Acelerador a fundo… mas em ponto morto

O Presidente de Angola, João Lourenço, destacou hoje a importância de se avançar no processo de integração económica do continente africano, considerando que o actual nível de trocas comerciais está longe do possível e do desejável. Foi descoberta a pólvora… mas com máscara. “Angola considera importante avançar com este processo de integração económica ao nível do continente, tendo em conta as oportunidades que o mesmo proporciona para a integração da classe empresarial angolana nas mais diversas fileiras produtivas do continente e, desta forma, usar esta plataforma como um polo de…

Leia mais

BNA revoga licenças a algumas casas de câmbio

O Banco Nacional de Angola (BNA) anunciou hoje ter revogado, face a uma inactividade superior a seis meses, as licenças a seis casas de câmbio e a uma cooperativa de crédito. Em Fevereiro de 2018 tinha revogado a licença à empresa Mere Halima – Casa de Câmbio, por incumprimento da legislação em vigor. Foram revogadas as seguintes licenças: DIAS & POEIRA – Casa de Câmbio, Lda.; EXPRESSO – Casa de Câmbio, Lda.; GLOBAL – Casa de Câmbio, Lda.; KÉTSIA – Casa de Câmbio, Lda.; NEVISA – Casa de Câmbio, Lda.;…

Leia mais

(Des)ordem na concorrência

O Governo angolano considera que a institucionalização da Autoridade Reguladora da Concorrência (ARC) é um “passo decisivo” para a criação de uma “efectiva política de concorrência” e de práticas que melhorem o ambiente de negócios. Se o ministro das Finanças, que já o era no Governo de José Eduardo dos Santos e continua a ser no de João Lourenço de Angola, Archer Mangueira, o diz… “U m passo que se insere na acção do executivo para dotar o país das instituições e das práticas que melhorem efectivamente o ambiente de…

Leia mais

Mamãs zungueiras, nossas heroínas da sobrevivência

O Fórum de Mulheres Jornalistas para Igualdade do Género (FMJIG) em Angola considerou hoje que o mercado informal no país, envolvendo sobretudo mulheres, está “cada vez mais violento”, anunciando ciclos de formação para inclusão financeira. A constatação foi apresentada hoje pela coordenadora do FMJIG, Josefa Lamberga, no âmbito de um seminário Apoio a Projectos de Negócio de Mulheres Empreendedoras, realizado em Luanda, em parceria com o Banco Postal de Angola, garantindo a aposta neste domínio para inverter a situação. “O mundo informal é violento. Falando da nossa prática no país,…

Leia mais

Na praça dos Correios de Luanda há (quase) tudo

Nos mercados informais de Luanda há de tudo à venda e alguns até se especializaram, como a praça dos Correios, com todo o tipo de peças para automóveis, novas e usadas, onde a regra é evitar perguntar a proveniência. Por Lusa Trata-se do maior mercado informal de acessórios de automóvel de Angola, junto ao centro da capital, e impressiona pela dimensão, com dezenas de vendedores e todo o tipo de peças, desde jantes a motores. Um negócio ameaçado pela proibição decretada pelo Governo, de venda de peças automóveis na rua…

Leia mais

JLo altera decreto sobre
a importação de usados!

Hoje o Folha 8 publicou um artigo sobre o que quer o Fundo Monetário Internacional para a nossa economia. O Governo angolano terá de duplicar o preço do litro de gasolina e de gasóleo em oito meses, para eliminar os subsídios que atribui à petrolífera estatal Sonangol para manter os preços baixos, estima o FMI. Nesse texto, recordamos mais uma vez que o regime de José Eduardo dos Santos, sem qualquer fundamento de racionalidade económica, e para afectar a maioria de uma população activa que começava a sonhar com carro…

Leia mais

“Eva Rap Diva” apostada na
(re)conquista de Portugal

A ‘rapper’ angolana Eva Rap Diva, “filha do ‘hip-hop’ tuga” e “mulher que se tenta impor num mundo artístico dominado por homens”, edita hoje em Portugal “Eva”. No ano em que completa 30 anos, Eva Rap Diva entra no mercado discográfico do país onde começou a ‘rappar’, aos 12 anos, com disco de homenagem à avó, Eva, editado em Angola no ano passado. “Eu comecei cá, fui levantar voo lá e agora estou a passar com o meu avião por Portugal, visto que Moçambique e São Tomé também são mercados…

Leia mais

Quiminha está quase em velocidade de cruzeiro

O Pólo Agrícola da Quiminha, considerado o maior projecto integrado de agricultura em Angola, que resulta de uma parceria público-privada que junta especialistas israelitas, deverá atingir este ano a plena produção e prevendo já a exportação para a Europa. Localizado a cerca de 50 quilómetros de Luanda, o projecto foi lançado em 2012, pelo Estado angolano, que avançou com a infra-estruturação dos 5.000 hectares de cultivo, onde hoje já trabalham 600 pessoas na produção de cerca de 30.000 toneladas anual de todo o tipo de legumes e frutas. Como explicou…

Leia mais

BNA (e o país) “regressam”
à economia de mercado

O governador do banco central angolano disse hoje que a moeda angolana não vai ser desvalorizada, por acção do Governo, mas deverá sofrer uma depreciação face a outras moedas, consequência do novo regime cambial, que passa da taxa fixa para flutuante. A informação foi hoje avançada por José Lima Massano, em conferência de imprensa realizada em Luanda, organizada pela equipa económica do Governo de Angola e liderada pelo ministro de Estado para o Desenvolvimento Económico e Social, Manuel Nunes Júnior. José Lima Massano anunciou que Angola vai adoptar, a partir…

Leia mais

“Está tudo caro de novo”

Alguns produtos da cesta básica em Angola estão a inverter a tendência de queda nos preços que se verificava desde o início do ano e nos últimos dias voltaram a acelerar, influenciados pelas eleições gerais de quarta-feira. A situação foi constatada pela agência Lusa numa ronda por feiras de Luanda, como o conhecido Mercado dos Congoleses, com os vendedores a confirmarem a subida dos preços, em grande medida face ao açambarcamento de produtos, com o aproximar das eleições. Antónia da Costa vende naquele mercado há 28 anos e explica que…

Leia mais