LUANDA, CAPITAL (TAMBÉM) DA PROSTITUIÇÃO

A província de Luanda continua com um elevado número de adultas e adolescentes vulneráveis, envolvidas em práticas de prostituição, muitas vezes, pagas em dinheiro, por kilapi e em espécie: sal, arroz, óleo, massa alimentar, atum, carne seca e bebidas alcoólicas. Por Elias Muhongo fenómeno tem estado a ganhar contornos preocupantes, tornando-se, a cada dia, numa prática institucional para os mais pobres e carenciados, uns filhos de desempregados, outros de desmobilizados de guerra e, também, os discriminados pelo anacrónico sistema de educação. Diferente de um passado recente, hoje esta prática tem…

Leia mais

47 ANOS DE ASSASSINATOS E SEM DIREITOS

É anormal este quadro assassino e de vergonhosa governação do regime (MPLA). Ninguém é suficientemente sábio e capaz de combater os males que assolam o país. O povo está a viver uma falsa “Reconciliação Nacional”, com o executivo a sacrificar a maioria dos angolanos com o lema “MELHORAR O QUE ESTÁ BEM E CORRIGIR O QUE ESTÁ MAL”, colocando nas margens da fome e miséria, que não se apagarão da memória de muitos, por mais que queiram certos formatados, bajuladores e imbecis do regime, convencer-nos do contrário. Por Elias Muhongo…

Leia mais

MPLA PROMOVE, 47 ANOS DEPOIS, NOVO COLONIALISMO

A esquina 47 é aqui: Fome & Pobreza! A próxima, esquina 47, é ali: Discriminação e injustiças. O ali, qual Morro do Mbinda (Uíge-Norte), pelas três tribos políticas, em disputa (1974-75) para o controlo do Reino do Kongo, com o “vencedor” a esmerar-se, competentemente, no assassínio do bago vermelho (café), 3.º produtor mundial (230.000 ton.) e, mais grave, ainda, foi a desconstrução total da geografia mental do Mbinda do Morro e de todos outros, cuja geografia mental, que sem curvas territoriais geográficas, caboucava nas mentes sonhadas de milhões, canções de…

Leia mais

46 ANOS DE ESCRAVIDÃO, 20 A VIVER SEM… COMER

Organizações de defesa dos direitos humanos defendem que Angola (há 46 anos governada pelo mesmo partido, o MPLA) registou alguns progressos desde que alcançou a paz, há 20 anos, mas alertam que há “muito caminho para andar”, porque a pobreza “é avassaladora” e a violência policial “inaceitável”. Alguns. É verdade. 20 milhões de pobres são o melhor exemplo… O Governo do MPLA e a UNITA assinaram em 4 de Abril de 2002 um acordo de paz que pôs fim a 27 anos de guerra. Vinte anos depois, o director-executivo da…

Leia mais

ASSASSINOS, ASSASSINOS, ASSASSINOS

O país está sem norte: Miséria e derrame em Cabinda de crude. O Executivo esconde e protege o infractor que assassina o trabalho dos pescadores e os peixes no mar. Por William Tonet O Sul está em chamas: Fome e seca! As vacas pararam de produzir leite para o Maine e o Executivo masoquistamente abre champanhe, a cada mais de 110 mortes/dia. Padre Pio, outros padres, mas o bispo, são impotentes ante o pouco que doam, diante de tanta ferocidade e insensibilidade do executivo e, também, da natureza, ainda assim…

Leia mais

MPLA (NÃO) DEIXA O POVO SONHAR!

As forças políticas angolanas da oposição que o MPLA ainda permite e que têm representação parlamentar, manifestaram-se preocupadas com o ambiente político do país, defendendo o regresso do diálogo político como saída da crise. Citando o presidente do MPLA, João Lourenço, o “teatro de operações” está pronto para fazer uso da razão da força. À oposição resta apenas a força da razão. Será suficiente? A posição foi apresentada em conferência de imprensa pelo líder do grupo parlamentar da UNITA, Liberty Chiaka, em representação dos deputados da Convergência Ampla de Salvação…

Leia mais

A REVOLTA DA CONGESTÃO DE FOME

Jornalistas dos canais controlados pelo MPLA, TV Zimbo e TV Palanca, sofreram hoje uma tentativa de linchamento quando reportavam incidentes ocorridos em Luanda, onde decorria uma paralisação dos táxis. A imagem que ilustra este texto, onde – por exemplo – se constata que a TPA é a campeã dos subsídios do Estado, sendo que sozinha recebe mais dinheiro do OGE do que os caminhos-de-ferro de Benguela, Luanda e Moçâmedes juntos, ajuda explicar quem é que, num país com 20 milhões de pobres, criou este fenomenal barril de pólvora. Por Orlando…

Leia mais

Num não-país vale (mesmo) tudo

A situação económica de Angola é “muito periclitante” afirma o economista angolano Alves da Rocha, alertando para que o financiamento da campanha para as próximas eleições gerais de 2022 pode ter impacto no défice orçamental. E sendo assim… se calhar o melhor é prorrogar o mandato anterior do MPLA por mais… 54 anos. “Estamos numa situação muito periclitante”, disse à Lusa Manuel Alves da Rocha, resumindo desta forma as conclusões do relatório económico de Angola (2019-2020), produzido pelo Centro de Estudos e Investigação Científica (CEIC) da Universidade Católica de Angola,…

Leia mais

“Temos fome”. “Abaixo a ditadura”

“É verdade que não temos Internet móvel, mas também não temos medicamentos”, respondeu na terça-feira o ministro dos Negócios Estrangeiros cubano, Bruno Rodriguez. A Internet móvel foi restabelecida esta quarta-feira em Cuba, após três dias de interrupção depois das históricas manifestações de domingo, mas continua a ser impossível aceder a redes sociais e a aplicações de mensagens, constataram jornalistas da AFP. Com 3G ou 4G, o acesso à aplicação WhatsApp ou às redes sociais Facebook ou Twitter, entre outras, estava bloqueado, segundo a agência France-Presse. “É verdade que não temos…

Leia mais

Militares exortam governo a deixar de ser… vigarista

A Associação dos Oficiais Generais Superiores, Capitães, Subalternos Reformados (que conta com 2.525 membros) ameaça sair à rua nos dias 17 e 18 deste mês, caso o Estado angolano não liquide a dívida de 130 mil milhões de kwanzas (169,5 milhões de euros). A informação foi hoje avançada pelo presidente desta associação, Alberto Nelson “Limukeno”, que pede ao Estado para pagar, pelo menos, sete dos 13 anos dessa dívida, deixando o restante para trás, “tendo em conta os argumentos da crise financeira”. “O Estado angolano, o seu executivo, que nos…

Leia mais