola é o MPLA e o MPLA é Angola, relegando…

Leia mais

Manipulação da imprensa estatal a favor do MPLA

Um grupo de cidadãos angolanos anunciou a interposição de uma acção popular junto do Tribunal de Luanda, contra a comunicação social pública, denunciando o “favorecimento” ao MPLA, partido no poder em Angola, “em detrimento dos outros partidos”. A acção tem como pano de fundo a cobertura noticiosa das acções partidárias no âmbito da pré-campanha para as eleições gerais de Agosto, foi remetida ao Tribunal Provincial de Luanda no dia 20 de Abril e visa sobretudo a Televisão Pública de Angola (TPA), a Rádio Nacional de Angola (RNA) e o Jornal…

Leia mais